Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

‘Invocação do Mal 3’ alcança a maior bilheteria desde início da pandemia

Impulsionado pelo feriado, o terceiro longa da famosa franquia de James Wan arrecadou 8,4 milhões de reais no Brasil

Por Marcelo Canquerino 7 jun 2021, 16h55

A bilheteria de cinema voltou a crescer no Brasil com um empurrão da estreia de Invocação do Mal 3: A Ordem do Demônio. Segundo dados da Comscore, o longa da famosa franquia de terror criada por James Wan arrecadou 8,4 milhões de reais e levou às salas de cinema um público de 458.120 pessoas entre os dias 3 e 6 de junho. Essa foi a melhor estreia de um filme no país desde o começo da pandemia. 

Impulsionado pelo feriado de Corpus Christi em algumas regiões do país, Invocação do Mal 3 fez com que a bilheteria dos dez filmes mais vistos saltasse de 4,4 milhões de reais, no final de semana anterior, para 12,3 milhões. O público, durante o mesmo período, também teve um aumento significativo: foi de 238.370 pessoas para 667.210. O longa até conseguiu desbancar o live-action de Cruella, que liderava a bilheteria na semana passada, e caiu para a segunda posição (1,9 milhão de reais), seguido de Godzilla vs. Kong (713.990 reais) e Mortal Kombat (484.410 reais). 

  • O Brasil tem passado por altos e baixos em termos de bilheteria devido a pandemia. Na semana passada, por exemplo, houve uma queda na arrecadação em 4,6%, contrariando a tendência de aumento na venda de ingressos que vinha desde abril, com a reabertura de cinemas em algumas regiões e a exibição de filmes do Oscar. 

    Já em países no qual a vacinação contra a Covid-19 avança com maior rapidez, os cinemas começaram a respirar com mais tranquilidade. Nos Estados Unidos, Invocação do Mal 3, que também chegou lá em 4 de junho, ultrapassou a bilheteria de Um Lugar Silencioso 2 arrecadando 24 milhões de dólares, segundo a Variety. Os números surpreenderam e podem indicar a ânsia pelo público de retornar às salas de cinemas, já que o longa também está disponível no HBO Max, plataforma já lançada nos Estados Unidos, sem nenhum custo adicional. 

    Continua após a publicidade
    Publicidade