Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia e Mariana Muniz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Ministra se diz suspeita para julgar desembargador que ofendeu advogada

Corregedora nacional de Justiça declarou motivo de "foro íntimo" para não analisar apuração sobre conduta de magistrado

Por Mariana Muniz 8 abr 2021, 11h48

A ministra do STJ Maria Thereza de Assis Moura, corregedora nacional de Justiça, se declarou suspeita para julgar a reclamação disciplinar que apura  a conduta de um desembargador que chamou publicamente uma advogada de “vagabunda desqualificada”, “desonesta” e “sacana”. 

Em outubro de 2020, Maria Thereza reconsiderou uma decisão de arquivamento da apuração de infração disciplinar contra Tutmés Airan, desembargador do Tribunal de Justiça de Alagoas. Ele teria feito ofensas contra a advogada em áudios divulgados via WhatsApp em um grupo com jornalistas. 

Nesta quarta-feira, porém, a ministra deu uma decisão declarando-se suspeita “por motivo de foro íntimo”. Agora, o caso será redistribuído para outro integrante do CNJ.

Publicidade