Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Trump credita sua absolvição do impeachment ao ‘poder do povo’

O presidente americano chamou de 'pessoas más' os congressistas que votaram a favor de sua condenação durante o julgamento

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 19h29 - Publicado em 6 fev 2020, 15h59

Um dia após ser absolvido pelo Senado em seu julgamento de impeachment, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, elogiou a “grandiosidade” dos senadores que o inocentaram e creditou o resultado do processo ao “poder do povo” nesta quinta-feira, 6, em discursa na Casa Branca.

“Nós passamos por muito juntos [durante o processo de impeachment]”, disse Trump ao abrir seu pronunciamento. “Eu não sei se outros presidentes conseguiriam aguentar [essa situação]”, concluiu. O presidente então mostrou a capa do jornal The Washington Post desta quinta.”‘Trump absolvido’. Essa foi a única manchete boa do Post sobre mim”, provocou.

Trump chamou de “pessoas más” os congressistas que votaram a favor de sua condenação durante o julgamento. “Eu sinto muito pelo Mitt Romney [único senador republicano que apoiou a sua remoção da presidência]”, disse. “De lavada, o senador mais popular de Utah [estado que Romney representa] é Mike Lee [outro senador do estado]”, alfinetou.

O republicano questionou a imparcialidade dos senadores da oposição durante o processo: “Eles estão tentando me tirar do cargo e eles vão votar nisso.” Trump ainda acusou o deputado democrata Adam Schiff, que liderou a acusação no julgamento, de ser um “político corrupto” e chamou Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Deputados, de “uma pessoa horrível”.

“Eles [os democratas] vão voltar para mais”, disse Trump. Mas, segundo ele, o Partido Republicano está forte o suficiente para superá-los nas próximas eleições presidenciais, em novembro. A oposição “nem consegue contar votos simples”, ironizou Trump, em relação ao adiamento da divulgação do resultado das primárias do Partido Democrata no estado de Iowa.

Assim como fez em seu discurso do Estado da União no Congresso na terça-feira 4, o presidente também comentou sobre a situação da economia americana para justificar a política de seu governo. Trump afirmou que o mercado de ações nos Estados Unidos está em crescimento desde que assumiu a liderança na corrida presidencial de 2016 — o republicano ainda se engrandeceu pela sua vitória nesse pleito e citou pelo menos quatro vezes a ex-candidata democrata Hillary Clinton, contra quem disputou anteriormente. 

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)