Clique e assine com até 92% de desconto

Arthur Virgílio Neto, um veterano na política sem papas na língua

Conheça a trajetória e as polêmicas do prefeito de uma das cidades mais afetadas pela pandemia do coronavírus

Por Thomaz Molina Atualizado em 14 ago 2020, 23h43 - Publicado em 28 Maio 2020, 15h57

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, foi um dos políticos citados nominalmente pelo presidente Jair Bolsonaro na polêmica reunião ministerial de 22 de abril. Além dos governadores de São Paulo, João Doria, e do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, Virgílio foi xingado pelo chefe do Planalto, que o chamou de ‘vagabundo’.

Deputado federal e senador por diversos mandatos, Virgílio já conhecia Jair Bolsonaro dos corredores do Congresso Nacional. Mas a relação entre os dois azedou mesmo depois que o capitão assumiu a presidência da República, graças aos problemas ambientais na Amazônia e, especialmente, à pandemia do coronavírus. Sem medo de polêmicas, os dois protagonizaram discussões públicas sobre a Covid-19 e também sobre as queimadas na Amazônia, que fizeram o prefeito da capital amazonense pedir ajuda de Greta Thunberg, outra ‘inimiga’ de Bolsonaro. O tucano também tem em seu histórico uma aliança inusitada com o PT.

Conheça os detalhes de cada etapa da história de Arthur Virgílio Neto em mais uma edição do podcast Funcionário da Semana

  • Publicidade