Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Homem mais velho do mundo morre aos 116 anos no Japão

Desde dezembro de 2012, Jiroemon Kimura era ainda a pessoa mais velha viva

Por Da Redação
12 jun 2013, 05h54

O japonês Jiroemon Kimura, apontado pelo Livro Guinness dos Recordes como a pessoa mais velha do mundo, morreu nesta quarta-feira aos 116 anos de causas naturais. Kimura morreu em um hospital de Kyotango – cidade da província de Kioto, no oeste do país, na qual viveu ao longo de toda sua vida. Ele permanecia internado desde 11 de maio.

Após a morte de Kimura, Misao Okawa, uma mulher japonesa de 115 anos residente em Osaka, se transformou na pessoa mais velha do mundo, informa o escritório do Guinness no Japão. O japonês, que nasceu em uma família de agricultores em 19 de abril de 1897, foi reconhecido como o homem mais velho do mundo em abril de 2011. Em dezembro do ano seguinte, o japonês chegou ao posto de pessoa mais velha do mundo após a morte da americana Dina Manfredini, aos 115 anos.

Poucos dias depois, em 28 de dezembro de 2012, Kimura bateu um novo recorde, o de homem que mais tempo viveu. Ele superou o americano de origem dinamarquesa Christian Mortensen, que morreu em 1998 aos 115 anos e 252 dias – Kimura viveu 116 anos e 54 dias. No entanto, a longevidade do japonês ficou ainda razoavelmente longe da atingida pela francesa Jeanne Louise Calment, que morreu em 1997 aos 122 anos e 164 dias.

Funcionário – Jiroemon Kimura fez carreira como funcionário públic. Após terminar a escola primária, trabalhou em uma agência dos correios de sua cidade e depois se transferiu para a Coreia para trabalhar como funcionário de comunicações do governo do Japão, que colonizou a península coreana entre 1910 e 1945. Após retornar ao Japão e se aposentar como funcionário dos correios, o homem dedicou boa parte de seu tempo ao trabalho em sua horta até completar 100 anos.

Continua após a publicidade

Até poucos dias antes de ser internado, ele continuava fazendo três refeições diárias, com uma dieta rica em arroz, batata-doce e abóbora. O ancião, que presenciou o nascimento de seu 15º tataraneto há pouco tempo, tinha sete filhos. Apenas cinco estão vivos. Ele deixa também 14 netos e 25 bisnetos.

Kimura vivia com a mulher de um de seus netos, de 60 anos, e começou a sofrer com diversas complicações de saúde no final do ano passado, o que o obrigou a ser internado em um hospital em várias ocasiões. O japonês celebrou no último dia 19 de abril seu 116º aniversário e recebeu uma felicitação do primeiro-ministro do país, Shinzo Abe, que lhe enviou uma gravação com uma mensagem para lhe dar os parabéns.

(Com agência EFE)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.