Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Os detalhes da nova portaria sobre aborto publicada nesta quinta

Novo texto altera ponto polêmico, segundo antecipou o Radar, mas mantém comunicação à polícia

Por Mariana Muniz Atualizado em 24 set 2020, 09h16 - Publicado em 24 set 2020, 06h52

Como o Radar antecipou, o ministério da Saúde republicou nesta quinta-feira a polêmica portaria que define as regras para o aborto em casos de estrupo – previsto em lei. A nova versão da norma está no Diário Oficial e é assinada pelo ministro Eduardo Pazuello.

O novo texto, costurado pela Saúde com a bancada feminina da Câmara, retira o polêmico artigo que determinava a informação à mulher sobre a possibilidade de visualização do embrião por meio de ultrassonografia – que recebeu inúmeras críticas por parte de especialistas e também de autoridades.

  • A publicação mantém a orientação de que os profissionais de saúde, diante de casos em que haja indícios ou confirmação de estupro, comuniquem o fato à polícia. Interlocutores do ministro apontavam que, apesar das críticas, este ponto não seria alterado já que a regra é uma adequação da portaria às mudanças no Código Penal que mudaram a natureza da ação penal nos casos dos crimes sexuais.

    Publicidade