Clique e assine com 88% de desconto

Edson Fachin, o discreto e pacífico relator da Lava Jato

Conheça a trajetória do ministro que, quando foi indicado ao STF, sofreu resistência tanto da esquerda quanto da direita

Por Da Redação - Atualizado em 16 jan 2020, 17h13 - Publicado em 16 jan 2020, 17h01

Preocupado com questões sociais, discreto, cordial, conciliador e defensor do fortalecimento das instituições, Luiz Edson Fachin é o atual relator da Operação Lava Jato no STF.

Mas sua indicação não foi tão simples assim. Quando seu nome foi sugerido pela então presidente Dilma Rousseff, houve resistência de muitos grupos de direita pela sua proximidade com movimentos de esquerda. Chegou até a se suspeitar que ele era advogado do MST. Após assumir o cargo no Supremo, grupos de esquerda também passaram a criticar Fachin por alguns de seus posicionamentos, como, por exemplo, o voto a favor da segunda instância.

O jurista chegou ao STF no momento de maior protagonismo político da Corte. E assumiu a relatoria da Operação Lava Jato após a morte de Teori Zavascki em um acidente aéreo.

Conheça os detalhes de cada etapa da história de Luiz Edson Fachin em mais uma edição do podcast Funcionário da Semana:

Publicidade