Clique e assine a partir de 9,90/mês

Lula: ‘Prova de minha honestidade é que não depositei na Suíça’

O ex-presidente afirmou que fará uma caravana pela Região Nordeste para fortalecer sua candidatura às eleições presidenciais de 2018

Por Da Redação - Atualizado em 28 jul 2017, 17h11 - Publicado em 28 jul 2017, 12h54

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse nesta sexta-feira que a ausência de contas no exterior em seu nome deveria ser levada em conta como prova de sua inocência. O petista afirmou que o juiz federal Sergio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância, sofreu pressões de “setores da imprensa” e de “mentiras” ao condená-lo a nove anos e seis meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex de Guarujá. “A única prova que tem naquele processo é a da minha inocência”, declarou.

As declarações de Lula foram dadas em entrevista à rádio Som Maior, de Criciúma. Questionado sobre como justificaria aos seus eleitores a quantia de 9 milhões de reais que mantinha em duas contas de previdência privada, o ex-presidente afirmou que não tinha que dar satisfações a ninguém.

“Eu não tenho que explicar nada. Primeiro porque tenho 76 palestras feitas no exterior. O dinheiro entre pelo Banco Central quando foi pago no exterior. Está depositado no Banco do Brasil. Não tem conta na Suíça. A certeza da minha honestidade é que não depositei dinheiro na Suíça, eu depositei no Branco do Brasil, na previdência privada para me garantir. Quando você está com mais de 70 anos, você tenta garantir a sobrevida da sua família”, afirmou Lula.

Ele disse que Moro ainda lhe deve explicações sobre o bloqueio de bens. “Por que ele bloqueou um dinheiro que está na previdência privada?”. Lula afirmou que esperava ser absolvido no processo do tríplex e receber um pedido de desculpas de Moro “Mas a ordem é condenar o Lula. Ele não tinha como se explicar à Rede Globo de Televisão se não me condenasse.”

Continua após a publicidade

Caravana

O ex-presidente disse que voltaria a dar palestras se não estivesse envolvido nesse “imbróglio todo”. Para fortalecer a sua pré-candidatura à Presidência da República, no entanto, Lula anunciou uma caravana pelo Nordeste. Segundo o petista, a viagem terá início no dia 17 de agosto, na Bahia, e se encerrará 21 dias depois, no Maranhão. Ele afirmou que fará todo o trajeto por terra e manifestou o desejo de repetir a ideia nas outras regiões do país.

“Vamos fazer campanha, sendo candidato ou não. Nós vamos andar pelo Brasil”, declarou Lula, que atribuiu a condenação na Lava Jato a uma tentativa de barrar seu plano de retornar ao Palácio do Planalto. “Se querem evitar que eu seja candidato, essa não é a melhor forma. A melhor forma é tentar arrumar um candidato bom nos outros partidos políticos para ganhar as eleições.”

Lula também disse não temer o desgaste sofrido pelo PT por conta dos escândalos de corrupção. “Fico pensando qual partido resistiria ao massacre que o PT tem sofrido. É como as forças americanas bombardeando o Vietnã. São quinhentos milhões de toneladas de bombas contra o PT. E qual o problema? O Vietnã venceu.”

Confira a íntegra da entrevista concedida por Lula:

Continua após a publicidade

Lula fala com a rádio Som Maior, de Criciúma, Santa Catarina #lulanoradio

Posted by Lula on Friday, July 28, 2017

Publicidade