Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Trayvon Martin: polícia queria ordem de prisão para vigilante

Por Brendan Smialowski
28 mar 2012, 12h26

Poucas horas depois do homicídio do adolescente negro desarmado Trayvon Martin, a polícia de Sanford (Flórida) pediu à Promotoria estadual uma ordem de prisão contra o vigilante voluntário George Zimmerman, mas a instituição preferiu aguardar, informou a imprensa.

O jornal Miami Herald publicou um relatório no qual a polícia de Sanford, cidade localizada 400 km ao norte de Miami, onde ocorreu o crime, pede à promotoria do condado de Seminole a apresentação de acusações contra Zimmerman após um caso que oficiais haviam classificado como “homicídio/homicídio por negligência”.

Chris Serino, o detetive que assumiu o caso desde o início, expressou dúvidas sobre a versão do tiro de Zimmerman, um morador da comunidade onde o crime foi registrado em 26 de fevereiro e que atuava como vigilante voluntário, segundo o canal ABC News.

Serino apresentou uma declaração sob juramento na noite do homicídio na qual manifestava a desconfiança a respeito da versão de Zimmerman.

Continua após a publicidade

A procuradora especial da Flórida, Angela Corey, designada pelo governador do estado Rick Scott para o caso, afirmou ao Miami Herald que a promotoria implementou um grande júri que deliberará sobre o fato em 10 de abril.

“Mas antes nada poderá ser feito”, disse Corey.

“Recebemos ordens de detenção ou prisão o tempo todo. Isto não significa que apresentamos acusações de imediato. Nós investigamos para ver se é apropriado. É nossa responsabilidade fazer assim”.

Continua após a publicidade

O caso continua provocando protestos espontâneos de jovens em escolas públicas do sul dos Estados Unidos, assim como em Los Angeles, Atlanta e Filadélfia, enquanto pastores de igrejas da comunidade negra começam a abordar “uma geração hip-hop que pede por seus direitos civis”.

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos, o FBI e a promotoria estadual investigam de forma independente a morte de 26 de fevereiro e a atuação da polícia de Sanford.

Zimmerman, cujo paradeiro é desconhecido, não foi detido em cumprimento à permissiva lei sobre o uso de armas “Defenda sua posição”, que permite aos cidadãos na Flórida usar força letal contra qualquer pessoa que representa uma ameaça séria e concede imunidade na justiça.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.