Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Como será a nova portaria do Ministério da Saúde sobre aborto

O novo texto foi construído pelo ministério em parceria com a bancada feminina da Câmara

Por Mariana Muniz - Atualizado em 16 set 2020, 07h58 - Publicado em 16 set 2020, 06h23

A nova versão da portaria do Ministério da Saúde que estabelece as regras para o aborto legal no SUS deve ser publicada até o final desta semana. O Radar antecipou que após as duras críticas à norma, Eduardo Pazuello iria rever a publicação.

Uma fonte ligada à pasta afirma que o texto manterá a obrigatoriedade de aviso à polícia por parte dos profissionais de saúde quando a mulher pedir para para interromper uma gestação por estupro. O motivo seria a necessidade de adequar as normas à legislação atual. 

A nova portaria, porém, irá retirar pontos considerados polêmicos por especialistas, como a exigência de que os médicos informem à mulher a possibilidade de ver o feto em ultrassonografia e a obrigação de que as vítimas assinem um termo de consentimento com uma lista de possíveis complicações do aborto. 

O novo texto foi construído pelo ministério em parceria com a bancada feminina da Câmara dos Deputados.

Continua após a publicidade
Publicidade