Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Trump alega ter ido às Torres Gêmeas após ataque de 11/09 e gera polêmica

Entrevistas do então magnata o mostravam em outros locais; declaração vira tema de ironia e memes nas redes sociais

Por Vinicius Novelli - Atualizado em 30 jul 2019, 17h47 - Publicado em 30 jul 2019, 17h25

Ao assinar um projeto de lei na terça-feira 30 que estipula tratamento médico vitalicio para àqueles que trabalharam e adoeceram devido aos detritos e à fumaça dos locais atacados por terroristas em 11 de setembro de 2001, o presidente americano, Donald Trump, afirmou que esteve “por muito tempo” ao lado dos primeiros socorristas que chegaram nas Torres Gêmeas de Nova York.

“Muitos dos afetados são bombeiros, policiais e outros que foram os primeiros a chegar. E eu estava lá também, mas não me considero como um dos primeiros a chegar. Mas eu estava lá. Fiquei por muito tempo lá com vocês”, disse Trump na Casa Branca, ao assinar lei que garante benefícios aos policiais e bombeiros que trabalharam no Marco Zero após os atentados.

A declaração do presidente virou alvo de críticas e memes no Twitter, onde os mais entusiasmados compartilharam montagens e textos de Trump em fatos históricos nos quais ele jamais esteve e até fantasiosos. A hashtag #LostTrumpHistory  ficou nos trending topics da rede social. Os internautas criticam a espécie de personificação da história na figura de Donald Trump.

Um dos posts irônicos no Twitter mostra a imagem do presidente americano entre dinossauros e uma nave alienígena – uma referência aos imigrantes indocumentados. “Donald Trump esteve no final do período Cretáceo, quando alienígenas ilegais causaram a extinção dos dinossauros. Mas ele não se autodenomina um dinossauro”, diz o texto.

Publicidade

Logo depois da declaração do presidente, os jornais americanos começaram a checar se Trump estava ou não no Marco Zero após o colapso das torres ou em que momento ele foi ao local do atentado. O jornal The New York Times classificou a declaração como “exagerada” e entrevistou o ex-vice comandante dos bombeiros, Richard Alles, que trabalhou por meses nos escombros das Torres Gêmeas e negou ter visto o então magnata. “Eu passei muitos meses lá, mas nunca o vi”, afirmou ao jornal.

Para se defender, Trump foi ao Twitter e compartilhou um vídeo de uma entrevista que concedeu no dia 13 de setembro a uma emissora de televisão, na qual não é possível identificar o nome.

Publicidade

Pelo vídeo compartilhado pelo presidente, não dá para saber o local em que foi entrevistado ou em quais circunstâncias. Porém, a repórter pergunta sobre o que ele sentiu ao ir pessoalmente ao Marco Zero, e Trump responde que “é depressivo, mas impressionante ao ver o que esses bombeiros e policiais estão fazendo”.

O Times não nega que Trump tenha possivelmente visitado o local. Em determinado trecho do texto, o jornal mostra uma entrevista que o magnata deu a uma emissora alemã dizendo que esteve no Marco Zero.

Publicidade

Em uma outra entrevista de Trump dada à emissora de televisão Fox News na época, ele diz que viu o segundo avião acertar a segunda torre da janela de seu escritório na Trump Tower, próxima ao Central Park — as Torres Gêmeas ficavam ao sul da ilha de Manhattan, cerca de 6 quilômetros de distância.

Apesar das afirmações em entrevistas, não há como provar se o presidente americano esteve de fato no Marco Zero.

Donald Trump acumula uma série de declarações polêmicas, por vezes xenófobas, acerca do 11 de setembro. Em um comício no início de sua campanha eleitoral, ele disse que viu de sua janela pessoas pulando das torres e que muçulmanos residentes em Nova Jersey comemoraram a queda das torres.

Publicidade

 

Publicidade