Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Turismo perderá até 3,3 trilhões de dólares devido à Covid-19, diz ONU

Restrições contra pandemia de coronavírus paralisaram viagens internacionais; mesmo com abertura de fronteiras, medo e crise econômica diminuem viagens

Por Da Redação Atualizado em 1 jul 2020, 15h32 - Publicado em 1 jul 2020, 15h13

Um estudo das Nações Unidas, publicado nesta quarta-feira, 1°, projeta que as receitas globais da indústria do turismo sofrerão queda de até 3,3 bilhões de dólares, devido às restrições implementadas para conter a pandemia de coronavírus. Os Estados Unidos serão o país mais afetado, seguido pela China. A perda ocorre mesmo com tentativas ao redor do mundo de reanimar o setor.

Segundo a ONU, o Brasil deixa de receber de 6,4 a 18,6 bilhões de dólares com turismo, chegando a cerca de 1% do PIB.

O relatório divulgado pela Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) prevê três cenários para a indústria, baseando-se na duração das restrições contra a Covid-19 – quatro meses, oito meses e 12 meses. No primeiro, a perda seria de 1,17 trilhão de dólares, no segundo, de 2,22 trilhões e, no terceiro, 3,3 trilhões. Isso equivale a 1,5-4,2% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial. O relatório não disse, contudo, qual cenário era mais provável.

ASSINE VEJA

Wassef: ‘Fiz para proteger o presidente’ Leia nesta edição: entrevista exclusiva com o advogado que escondeu Fabrício Queiroz, a estabilização no número de mortes por Covid-19 no Brasil e os novos caminhos para a educação
Clique e Assine

“O turismo internacional foi quase totalmente suspenso e o turismo doméstico reduzido pelas condições de bloqueio impostas em muitos países. Embora alguns destinos tenham começado a se abrir lentamente, muitas pessoas têm medo de viagens internacionais ou não podem pagar por elas por causa da crise econômica”, diz o relatório das Nações Unidas.

A União Europeia está realizando um esforço conjunto para permitir a entrada de turistas no bloco, a partir da análise do perfil de risco dos seus países de origem. Nesta quarta-feira, os 27 estados membros reabrirão suas fronteiras externas para 15 países, entre eles Austrália, Canadá, Nova Zelândia e Japão. A China, epicentro da pandemia, também foi aprovada.

Continua após a publicidade

Cidadãos do Brasil, dos Estados Unidos e da Rússia estão impedidos de entrar na União Europeia. Especialistas temem novos surtos de coronavírus, que já estão pipocando ao redor do mundo, por conta de viagens.

Pesadelo americano

Os Estados Unidos são a nação mais atingida pela paralisação do turismo em todos os cenários do relatório. No mais otimista, em que as restrições duram apenas quatro meses, a queda é 187 bilhões de dólares. No cenário pessimista, é de 538 bilhões de dólares, ou 3% do PIB.

  • O país é seguido pela China, com perdas de pelo menos 105 bilhões de dólares. Países como Tailândia e França, que dependem fortemente do turismo, devem perder aproximadamente 47 bilhões de dólares cada.

    Pequenos estados insulares são muito afetados devido à proporção de suas economias. A Jamaica, por exemplo, enfrenta uma queda de 11% no PIB, ou 1,68 bilhão de dólares.

    O relatório das Nações Unidas cobre 65 países e regiões. Ele pede aos governos que aumentem a proteção social dos trabalhadores afetados em países gravemente atingidos pela pandemia.

    Continua após a publicidade
    Publicidade