Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

‘Velozes e Furiosos 9’ impulsiona bilheteria no Brasil e no mundo

Longa com Vin Diesel bateu recorde na arrecadação nacional e internacional; nos EUA, representa um novo fôlego na indústria em meio à vacinação avançada

Por Tamara Nassif Atualizado em 28 jun 2021, 16h00 - Publicado em 28 jun 2021, 14h35

Entre atrasos e adiamentos, o nono filme da franquia Velozes e Furiosos chegou aos cinemas do mundo neste fim de semana, tornando-se a primeira grande estreia global desde o início da pandemia. Com o filme, a bilheteria brasileira cresceu, registrando um público de mais de 800.000 pessoas – das quais 680.000 foram ver Vin Diesel no comando de possantes poderosos, segundo levantamento da Comscore. A renda total somou o montante de 15,2 milhões de reais, com 12,5 milhões vindos do filme estreante. Para efeitos de comparação, os dez mais vistos no fim de semana anterior, de 17 a 20 de junho, levaram 345.000 espectadores às salas de cinema e somaram 6,5 milhões de reais – um salto de 138% entre os dois períodos.

Esse é o melhor lançamento desde o começo da pandemia e desbanca o recorde de Invocação do Mal 3, também dono de um primeiro bom desempenho no país. Nessa semana, o terceiro filme da franquia de terror ficou em segundo lugar no ranking, seguido por Cruella. Em termos de bilheteria, o Brasil tem passado por altos e baixos devido a pandemia: apesar de reabertos, os cinemas funcionam com restrição de capacidade, e o aumento no número de casos de Covid-19 tem afugentado o público. Desde abril, os dados de receita oscilam, o que indica que a indústria por aqui ainda pena para se reerguer.

Já nos Estados Unidos, o que se vê é o contrário: o dia de estreia de Velozes e Furiosos 9 arrecadou 70 milhões de dólares (346 milhões de reais), recorde absoluto desde o início da pandemia. Ele segue a esteira de Um Lugar Silencioso 2, que, antes deste fim de semana, encabeçava o marco de bilheteria com 48,5 milhões de dólares (238,8 milhões de reais). A produção de carros velozes que desafiam a gravidade é exemplo de como a indústria cinematográfica americana vem reconquistando fôlego, à medida em que o avanço da vacinação já permite que o público volte às salas de exibição com mais segurança. Outro ponto que reforça o novo embalo cinéfilo é que os cinemas canadenses, também inclusos nas cifras da América do Norte, continuam quase que totalmente fechados – o que indica que os Estados Unidos vêm puxando a fila.

Além disso, Velozes e Furiosos 9 Um Lugar Silencioso 2 estão, literalmente, “em cartaz”: ao contrário de boa parte dos longas com estreia pandêmica, os dois não dividiram as telas do cinema com as do streaming. Segundo David A. Gross,  especialista à frente da empresa de consultoria de cinema Franchise Entertainment Researech, o momento é representativo de como o cinema americano tem tentado se reerguer. “São as leituras mais limpas do que a indústria pode fazer neste momento – duas séries fortes e lançamentos puros nos cinemas, sem streaming”, disse a Reuters.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês