Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Publicidade

Notícias sobre Patricia Acioli

O Poder das milícias
Revista VEJA

O poder das milícias

Por Fernando Molica e Luisa Bustamante Atualizado em 26 mar 2018, 18h49 - Publicado em 23 mar 2018, 06h00
Uma das linhas de investigação da morte de Marielle leva às quadrilhas que se alastram na surdina e dominam mais favelas que o tráfico no Rio
Em breve, um novo vídeo de Anitta, alguma novidade esdrúxula do STF ou o namorico de subcelebridades nos farão esquecer Marielle, Anderson e tantos outros
Expirou o prazo de permanência de Cláudio Oliveira e Daniel Benitez, o autor da ideia de assassinar a magistrada, no presídio de Porto Velho. Juiz do Rio defende o retorno dos dois para Bangu I
A magistrada foi assassinada com 21 tiros na noite de 11 de agosto de 2011, enquanto chegava em casa, em Niterói
sergio-costa-junior-foi-o-autor-dos-disparos-contra-patricia-acioli-original.jpeg
Brasil

Assassino de juíza é condenado a 21 anos de prisão

Por Pâmela Oliveira, do Rio de Janeiro 4 dez 2012, 19h14
Delação premiada reduziu a pena de Sérgio Costa Júnior em um terço, por homicídio triplamente qualificado. Júri considerou que houve formação de quadrilha, o que deve complicar a defesa dos outros PMs acusados do crime
o-cabo-sergio-costa-junior-senta-no-banco-dos-reus-para-o-julgamento-sobre-a-morte-da-juiza-patricia-acioli-original.jpeg
Brasil

MP quer mostrar que juíza foi morta por quadrilha de PMs

Por Pâmela Oliveira, do Rio de Janeiro 4 dez 2012, 13h36
O primeiro dos réus é julgado nesta terça-feira, mas a promotoria destaca a participação dos outros 11 policiais acusados de envolvimento no crime
Réu confesso, PM Costa Júnior responde por homicídio triplamente qualificado
patricia-acioli-original.jpeg
Brasil

Executor da juíza Patrícia Acioli vai a júri nesta terça-feira

Por Pâmela Oliveira, do Rio de Janeiro 3 dez 2012, 06h23
O policial militar Sérgio Costa Júnior será julgado por homicídio triplamente qualificado e formação de quadrilha
Sete dos 11 acusados foram denunciados pelo MP por matar um jovem em São Gonçalo. Para os promotores, eles tentavam garantir impunidade e cometeram ainda fraude processual
Publicidade