Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Cuba condena 127 pessoas à prisão por protestos contra o governo

Milhares de cubanos encheram ruas de Havana em julho do ano passado insatisfeitos com altos preços de produtos e escassez de alimentos e remédios

Por Da Redação 18 mar 2022, 12h03

A Justiça de Cuba condenou nesta semana 127 pessoas à prisão por atos relacionados aos protestos antigovernamentais de 11 de julho do ano passado. Na ocasião, milhares de cubanos encheram as ruas de Havana insatisfeitos com os altos preços de produtos e a escassez de alimentos e remédios durante a pandemia

Manifestantes foram detidos durante os protestos, “acusados de cometer e provocar graves perturbações e atos de vandalismo, com o objetivo de desestabilizar a ordem pública, a segurança coletiva e a tranquilidade cidadã”, segundo o Supremo Tribunal da República. Os réus também foram condenados pelos crimes de sedição e furto.

De acordo com a organização de direitos humanos Human Rights Watch, mais de 1.000 pessoas foram detidas em julho. Muitas delas relataram sofrer abusos de maneira rotineira e dezenas foram julgados sem a garantia básica do devido processo legal. 

Continua após a publicidade

Por decisão do Tribunal Provincial Popular de Havana anunciada na quarta-feira, 16, os condenados são obrigados a “indenizar as pessoas que foram prejudicadas em decorrência dos atos cometidos e reparar os danos causados às entidades”.

O julgamento foi realizado entre 14 de dezembro e 3 de fevereiro por fatos ocorridos nas regiões de Diez de Octubre e Arroyo Naranjo, na capital.

No total, 129 pessoas foram julgadas. Apenas uma foi absolvida e outra recebeu uma sentença de quatro anos de “privação de liberdade, subsidiada pelo mesmo período de trabalho correcional sem internação”, segundo o site Cubadebate.

Duas pessoas foram condenadas à pena máxima de 30 anos. As penas mais leves foram de seis anos de prisão.

A Justiça destaca que os magistrados “levaram em consideração o grau de participação, as condições pessoais dos envolvidos, bem como a gravidade, nocividade e violência dos atos cometidos”.

Tanto os réus condenados como a acusação têm o direito de recorrer ao Supremo Tribunal Popular da sentença proferida pelo órgão judicial que conduziu o julgamento em primeira instância, diz o comunicado do site cubano.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)