Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Na China, Temer minimiza protestos contra o governo

Presidente afirmou que atos têm a adesão de 'grupos mínimos' e criticou as cenas de vandalismo registradas nas manifestações

Efetivado no cargo há três dias, o presidente Michel Temer afirmou neste sábado que as recentes manifestações contra o seu governo são promovidas por “grupos mínimos” e têm caráter antidemocrático. “O tal do ‘Fora Temer’, tudo bem. É um movimento democrático, mas a depredação é algo que é delituoso”, declarou a jornalistas brasileiros na China. Temer está no país para a cúpula do G20.

LEIA TAMBÉM:
Em VEJA: impeachment põe fim ao ciclo de poder do PT
Governo de SP libera protesto contra Temer no domingo

Perguntado se os protestos comprometiam o início de seu governo, Temer insistiu no que considera o caráter inexpressivo das manifestações. “As 40 pessoas que estão quebrando carro? Precisa perguntar para os 204 milhões de brasileiros e para os membros do Congresso Nacional que resolveram decretar o impeachment”, afirmou. O presidente também criticou os atos de vandalismo registrados nos protestos: “O que preocupa, isto sim, é que se confunde o direito à manifestação com o direito à depredação”.

Nos últimos cinco dias, a cidade de São Paulo foi cenário de atos contra Temer e contra o impeachment – a maioria deles registrou cenas de vandalismo e de confronto entre black blocs e a polícia militar. Na noite de sexta, baderneiros quebraram vidros de concessionárias e quatro pessoas acabaram detidas.

Apoio

Temer disse ainda ser “mais do que natural” que seu governo não tenha apoio unânime neste início e destacou o momento “politicamente complicado” causado pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. “Seria muito estranho que a esta altura nós tivéssemos unanimidade absoluta.”

(Com Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Micky Oliver

    Deixa de ser banana e mande a polícia meter o pau nesses terroristas!

    Curtir