Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Senador promete doação milionária a Moro e, magoado, dá calote

Eduardo Girão havia se comprometido com R$ 5 milhões para a campanha - primeira parcela seria paga no dia em que o ex-juiz deixou o Podemos

Por Laryssa Borges 14 Maio 2022, 21h31

Na tentativa de evitar o naufrágio precoce da campanha de Sergio Moro ao Palácio do Planalto, o projeto presidencial do ex-juiz da Lava-Jato contou por meses com um discreto mecenas dentro do Podemos. Dono de um patrimônio declarado de mais de 36 milhões de reais, o senador cearense Eduardo Girão financiou secretamente duas viagens políticas de Moro – aos Estados Unidos e à Alemanha – e havia se comprometido com um passo ainda maior: o parlamentar prometeu doar 5 milhões de reais para a campanha. O pagamento da primeira das cinco parcelas para o caixa morista já tinha até data programada: 31 de março.

Neste dia, porém, sem avisar previamente nenhum dos senadores do partido, o ex-ministro da Justiça trocou a pequena legenda à qual tinha se filiado em novembro pelo União Brasil, consórcio formado pela fusão do DEM com o PSL e detentor do maior naco do fundo eleitoral – mais de 800 milhões de reais. Com a saída de Moro do partido, Girão se sentiu desobrigado do compromisso e nenhum centavo foi destinado ao projeto presidencial de Moro.

Para além do calote, uma sucessão de desacertos havia levado o presidenciável a abandonar o barco do Podemos. Após VEJA revelar, em março, que Girão havia financiado a viagem do ex-juiz à Alemanha para poupar o caixa geral da legenda, o parlamentar reclamou de ter de declarar no Imposto de Renda gastos com os deslocamentos. Em outras frentes, correligionários que o apoiavam publicamente trabalhavam como os maiores fomentadores de fogo amigo contra o ex-juiz, grandes empresários se recusaram a doar para a campanha, e a família de Moro acusava a cúpula da sigla de traí-lo nos estados e manter portas abertas para apoiadores bolsonaristas. Nenhum episódio foi tão devastador para o ex-ministro, no entanto, quanto uma reunião com caciques da agremiação no final de março em que ele se considerou definitivamente rifado pelos aliados.

No encontro Sergio Moro ouviu que sua presença no Podemos repelia alianças estaduais para as eleições de outubro, inviabilizava a formação de palanques competitivos, estimulava desafetos a procurarem siglas concorrentes e comprometia a própria sobrevivência do partido, que projetava eleger 23 deputados federais mas, sob a sombra do ex-juiz, temia acabar dizimado. Na troca de farpas, sobraram impropérios dos senadores presentes contra a coordenação da pré-campanha de Moro. O ex-juiz tampouco engoliu calado e hoje considera que as discussões daquele dia foram cruciais para seu desembarque da legenda. Procurado, o senador Eduardo Girão disse que as doações são “um assunto já vencido” e afirmou que “especulações em relação a eventuais doações para o partido não levam a nada”.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês