Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Dias Toffoli determina votação secreta para presidência do Senado

Presidente do STF já havia negado pedido para votação na Câmara ser aberta

Por Da Redação - Atualizado em 10 jan 2019, 00h59 - Publicado em 9 jan 2019, 22h49

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, determinou, na noite desta quarta-feira 9, manter votação secreta para a eleição da presidência do Senado.

A medida derruba a decisão do ministro Marco Aurélio Mello, que havia determinado, em dezembro do ano passado, que a votação fosse aberta. Dias Toffoli atendeu a recursos do MDB e do Solidariedade, que queriam votação fechada, de acordo com o que manda o regimento da Casa.

Mais cedo, na tarde desta quarta-feira, Toffoli negou ação do deputado Kim Kataguiri (DEM-SP) e manteve o voto secreto também para a escolha do presidente da Câmara dos Deputados.

O presidente do STF argumentou que a votação para o comando das Casas é questão interna e deve ser definida pelos parlamentares.

Publicidade

Com isso, após a votação, o painel eletrônico vai mostrar apenas quantos votos cada candidato recebeu, mas não vai indicar como votou cada senador

 

Publicidade