Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cheirar cacau em pó: a nova moda nas baladas

Hábito cada vez mais comum em festas para dar 'barato' cresce entre jovens europeus e americanos. Embora liberado, o consumo pode fazer mal ao organismo

No auge da festa, um jovem com seus 20 e poucos anos tira um pacotinho da bolsa e espalha um pó marrom-escuro sobre o balcão do bar lotado. Debruça-se sobre a substância e a inala com força. Volta para a pista pleno de energia e felicidade, efeito que dura meia hora, talvez um pouco mais. A cena se tornou comum nas raves, as festas eletrônicas que varam a madrugada, na Europa e nos Estados Unidos. O que se anda cheirando é o cacau em pó, em busca do “barato”. O efeito é real, atestam os consumidores. No Brasil, o movimento ainda é incipiente.

O fruto moído desencadeia uma onda de substâncias na corrente sanguínea, aumentando a sensação de euforia e bem-estar. Esses efeitos são atribuídos principalmente a dois compostos químicos. O mais abundante deles é a teobromina, que tem ação semelhante à da cafeína, substância com propriedade psicoativa. É ela que confere o estado excitatório. Isso ocorre porque é um vasodilatador, e faz acelerar o fluxo sanguíneo. O segundo composto poderoso é a feniletilamina, que estimula o cérebro a produzir endorfina, também associada à sensação de prazer. Os usuários celebram os resultados do pó de cacau, a principal matéria-prima do chocolate, e glorificam o fato de ser um alimento natural, encontrado em qualquer supermercado e vendido livremente — não seria, portanto, uma droga ilegal. De fato não é, mas os danos podem ser relevantes e merecem olhar cuidadoso.

Assine agora o site para ler na íntegra esta reportagem e tenha acesso a todas as edições de VEJA:

Ou adquira a edição desta semana para iOS e Android.
Aproveite: todas as edições de VEJA Digital por 1 mês grátis no Go Read.

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Prefiro Cheirar Calcinha
    De Referencia Usada…

    Curtir

  2. Cheirar Cacau Em Pó,
    Em Busca Do “Barato”.
    Que Sai Mais Barato…
    Pago 4 Reais Na Barra
    De 100g E Como Porque
    É Sólido Se Fosse
    Líquido Eu Beberia…

    Curtir

  3. ViP Berbigao

    A conclusão é óbvia. Querem se matar então assumam a responsabilidade dos seus atos… mas quê… vão bater na porta do SUS para tratamento e nós ordeiros e trabalhadores vamos pagar a fatura de mais essa orgia.

    Curtir

  4. Lúcio Jacomini

    PELO MENOS COLOQUEM LEITE PARA FICAR MAIS PALATÁVEL!

    Curtir

  5. Roberto T. Crespilho

    idiotas e bandidos é igual tiririca, nunca acaba.

    Curtir

  6. Junkiana Fernandes

    O conceito de “idiota” foi atualizado.

    Curtir

  7. moda??? Só tem babaca e drogado.

    Curtir

  8. Lívia Zullo

    E quais são os danos para a saúde? Acho que faltou parte da reportagem.

    Curtir

  9. Nelson Marchetto

    É uma nova droga, se espalha rápido e como o “pó branco” prejudica a saúde então a diferença licita ou ilícita não faz diferença ambas são prejudiciais!!!

    Curtir

  10. Ailton Araújo

    Então, resumindo é um ‘barato’ que sai caro.

    Curtir