Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Em Vitória, Luciano Rezende se reelege com 51% dos votos

O candidato do PPS conquistou apenas dois pontos percentuais a mais do que o seu oponente, Amaro Neto, do Solidariedade, que teve 48,9%

Por Luisa Bustamante
Atualizado em 30 out 2016, 18h10 - Publicado em 30 out 2016, 18h04

O atual prefeito de Vitória, Luciano Rezende, do PPS, foi reeleito com 51% dos votos, uma pequena margem de vantagem em relação a Amaro Neto, do Solidariedade, que chegou a 48,9%.  As abstenções mais os brancos e nulos representaram 20,91%. Rezende enfrenta agora o desafio de governar com um orçamento enxuto e uma cidade dividida. Político há mais de vinte anos e há quatro no comando da cidade, o candidato teve uma campanha com o alerta vermelho ligado diante da dificuldade de se distanciar do seu rival, que é deputado, apresentador de TV e inexperiente na política.

O prefeito apostou na estratégia de mostrar que seu adversário era despreparado para assumir seu posto. Nos debates, se concentrou em fazer perguntas técnicas sobre o funcionamento do município e em afirmar que Amaro não tinha propostas concretas para a cidade. O objetivo era ressaltar sua experiência na política: nascido em Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Espírito Santo, o médico de 54 anos entrou na vida pública em 1995 como vereador, cargo que ocupou até 2008, por quatro mandatos. Foi também secretário municipal de saúde e educação. Em 2012, apoiado pelo ex-governador Renato Casagrande (PSB), colocou um fim na gestão de oito anos do prefeito João Coser, do PT, que não conseguiu eleger sua correligionária, Iriny Lopes.

Como candidato, Luciano tentou se posicionar como um gestor capaz de enfrentar o orçamento apertado nos próximos anos. Só em 2015, a cidade de Vitória perdeu cerca de 205 milhões de reais de recursos do Fundo de Administração Portuária (FAP). Outra encrenca que o prefeito terá que enfrentar é governar diante de denúncias de corrupção, já que seu nome aparece na lista de pagamentos realizados pela Odebrecht na campanha de 2012, segundo planilhas apreendidas pela Operação Lava Jato em fevereiro. Um de seus principais aliados, o ex-governador Renato Casagrande, também é citado na listagem.

No fim das contas, o eleitor mostrou que quer dar continuidade à gestão do prefeito. Nos primeiros quatros anos de mandato, Luciano conseguiu bons resultados. Na sua gestão as áreas da Saúde e Educação foram eleitas as melhores do país segundo Ranking Cidades Inteligentes, da Revista Exame/Urban System. Vitória também figura entre as capitais mais transparentes do país.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.