Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Após derrota, goleira dos EUA chama suecas de covardes

A derrota para a seleção de futebol feminina da Suécia provocou a eliminação das equipe americana nas quartas de final

Por Da redação
Atualizado em 12 ago 2016, 20h31 - Publicado em 12 ago 2016, 20h17

A goleira da seleção feminina de futebol dos Estados Unidos, Hope Solo, não digeriu bem a derrota de sua equipe para a Suécia, que resultou na eliminação do time americano dos Jogos da Rio-2016, nesta sexta-feira.

Após a derrota nas quartas de final – as equipes empataram em 1 a 1 no tempo normal, e as americanas perderam por 4 a 3 nos pênaltis –, a goleira chamou as jogadoras suecas de “bando de covardes”.

“Estou muito orgulhosa do meu time, mas acho que jogamos contra um bando de covardes. O melhor time não venceu hoje, eu realmente acredito nisso”, disse Hope Solo. “A Suécia se escondeu do jogo. Elas não queriam jogar aberto, jogar um bom futebol. Foi um jogo físico, combativo.”

A goleira da seleção que ganhou medalha de ouro nas últimas três Olimpíadas revelou sua surpresa com o avanço das suecas na competição. “Não achei que elas chegariam tão longe no torneio. Acho que elas jogaram de forma covarde, mas ganharam. Elas seguem na competição e nós vamos para casa”.

Continua após a publicidade

LEIA MAIS:
Deu zika! Favoritas, americanas caem fora no futebol
Zicada? Hope Solo leva frango e EUA só empatam
Rio-2016: goleira-musa dos EUA mostra kit anti-zika

Na semifinal, a Suécia enfrentará o vencedor do confronto entre Brasil e Austrália, às 22h desta sexta em Belo Horizonte. A semifinal será na próxima terça, no Maracanã.

Zika — Vaiada em todas as partidas na Rio-2016, a goleira americana Hope Solo ouviu mais uma vez críticas debochadas da torcida brasileira na partida contra a Suécia. Hope, que antes de embarcar no Rio de Janeiro irritou os brasileiros ao postar uma foto nas redes sociais de seu “kit contra o vírus zika”, voltou a ser perseguida pelos torcedores locais aos gritos de “zika, zika”, em referência à sua postagem antes do evento. Na primeira fase da competição, a arqueira dos EUA deu vexame e foi alvo de chacota dos brasileiros: ela foi diretamente responsável pelo empate de 2 a 2 diante da Colômbia ao levar um tremendo “frango”.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.