Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Jovem acusa soldados de tortura na Vila Cruzeiro

Agressão teria ocorrido no sábado, antes da chegada do príncipe Harry. Exército vai apurar denúncia, mastrabalha com hipótese de orquestração

O Exército instaurou um Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar a denúncia de tortura de um jovem de 22 anos, morador da Vila Cruzeiro, por militares da Força de Pacificação. O suposto crime aconteceu na madrugada de sábado. O caso, que foi registrado na 22ª DP (Penha), é apontado pela própria vítima como a causa do conflito entre moradores e soldados, pouco antes da chegada do príncipe Harry ao Complexo do Alemão, conjunto de favelas vizinho.

O rapaz conta que, por volta das 4h30, descia uma das ruas da favela com a namorada, quando viu uma patrulha do Exército abordar um grupo de traficantes. Durante a fuga dos criminosos, os militares o acusaram de pertencer ao bando. Em seguida, ele teria sido colocado dentro de um jipe e levado para a mata, onde foi espancado e torturado com choques e spray de pimenta. O jovem teve o braço direito quebrado e escoriações no rosto.

Depois das agressões, o jovem relata que conseguiu fugir rolando por uma ribanceira. De lá, seguiu para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, mas não avisou aos familiares. Ele só reapareceu na favela poucos minutos antes da chegada do príncipe. O comando da Força de Pacificação promete investigar o caso e punir os culpados, mas também trabalha com a hipótese de que o episódio tenha sido orquestrado por traficantes.

Os depoimentos da namorada da vítima e de um mototaxista que ajudou a socorrê-lo serão fundamentais. o inquérito deverá ficar pronto em 40 dias.