Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Secretário de cultura inglês pede que ‘The Crown’ seja tratado como ficção

O receio é que a quarta temporada da série da Netflix cause estragos à imagem da monarquia britânica

Por Eduardo F. Filho Atualizado em 30 nov 2020, 14h12 - Publicado em 30 nov 2020, 14h07

A série original da Netflix The Crown chegou ao catálogo do streaming em 2016 contando a história da família real britânica a partir da coroação da Rainha Elizabeth II. Ao longo da jornada algumas polêmicas foram levantadas pelo programa, nas nada se compara à quarta temporada. O programa teria causado animosidade dentro da família real — garantem tabloides ingleses —, e, agora, motivou críticas do secretário de Cultura do Reino Unido, Oliver Dowden. 

Em entrevista ao jornal Daily Mail, o secretário pediu que a Netflix traga um aviso antes de todos os episódios da série afirmando que ela é uma obra de ficção. É uma ficção lindamente produzida, então, como acontece com outras produções de TV, a Netflix deve ser muito clara sobre do que se trata o conteúdo. Sem isso, temo que uma geração de espectadores que não viveu esses eventos possa confundir ficção com fato”, disse o secretário, avisando que vai mandar um pedido formal à Netflix para que essa mensagem seja adicionada à série. 

As exigências de Dowden dizem respeito aos possíveis danos que a quarta temporada da série, focada especialmente na relação conturbada entre Charles e Diana, possa causar à imagem da monarquia britânica. Na quarta-feira, 25, o irmão da princesa Diana, Charles Spencer, disse a uma rede de televisão que “ajudaria muito” se a plataforma declarasse no início dos episódios que “isso não é verdade, mas é baseado em alguns eventos reais. Todos entenderiam que é drama pelo drama”, disse Spencer à ITV

Em 2019, quando estreou a terceira temporada, a produção foi criticada por Dickie Arbiter, ex-secretário de imprensa da Rainha Elizabeth II. Segundo ele, a insinuação de que a monarca teria tido um romance com seu treinador de cavalos de corrida era de “mau gosto e totalmente infundada”. “A rainha é a última pessoa no mundo que consideraria olhar para outro homem que não seja seu marido”, disse Arbiter ao jornal britânico Sunday Times.

A série já ganhou três Globos de Ouro e oito prêmios Emmy e foi assistida por mais de 70 milhões de assinantes, segundo a Netflix. Além do casamento, a quarta temporada de The Crown aborda um assunto considerado crítico pela família real: a luta da princesa Diana contra a bulimia, além de retratar príncipe Charles como um marido frio e infiel. 

Continua após a publicidade
Publicidade