Clique e assine a partir de 9,90/mês

Covid-19: NY tem menor número de mortes em um mesmo dia desde 1º de abril

Estado epicentro do surto nos Estados Unidos reportou 422 mortes nesta sexta-feira, 24

Por Da Redação - 24 Apr 2020, 18h01

O governador do estado de Nova York, Andrew Cuomo, anunciou nesta sexta-feira, 24, que as autoridades estaduais reportaram apenas 422 mortes pela Covid-19 nas últimas 24h o menor número de mortos contabilizados em um mesmo dia desde o início de abril. Ao todo, mais de 16.000 pessoas morreram pela Covid-19 no estado de Nova York, que é o epicentro do surto da doença nos Estados Unidos.

O número de mortes diárias reportadas no estado está em queda desde 17 de abril, segundo estimativa do jornal The New York Times. Em 7 de abril, considerado pelo Times o pico de mortes no estado em um mesmo dia, cerca de 800 enfermos morreram pela Covid-19.

Cerca de 35% das 885.000 mortes pela Covid-19 nos Estados Unidos se concentram no estado de Nova York, o mais atingido no país. A cidade de Nova York responde por mais de 55% das 16.000 mortes no estado

Dentre todos os países do mundo, além dos Estados Unidos, reportaram mais mortos que o estado de Nova York apenas a Itália (25.900), a Espanha (22.500), a França (22.200) e o Reino Unido (19.500). Com mais de 271.000 casos da Covid-19, o estado de Nova York ainda responde por 30% dos enfermos em território americano.

Continua após a publicidade

Cuomo também anunciou que o número de pacientes entubados está em queda por 12 dias seguidos. Embora as admissões em hospitais tenham caído em 35% entre sexta-feira 17 e terça-feira 21, elas se mantiveram praticamente constantes desde então: houve um queda de apenas 5%.

“Isso é basicamente uma linha plana, e isso é preocupante”, disse Cuomo. O Times estima que o estado reporte em média 6.000 novos casos da Covid-19 por dia — a média diária na primeira semana de abril era de 11.000.

Em relação às medidas de isolamento social, o governador afirmou que decidirá na próxima semana se as atividades escolares permanecerão suspensas até o final do ano letivo, que, nos Estados Unidos, termina em julho.

Publicidade