Clique e assine a partir de 9,90/mês

Seis presos que fugiram de presídio paraguaio foram recapturados

Um deles é brasileiro e foi detido pela PM do Mato Grosso do Sul, quando caminhava descalço pela rodovia BR-463, próximo a Ponta Porã

Por Da Redação - Atualizado em 30 jul 2020, 19h30 - Publicado em 21 jan 2020, 12h01

Quarenta e oito horas após a fuga de 76 presos da penitenciária de Pedro Juan Caballero, no Paraguai, apenas seis detentos foram recapturados. Um deles é brasileiro e foi detido na segunda-feira 20, em Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul, pela Polícia Militar. Luis Alves Cruz caminhava descalço pela Rodovia BR-463, quando chamou a atenção de agentes do Departamento de Operações de Fronteira (DOF), da PM sul-mato-grossense.

Outras três prisões ocorreram na noite de segunda, na cidade paraguaia de Arroyito, a cerca de 150 quilômetros de Pedro Juan Caballero. Os três recapturados são José Enrique Ullon Duarte, Ronald Francisco Britez López e Orlando Manuel Torres Vera. Todos são paraguaios que, segundo suspeita do Ministério do Interior, integram célula do Primeiro Comando da Capital (PCC) no país.

Segundo a Força Tarefa Conjunta, unidade das Forças Armadas paraguaias, que conta com integrantes da Polícia Nacional e da Secretaria Nacional Antidrogas, os três foram detidos enquanto caminhavam pelo acostamento de uma rodovia. As roupas “precárias” e a atitude suspeita chamou a atenção dos agentes, que montou barreiras na região para tentar recapturar os detentos.

Os outros dois fugitivos já detidos são Sabio Darío Gonzáles Figueredo, localizado em uma residência próxima à penitenciária regional de onde havia escapado, e Charli Antonio Giménez Martínez. De acordo com o jornal paraguaio ABC Color, Martínez não chegou a alcançar a rua. Foi apanhado no interior do túnel de cerca de 15 metros, que os detentos cavaram para supostamente escapar da penitenciária regional. As autoridades paraguaias suspeitam que parte do grupo deixou o presídio pela porta da frente, com a anuência de agentes penitenciários.

Continua após a publicidade

“Já nos dias anteriores, vários dos fugitivos teriam deixado a prisão pela porta principal. Isso implica que, com efeito, toda a penitenciária está envolvida”, disse na segunda o ministro do Interior, Euclides Acevedo.

Tão logo a fuga se tornou pública, o chefe de Segurança, Matías Vargas, e o diretor da penitenciária, Cristian González, foram demitidos e cinco agentes penitenciários foram presos. A ministra da Justiça, Cecilia Pérez, disse que “a possibilidade de envolvimento de agentes penitenciários corruptos” é alta e que a maioria dos detentos que escaparam integra a organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC).

(Com Agência Brasil e IP – Agência de notícias pública do Paraguai)

Publicidade