Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Lula diz ter ficado surpreso com ‘tamanha promiscuidade’ da Lava Jato

Ex-presidente recebeu advogados nesta terça e discutiu estratégias para tentar anular condenação com base em conversas vazadas

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou aos seus advogados ter tomado conhecimento somente na segunda 10 do vazamento das conversas entre integrantes da força-tarefa da Lava Jato com o ex-juiz Sergio Moro.

Segundo disse a VEJA José Roberto Batochio, um dos defensores do petista, seu cliente ficou bastante surpreso com dois pontos: a rapidez com que “a verdade foi revelada” e a “tamanha promiscuidade” demonstrada pela troca de mensagens.

“O presidente acreditava que isso não viesse à tona tão rapidamente porque o esquema aqui (em Curitiba) é tão bem estruturado, tão organizado, que era praticamente inimpugnável. E não mais que de repente o jornalismo iluminou esse episódio que era secreto, assustador, que se verificava nesse país”, disse o advogado.

Batochio, que ficou por cerca de duas horas com Lula na manhã desta terça, 11, também afirmou ter causado estranheza o fato de Moro ter dito que as conversas entre defesa e acusação são comuns ao magistrado, já que ele mesmo teve uma visita recusada pelo atual ministro da Justiça, quando do primeiro depoimento de Lula à Justiça Federal, em maio de 2017.

Mensagens divulgadas no último domingo, 9, pelo site The Intercept Brasil, mostraram que o então juiz Sergio Moro e o procurador federal Deltan Dallagnol trocavam colaborações quando integravam a operação.

Ambos discutiam processos em andamento e comentavam pedidos feitos à Justiça pelo Ministério Público Federal.

Após a publicação das reportagens, a equipe de procuradores da operação divulgou nota chamando a revelação de mensagens de “ataque criminoso à Lava Jato”. Moro também negou que haja no material revelado “qualquer anormalidade ou direcionamento” da sua atuação como juiz.

Batochio e Cristiano Zanin, outro defensor de Lula que esteve presente na carceragem da PF em Curitiba, discutiram a estratégia que pretendem adotar a partir da revelação do conteúdo das mensagens.

Os advogados afirmaram que a defesa ainda está estudando novos recursos, mas espera que o Supremo Tribunal Federal (STF) analise os habeas corpus já impetrados pelos advogados.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Como esse bandido fala. Já, já vem outra condenação seu larápio!

    Curtir