Clique e assine a partir de 9,90/mês

Vice-ministro e algoz do PCC renuncia ao cargo no Paraguai

Ex-procurador Hugo Volpe foi citado em investigação de corrupção conduzida por autoridades brasileiras

Por Eduardo Gonçalves - Atualizado em 20 jan 2020, 20h26 - Publicado em 20 jan 2020, 20h16

O vice-ministro de Política Criminal do Paraguai Hugo Volpe renunciou nesta segunda-feira ao posto no dia seguinte à fuga de 76 presos da penitenciária de Pedro Juan Caballero, que faz fronteira com o Brasil, ocorrida na madrugada deste domingo, dia 19.

Hugo Volpe era uma figura conhecida no Paraguai por ser um dos principais algozes do PCC. Antes de ser nomeado ao cargo no Ministério da Justiça em novembro de 2019, ele foi procurador por dezenove anos sendo responsável pela prisão de diversos líderes de facções criminosas, como PCC e o Comando Vermelho – Volpe, aliás, andava sempre de escolta armada e recebia constantes ameaças do crime organizado.

A renúncia ocorre após uma investigação feita por autoridades brasileira que o apontaram como suposto participante de um  esquema de corrupção no Ministério Público paraguaio.

“É uma denúncia formal, apresentada por um procurador brasileiro, recebida pelo Ministério Público [paraguaio] do Ministério da Justiça brasileiro e de que tomamos conhecimento esta manhã”, disse a procuradora-geral do país, Sandra Quiñonez. A procuradora também informou que ela e sua equipe estão analisando um calhamaço de mais de 3.500 páginas de investigações enviadas pelo Brasil.

Continua após a publicidade

Quando assumiu o cargo de vice-ministro, Volpe deu declarações de que trabalharia para evitar fugas e massacres no sistema penitenciário paraguaio.

Publicidade