Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Theresa May pede à UE prorrogação do início do Brexit para 30 de junho

Comissão europeia só aceitará adiar a saída do Reino Unido até 23 de maio ou até o final de 2019; questão será debatida na quinta-feira em Bruxelas

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, solicitou à União Europeia (UE) a prorrogação da saída de seu país do bloco econômico (Brexit) para 30 de junho. O prazo atual termina em 29 de março. O pedido foi encaminhado nesta quarta-feira, 20, ao presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk. Mas a tendência é não aceitá-lo totalmente.

“Qualquer extensão oferecida ao Reino Unido deve durar até 23 de maio de 2019 ou ser significativamente mais longa e demandar eleições europeias”, informou nota da Comissão Europeia divulgada nesta quarta-feira. “Essa é a única forma de proteger o funcionamento das instituições da União Europeia e a sua capacidade de tomar decisões.”

As autoridades afirmaram que o encontro entre os demais líderes do bloco e May, na quinta-feira, terá como tema a discussão entre uma curta extensão do início do Brexit, para antes de 23 de maio, ou seu adiamento mais longo, até ao menos o final de 2019. Nesse último caso, o Reino Unido se veria obrigado a realizar a eleição local de seus representantes no Parlamento Europeu em 23 de maio. Os britânicos, porém, não pensam em uma prorrogação maior.

“A primeira-ministra não pedirá uma longa extensão, pois há razões para dar ao Parlamento um pouquinho mais de tempo para chegar a um acordo e desbloquear a crise do Brexit”, indicou uma fonte da residência oficial de Downing Street.

“O povo deste país esteve esperando quase três anos (para a saída do Reino Unido da UE). Está farto com o fracasso do Parlamento na hora de tomar uma decisão e a primeira-ministra compartilha dessa frustração”, disse a fonte ao jornal The Guardian.

Após seu plano para o Brexit sofrer duas derrotas seguidas no Parlamento, a primeira-ministra considerava pedir até dois anos de extensão, mas sua base parlamentar se opôs porque um prazo longo pode forçar o Reino Unido a participar das eleições para o Parlamento Europeu, marcadas para maio.

A prorrogação deve ser aprovada por unanimidade pelos outros 27 países da União Europeia na reunião desta quinta-feira em Bruxelas, que contará com a presença da primeira-ministra. Em entrevista a uma rádio da Alemanha, o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, disse que não espera uma definição nesta semana. Para ele, uma reunião de emergência dos líderes da União Europeia para tratar do assunto deve ocorrer na semana que vem.

“May não tem um acordo sobre nada, nem no seu gabinete, nem no Parlamento”, afirmou Juncker.

Se for concedida uma extensão da validade do artigo 50.º do Tratado de Lisboa, que estabelece um período de negociação de dois anos a partir do momento da notificação da partida de um país membro, o Reino Unido terá que aprovar a mudança da data, pois o Parlamento passou no ano passado a lei que fixa o dia 29 de março para a saída da União Europeia.

(Com EFE e Reuters)