Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Presidente do México diz que soltar filho de El Chapo foi “ação boa”

Traficantes reagiram com violência à prisão do herdeiro do chefe do Cartel de Sinaloa; oito pessoas morreram

Por Da Redação Atualizado em 18 out 2019, 20h06 - Publicado em 18 out 2019, 19h22

Andrés Manuel López Obrador, presidente do México, defendeu nesta sexta-feira, 18, a decisão das autoridades de seu país de libertar o filho de Joaquín “El Chapo” Guzmán, líder do cartel de Sinaloa. A prisão de Ovidio Guzmán na quinta-feira 17 provocou confrontos violentos e a morte de pelo menos oito pessoas.

Ovidio Guzmán, de 30 anos, foi alvo de operação policial na cidade de Culiacán, capital do estado de Sinaloa, o reduto da organização criminosa de El Chapo.

Após apreendê-lo, a Guarda Nacional — força criada por López Obrador para combater o tráfico de drogas — enfrentou resistência armada pelas ruas de Culiacán. O resultado total foi oito mortes, 21 feridos, barricadas erguidas e veículos em chamas, reportou a rede de televisão BBC. Em meio a esse cenário caótico, a Guarda Nacional bateu em retirada e liberou Guzmán.

“A captura de um criminal não pode valer mais que a vida das pessoas”, disse o presidente, mais conhecido como AMLO, ao reiterar a “boa decisão” da Guarda Nacional. No cargo desde dezembro do ano passado, o populista de esquerda foi eleito com a promessa de adoção de medidas de combate à pobreza e com ideias polêmicas sobre o enfrentamento dos carteis de drogas. Chegou a defender a anistia aos chefões dessas máfias.

Em janeiro, López Obrador declarou que a batalha militar contra os traficantes havia acabado no México e que perseguição dos chefes dos cartéis não seria prioridade de seu governo. “Não existe guerra. Oficialmente, já não existe guerra. Não prendemos chefes (dos carteis) porque essa não é a nossa principal função. A função principal do governo é garantir a segurança pública”, acrescentou.

El Chapo, de 62 anos, foi preso no México em 2019, durante o governo de Enrique Peña Nieto e extraditado no ano seguinte para os Estados Unidos, onde cumpre pena prisão perpétua por tráfico de drogas e lavagem de dinheiro. O mexicano fundou o Cartel de Sinaloa no final da década de 80. 

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)