Blogs e Colunistas

27/12/2012

às 14:00 \ Vasto Mundo

O bilionário emirado de Dubai, “onde o dinheiro não tem qualquer outro objetivo que não seja sua multiplicação e endeusamento”

Burj Al Arab, em Dubai: o hotel mais caro do mundo tem suítes de dois andares e uma frota de Rolls-Royces à disposição dos hóspedes

 Publicado originalmente em 20 de abril de 2011

Campeões de Audiência

Amigos, foi só falar no emirado de Catar (leia post) e, por coincidência, dei com um texto extraordinário sobre outro emirado bilionário, Dubai – aquele das gigantescas ilhas artificiais com milhares de casas de luxo, dos edifícios altíssimos, do hotel em forma de vela, o Burj Al Arab, que se diz o mais luxuoso do planeta e coloca à disposição dos hóspedes uma frota de Rolls-Royces, do hipódromo de 3 bilhões de dólares, da pista de esqui, com neve e tudo, funcionando enquanto fora há um calor de 50 graus.

ilhas-artificiais-dubai

Ilhas artificiais em Dubai

Trata-se de um artigo do jornalista escocês A. A. Gill, crítico de gastronomia do jornal britânico The Sunday Times e da revista norte-americana Vanity Fair.

A Vanity Fair enviou-o a Dubai e o resultado, na edição de abril, é uma pequena obra-prima sobre a insânia de tentar construir um paraíso artificial inteiramente descolado de sua realidade social, política, histórica e geográfica – que, além de tudo, está entrando em colapso financeiro.

Gill se horrorizou com a arrogância e o vazio da vida dos jovens milionários nativos, com a vida difícil e a situação precária dos trabalhadores estrangeiros, sem os quais Dubai ainda seria a aldeia de pescadores que era há 20 anos, com um país sem identidade e sem valores, onde os forasteiros com dinheiro podem muito, mas cujo regime político, sob o brilho, o luxo e o desperdício de um capitalismo delirante, é totalitário, retrógrado e corrupto.

"Dubai é Las Vegas sem os cassinos, as dançarinas ou Elvis"

Leiam esse trecho do texto:

“Dubai é a história dos três desejos na qual, como todo garoto sabe, com o terceiro desejo você tem direito a exprimir três novos. E, como todo gênio da lâmpada sabe, mais desejos levam a mais ambição, a mais miséria, a mais créditos podres, e a muito, muito, muito mais mau gosto.

“Dubai é Las Vegas sem as dançarinas, sem os cassinos e sem Elvis.

“Dubai é uma Disneilândia financeira sem a diversão. É um resort de férias com o pior clima no planeta.

“(…) Dubai é a parábola do que o dinheiro é capaz de fazer quando não tem qualquer outro objetivo que não seja sua própria multiplicação e endeusamento.

“(…). Dubai é um lugar que não toma conhecimento do preço de nada, nem conhece o valor de nada – mas faz com que tudo deixe de ter qualquer valor”.

Infelizmente não há versão do artigo que não seja em inglês.

Se você quiser ler o artigo e apreciar as ótimas fotos clique aqui.

LEIA TAMBÉM:

Dubai: a “Disneylândia financeira” acusa o golpe da crise e ensaia rever seu modelo econômico


dubai163

Dubai à noite

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

75 Comentários

  1. Jornalista Kirk Douglas

    -

    25/10/2014 às 19:14

    Dubai é a autêntica Sodoma e Gomorra informatizada.

  2. OBSERVADOR ESTRANGEIRO.

    -

    20/10/2014 às 21:58

    Sra. Nazareth, em Dubai o poder e exercido pelo Estado. na pessoa dos governantes hereditarios, nao eleitos. Os trabalhadores, muitos explorados, sao o que a senhora chama de burguesia, ou seja, sao os empreendedores que vieram de fora para construir Dubai, a exemplo dos burgueses artesaos e camponeses da europa medieval que trabalhavam e pagavam pesados impostos aos senhores feudais, ou seja, o estado.

  3. Nazareth

    -

    12/10/2014 às 13:23

    Dalberto Jacometi Lima,está coberto de razão,esse senhor que fez um longo comentário abaixo.
    A burguesia fede,se houvesse mais partilha,não haveria tanta miséria,não sou rica tenho uma vida razoavelmente confortável,mas fico triste quando estou sentada a mesa comendo uma comidinha quentinha e gostosa e muita gente procurando o que comer em latas de lixo,mas agradeço todos os dia a o Grande DEUS pela minha vida e de minha família por nunca ter faltado o páo e pela mãe maravilhosa que tenho,pois sempre está a disposição de Deus para ajudar o próximo através da igreja de Cristo,pois o cristianismo é isso amar e ajudar o próximo,Jesus veio para isso,a verdadeira igreja de Cristo é isso,teremos que dar contas a Jesus das obras feitas aqui nesse mundo,as boas e as ruins.
    Que DEUS misericórdia de todos nós pecadores!
    Como disse Pedro e Simão,não tenho Ouro e Prata também não,mas o que tenho eu vos dou,não estou dizendo para se desfazer de nada,mas se cada um de nós dermos uma ajuda com certeza não haveria tanta miséria nesse planeta lindo que DEUS criou.

  4. Juliano

    -

    05/05/2014 às 18:12

    GENTE POR FAVOR! LENDO OS COMENTÁRIOS POSTADOS AQUI, FIQUEI HORRORIZADO COM OS ERROS DE PORTUGUÊS. VAMOS ESTUDAR A NOVA GRAMÁTICA, PARA QUANDO FORMOS CRITICAR ESCREVER DE FORMA QUAL TODOS POSSAM ENTENDER. OBRIGADO.

  5. joao

    -

    29/01/2014 às 14:40

    Interessante toda a polêmica e opiniões dos leitores. O fate é: O Sheik Mohammed bin Rashid al-Maktoum pode ser tudo, menos incompetente e canastrão. Anteviu o escasseamento do petróleo e visionário que é transforma DUBAI, dia a dia, em um grandioso parque de diversões com tudo a que tem direito para justamente prosperar, criar oportunidades aos seus habitantes e depender cada vez menos do ouro negro. Deve ter lido direitinho “Quem mexeu no meu queijo” se antecipando ao inexorável!!! Pode ser tudo, mas com certeza é exemplo de que quando se quer realmente, tudo é possível. Se com uma arrecadação de trilhões ao ano o BRASIL NUNCA DECOLA, não é por falta de dinheiro. É falta de vergonha na cara, da corrupção desenfreada, da BURRICE CONTUNDENTE DOS BRASILEIROS, MINHA INCLUSIVE, da falta de um estadista que tenha orgulho de fazer nosso país prosperar! E fala sério, que não gosta de $$$, luxo, boa vida, diversão, segurança, OPORTUNIDADES de empreender ou prosperar?? Só àqueles que vivem de BOLSA FAMÍLIA e de dinheiro da corrupção!! VIVA O SHEIK, VIVA DUBAI!!!

  6. bismael

    -

    19/10/2013 às 15:07

    ehhhb noisssssssssssss cris brown

  7. bismael

    -

    19/10/2013 às 15:06

    sou vida loka e ah nimha vida eu desindo estou ponto

  8. wayne hood

    -

    09/09/2013 às 0:54

    - Você é um bom músico ou de um negócio
    homem / mulher ou apenas qualquer
    trabalhador e você precisa de dinheiro em excesso
    e
    você também quer ser famoso e
    rico aqui é sua chance de se tornar um membro do Illuminati e se tornar um
    Estrela em sua vida. Se você realmente é
    interessado em se tornar um
    membro de pleno direito e não o illuminati
    hesitar
    por e-mail e nós também queremos que você saiba que não há nenhum
    que é o de determinar o seu futuro, porque
    Seu futuro está em suas mãos direita
    se juntar a nós agora e se tornar um
    ser humano responsável ok, então e-mail
    -nos agora em
    (wayneilluminatiagent@gmail.com) é
    interessado
    tornar-se rico e poderoso.
    Esta oportunidade está definido para aquelas pessoas
    nós estávamos pensando em como se tornar rico em contato conosco e vamos dizer
    você era a filial mais próxima
    você pode adorar, venha agora para receber
    InTouch
    com o dinheiro não há nada a
    medo sobre, nós divulgamos abertamente É por isso que nós enviamos
    agente para a internet.
    Então, nós respondemos agora está pronto para ficar rico

  9. abdala

    -

    31/08/2013 às 12:54

    eu vejo essas imagens, apenas quero convidarem lhes vir investir tambem no meu pais tenho terra para se investir em construçao de hoteis, campo de golfe e outros. Os interessados estao convidados

  10. morgana

    -

    21/08/2013 às 12:42

    la ele fazen obras encima de areia,aqui tem terra no brasil e o governo nao conseque.

  11. Patrícia

    -

    20/07/2013 às 22:57

    Vcs por acaso viram a notícia sobre a norueguesa que foi condenada a 16 meses de prisão por ter denunciado um estupro? Dentre outros casos? É só colocar no Google e aparecem vários. Por que lá, um homem só é condenado por estupro se ELE se entregar ou se houverem 4 testemunhas HOMENS, isso vai acontecer quando? NUNCA,ou seja, estupro lá é PERMITIDO. Vcs dizem que este lugar é um paraíso? Sério? Viva ao mundo em que vivemos, onde riqueza faz as pessoas perderem o senso de justiça! Aff

    “Vocês dizem que este lugar é um paraíso”?
    Vocês quem, cara-pálida?
    Você não percebeu que este post é CRÍTICO para com Dubai?

  12. Guilherme

    -

    01/07/2013 às 22:42

    Dubai e um dos lugares mais livres do mundo, la soh esta mal quem realmente nao faz nada o dia todo…porque ninguem eh obrigado ajudar um vagabundo…o que nao ha por lah…vagabundos …Gosta de copmeticao e seriedade nos negocios…eu tbm…pena ter que dar parte do nosso trabalho pra quem eh vadio

  13. Carlos Eduardo Costa

    -

    03/06/2013 às 2:09

    Desejo:
    Gostaria de saber, sou o surdo, gostaria de interessante na lugar em DUBAI mas nunca nem conheço lá.. em breve do futuro.. sou o simples mtos… Quero mto conhecer na lugar esse é Dubaí..
    Aguardo a sua mensagem e Obrigado!

    Não entendi bem o que você pediu, caro Carlos Eduardo. Mas praticamente tudo a respeito de Dubai você encontra pesquisando na Internet.
    Um abraço

  14. Roque Borges

    -

    05/05/2013 às 12:43

    Será que valeria a pena conhcer Dubai???? Quantos dias seria o bastante para conhecermos tudo?

  15. Roque Borges

    -

    05/05/2013 às 12:38

    Essas igrejas tudo por dinheiro são patéticas. Se cansaram de encher os bolsos no Brasil, querem explorar os miseráveis da Africa. Espero que o Lula não entre nessa.

  16. juarez barboza

    -

    23/04/2013 às 22:41

    Infelismente, existem muitas pessoas que creticam os Bilionários Árabes, pessoas que nadam em dinheiro, através de seus poços de Petróleo. Pois bem, sãopessoas, invejosas, fracassadas,derrotadas que se deixem levar pelos seus fracassos, nunca conquistam e ainda por cima tentam, usar o fracassos de outras pessoas, através de emocionalismos, baixos tentando chegar em algum lugar, que pena.KKKKKKKK

  17. emidio leite da silva neto

    -

    01/04/2013 às 20:44

    quero saber se presciso de passaspte para ir para DUBAI e quais requisitos sao exigidos so academico de DIREITO moro MATO GROSSO me enviem as resposta pór email

    Caro Emidio, essas informações devem ser obtidas com agentes de viagens ou embaixada. Abraço, e boa sorte.

  18. moacir

    -

    04/01/2013 às 17:59

    Setti,
    Desde ontem que estou torcendo pela galera que na Justiça,foi atrás de liminares para ter acesso às
    correções das redações do Enem.
    De repente,fiquei imaginando aqueles professores
    corrigindo 4 milhões de textos…e meu coração transbordou de solidariedade…

  19. Dalberto Jacometi Lima

    -

    03/01/2013 às 0:08

    Há….!!!!!!
    a insustentável levesa do ser….!

    Sete bilhões de habitanres no planeta, e acredito que é ráro encontrar seres humanos verdadeiros, de onde vem tamanha individualidade, que desejo de ter e obter cada vez mais, e acumular desesperadamente como se fossem viver eternamente.
    Quando nós seres humanos vamos aprender a repartir, e acabar com este DESEJO de escravisar as pessoas em pleno terceiro milênio, onde quer que tenha algum tipo de progresso e consequentemente riquezas, rapidamente é instalada uma senzala para os fracos e oprimidos, que serão explorados o máximo possível, maquiados com um MALDITO SALÁRIO, que odeio esta MADITA PALAVRA, que para mim é sinônimo de ESCRAVIDÃO EM QUALQUER LUGAR DO MUNDO, e pronto está instalado o circo de horrores para EXÊNTRICOS MILIONÁRIOS, que invistam seu maldito dinheiro sabe-se lá como é conquistado, sem generalizar, a realizar seus desejos talvez reprimidos em sua fácil INFÂNCIA, dai inventam de construir uma MADITA CIDADE NO MEIO DO NADA, sugando assim profissionais de todas as áreas possíveis do planeta para sua ILHA NO MEIO DE UM “AREIAL GIGANTE ” com suas contruções faraônicas, por simples capricho e ” PODER ” .
    Hoteis sofisticados, ilhas artificiais, gelo no deserto, imagine frotas de Rolls-Royces para paparicar gente de muito dinheiro, que não sabem o que fazer para gastá-lo, quer dizer, sabem sim, é que são egoistas mesmos, e nem imagino o que deve ter nesta SODOMA E GOMORRA DO TERCEIRO MILÊNIO, enterrada no meio do deserto, enfim para mim é o cúmulo do disperdicio, quem quiser achar que sou um invejoso, ou um frustrado que não posso posso conhece-la, nem que me dessem uma suite de graça nesta torre mais alta que é este hotel, rejeitaria.
    Porque sou um HUMANISTA, de mão cheia e um ser que transborda COMPAIXÃO PELAS PESSOAS, principalmente pelos fracos e oprimidos, mas tambem PELOS PSEUDOS RICOS E “ENTENDIDOS”, e porque digo isso, porque a maioria não enxerga um palmo alem do nariz mesmo com toda sua fortuna, e são muito primitivos mentalmente falando, como ja dizia Rau Seixas: VOCE SÓ USA DEZ POR CENTO DE SUA CABEÇA ANIMAL, se o homem tivesse domínio próprio, não existiria posses no mundo, não existiria essa DOENÇA,chamada ELITE, não existiria BILIARDÁRIOS E NEM MILIONÁRIOS, MUITO MENOS LUGARES PREVILEGIDAOS PARA ENDINHEIRADOS, tem alguma coisa estragada nesta vida, porque desde de que o mundo é mundo, o homem acumula mais do que precisa, e ai vemos essa anarquia desenfreda no planeta inteiro, onde homens HUMILHAM, seu semelhante criando fronteiras ELITIZADAS, limitando territórios para que poucos possam usufruir.
    Onde quero chegar é o seguinte, quando visitamos um HOSPITAL DO CÂNCER, e vemos alguem em fase terminal, vemos o quanto somos primitivos, pequenos e frágeis, e gastamos FORTUNAS, em “bobagens” que o tempo e a ferrugem irão consumir, e não investimos fortunas nos estudos para a cura do CÂNCER, que é uma doença mortal…!!!! e consome a pessoa em vida silensiosamente, e a mata sem piedade em poucos meses ou dias.
    O que está acontecendo com o ser humano…????
    Eu li todos os comentários abaixo, e fiquei estarrecido e tive muita compaixão dessa pessoas, posso ver em suas palavras a SOBERBA DO SENTIMENTO DE PODER E LUXÚRIA, e com ceteza todas elas talvez não tem nem idéia do que é ser BILIARDÁRIO, sem alma, sem espírito SEM COMPAIXÃO, porque seus comentários cheios de SOBERBA, falam de um lugar com tanto GLAMUR, que é para poucos, porque esta é a natureza humana, se GABAR AO MÁXIMO, eu vi só um mencionar DEUS mas de uma forma meio mecãnica, associando Ele a essa construção no meu ver OBSOLETA, quando entro no google e vejo FOME NO MUNDO, fico arrepiado com a humanidade, famílias inteiras jogadas as traças, famintas, doentes, sem ter onde morar, comer, vestir banhar-se, brincar, sorrir, dormir, ter um pouco de felicidade.
    Então olho do outro lado do planeta uma cidade construida no meio do nada, projetada para poucos usufruir, e pronta para sugar o dinheiro alheio com suas atrações “BOLHA DE SABÃO”, é linda mas um simples toque desaparece como um sonho.
    E nem imaginamos o que acontece entre suas PAREDES DE OURO, que pena sete bilhões de habitantes, mas a maioria NÃO SABE NEM QUE ESTÃO VIVOS, porque só pensam neles mesmo, e tenho notado, estes que menos tem são os mais metidos a cultos, inteligentes e viajados, contando suas viagens ôcas e inuteis, que não acrescentam nada na ESFERA DA VERDADEIRA VIDA como teve um ai que narrou as luxúrias dests cidade de “AREIA” existem muitas Dubai por ai, desperdício escancarado de dinheiro, e pouco ou quase nada de investimento na cura de doenças MORTAIS, que existem ainda, e quando os BILHARDÁDRIOS E MILIONÁRIOS e inclusives todos esses comentarístas supostamente podeM ser acometidos por alguma doença MORTAL que existe e que fique bem claro não estou desjando doença para ninguem, ai cai toda a MAJESTADE de qualquer um, e talvez vão se lembrar que DEUS existe para chama-lo e pedir misericórdia, mas ai é tarde demais, Dubai já éra com toda sua fortuna “BOLHA DE SABÃO” vai desaparecer apenas para os supostos doentes, que quando eram sadios, não tinham tempo e nem “DINHEIRO” para investir na cura de uma doença que derrepente irá matá-lo, isso não é irônico, VOCE SÓ USA, DEZ POR CENTO DE SUA CABEÇA ANIMAL, estão preocupados em descobrir se tem água em MARTE, se aqui em nosso planeta tem lugares que não tem água POTÁVEL ainda…!
    È o cúmulo do egoísmo, idolatram uma cidade no meio do nada, e não são capazes de sentir o dôr do vendedor de “BALAS” nos farois da vida como ja dizia um música do velho CAZUSA, e tem a mais uma,”A BURGUESIA FEDE” sem generalizar, existem muitos ricos bons de coração, e muitos pobres miseráveis de sentimento, meu objetivo aqui não é CRITICAR os ricos, mas eu diria que talvez com toda humildae gostaría sim de EDUCA-LOS,financeiramente falando, quem sabe curá-los da doença chamada GANÂNCIA, e instruí-los a gastar seu rico dinheiro em causas realmente IMPORTANTES e sem fim lucrativos pelo menos uma vez, investir sem esperar nada em torca de vez em quando, e não contruir cidades IDIOTAS no meio de um deserto visnado sempre lucro, e sim ver o sorriso de uma criancinha pobrezinha, ganhar uma casa pequena mas confortável o bastante para alojar não só ela como toda sua família, e dar condiçao de trabalho díguino para seu o provedor o Pai, mante-los vivos e saudáveis, isto sim seria um belo investimento sem fins lucrativos, não é dar ESMOLA não é organizar e produzir para que todos vivam bem, e a MISÉRIA DESAPAREÇA DO PLANETA, talvez eu seja um sonhador, mas eu acredito ainda que existe o verdadeiro ser humano, sim aquele que DEUS TODO PODEROSO CRIOU, sem manchas, limpo como um CÉU AZUL, eles ainda estão por ai, precisamos apenas acordá-los e ensiná-los a AMAR SEU SEMELHANTE, e fazer deste planeta um PARAISO, e não ficar criando lugares paradisíacos, enquanto nossos irmãozinhos não tem nem um pãozinho e um simples copo d’agua potável para beber, se é que me entendem…!!!
    Prestem atenção: ALI ONDE ESTÁ O SEU TESOURO, ALI TAMBEM ESTARÁ O SEU CORAÇÃO, desapegue, reparta mais com os outros e nunca irá de faltar, mas não pense em dar esmola não, se tiver que dar uma camisa, vá em uma loja compre uma nova e faça a doação, voce gostaría de ganhar alguma coisa ja usada..? não né, então não faça o mesmo com a pessoa que voce quer ajudar, se não é melhor nem dar na minha opinião.
    Nesta vida tudo é ILUSÃO, leiam o livro de ECLESIASTE na Bílblia e voces verão do que estou falando, e aos MILIONÁRIOS DE PLANTÃO, invistam seu dinheiro na CURA DE DOENÇAS MORTAIS, nós ja temos cidades de mais no planeta, vamos viver um pouco mais no campo, deixem o VERDE invadir suas ALMAS, e quando viajares, que suas viagem sejam tambem para algum benefício do próximo, e não só para voce, ajude a concertar este planeta de alguma forma, se for um profissional em qualquer área, doe pelo menos uma hora de trabalho na sua especialidade ou mais, se for um dentista, um médico, um veterinário, um pedreiro, pintor, um marceneiro, um enfermeiro, padeiros, piloto, um arquiteto, um engenheiro enfim doe-se cada vez mais e voce verá que as cercas e os muros começarão a serem mais baixos, o medo vai começar a desaparecer, vai sobrar mais para o outro, teremos mais para todos, não precisaremos mais nos trancar-mos em casa com medo até da sombra, e nem lotaremos as penitenciarias de jovens abandonados a própria sorte, e sem um futuro nenhum, isto não é UTOPIA, é pura realidade, este é o lance que JESUS CRISTO veio nos mostrar que podemos viver me paz quando relamente puder-mos AMAR O PRÓXIMO COMO A NÓS MESMO… a nossa origem é do bem, que me desculpem os ATEUS, mas nós viemos de DEUS, acreditem se quiser, se não quiser é um problema exclusivamente deles….

    Eu creio em Deus o ser supremo e bondoso que nos AMA MESMO COM AS NOSSAS RABUJISSES, AO PONTO DE DUVIDAR-MOS DE SUA EXISTÊNCIA, E SER-MOS CAPAZES
    DE GASTAR UMA FORTUNA CONSTRUINDO UM CIDADE NO MEIO DO NADA, ~”QUANDO NÃO HÁ GALINHA EM MEU QUINTAL” FRASE DE UMA MUSICA DE RAU SEIXAS, O CARA ÉRA FÉRA…e tem muita gente que achava que ele éra só um drogado e alcólatra, será…!!!
    Duvido…

    Dubai é para mim como uma BOLHA DE SABÃO, a qualquer momento pode desaparecer.

    A FOME AINDA ASSOLA O PLANETA, QUE PENA.

    Ciao Bellos.

    POBRES MORTAIS….!!!!

  20. moacir

    -

    28/12/2012 às 7:39

    Errata:
    Desculpem e por favor leiam no último parágrafo
    sitiada e CONSUMISMO

  21. moacir

    -

    27/12/2012 às 23:37

    Setti,
    Há mais de trinta anos,depois de terminar uma pós-graduação em Turismo na Itália,resolvi fazer il giro del mondo.Foram 3 anos com o pé na
    estrada e uma mochila nas costas.De volta
    ao Brasil – ninguém se perde na volta – virei homem
    sério,marido,pai e empresário de …Turismo.
    Daí meu apego ao vasto mundo.Sou do mundo. Enquanto a gente viaja,tudo vai se transformando.A pátria é todo e qualquer lugar onde fomos felizes,fizemos amigos,curtimos as suas curiosas histórias, com eles dividimos uma refeição,tomamos uns copos e ouvimos uma música desconhecida.Conterrâneos passam ser todos aqueles que descobrimos iguais a gente,não importa a cor,a religião,a cultura,a latitude ou a longitude.Os valores tem que valer pra todo mundo e, portanto, se tornam universais.A dor também se alarga pra nela caber a do mundo – a Weltshmerz – o cansaço e a tristeza pela inadequação e a crueldade do mundo físico e social.A língua não pode ser só a nossa,aquela mãe,pois torna-se vital que a gente estabeleça a comunicação fora dela.
    Viajar é minha paixão e meu ofício.Conheço Dubai e vou discordar do A.A.Gill,parcialmente.
    O cara tem uma língua ferina.Ele já declarou ser Las Vegas ** o pior lugar do mundo**,já chamou a população de Wales de ** pequenos ogros briguentos** e os ingleses de ** gordo e deprimido rebanho**.Quando ele não gosta,cuidado…
    Não que ele não tenha um bocado de razão ao dizer
    que Dubai é **what money would look like if it were left to its own devices**.Com certeza Dubai
    é o que o dinheiro pode comprar e não o que ele deveria comprar.Porém…..
    Todos deveriam visitar Dubai.Dubai não é um destino.Deve ser uma parada a caminho de um outro destino.Que no nosso caso foi a China.
    Acredite,foi gostoso conhecer a bizarrice de Dubai.Como a cidade é compulsiva em ter o mais alto isso,o maior aquilo,o mais caro tudo,vale a pena sair conferindo.Cheguamos à conclusão depois de ver o Burj Khalifa, o Burj Al Arab,o Mall of Emirates,o Dubai Mall,Palm Islands
    etc que é tudo caro,inútil,e até ridículo mas impressionante.
    Lá encontramos zero cultura – os derradeiros resquícios a gente vislumbra nos souks,o do ouro e o das especiarias,em Madinat Jumeirah e seus canais
    artificiais e em Dubai Creek,onde se a gente pega
    um abras ( barco-táxi ) consegue imaginar a vida há 40 anos atrás,quando todos eles pescavam pérolas.De resto,depois dos campos de golfe e do tal hipódromo,o deserto é belo.
    Os expatriados qualificados,vindos dos quatro cantos do mundo,vivem bem,obrigado.Os brasileiros
    não pensavam em voltar e lá fincam raízes e formam suas famílias.Quanto aos 75% de asiáticos,tive bastante contato com motoristas indianos.Como passei 9 meses na Índia,termino virando amigo de
    infância dos indianos que vou encontrando nos taxis da vida.Os de Dubai,reclamam apenas da saudade da família.Ganham em Dubai em 1 ano, aquilo que
    levariam 5 anos pra juntar na Índia.Não pagam impostos,tem alojamento e saúde pública.Estão ali de passagem,fazendo um pé de meia,economizando para o dote da filha,a casa própria, o capital para abrir seu próprio negócio.Ninguém demonstra insatisfação.A vida é assim mesmo,dizem,e sorriem.
    Chamou-nos a atenção a impressionante qualidade do transporte público: ônibus com paradas climatizadas,metrô de luxo dividido em classes.
    Dubai é infernalmente quente.Praia eles só devem frequentar no inverno.Falar nisso é engraçado a gente num Mall poder esquiar e em outro patinar enquanto lá fora a temperatura é de 50 graus…
    Eles sabem muito bem que o petróleo é finito e estão investindo na abertura de várias outras portas.O turismo cresce,a aviação de carga e passageiros idem.Tem fábrica de tudo e por todos os lados,todas as grandes empresas mundiais estão ali representadas.É uma cidade operosa.
    A educação é de excelente nível,inclusive com filiais ou branches de universidades americanas
    (Michigan State University,Rochester Institute of Tecnology, American University,New York University)
    Dubai,teoricamente seria um daqueles lugares fadados ao insucesso seja pela opressão do deserto stiando-a,pelas desigualdades sociais,pelo comsumismo desenfreado, mas onde,paradoxalmente,
    os índices de Felicidade Interna Bruta se mantém,apesar da crise,elevados…
    PS – Conhecemos uma brasileira casada com um apaixonado beduíno.Coberta da cabeça ao dedinho do pé, a moça nos pareceu feliz da vida e totalmente adaptada.Pode?
    Sensacional o seu relato. Muito enriquecedor para quem quer conhecer um pouco mais Dubai.
    Muito obrigado.
    Abraço

  22. chagas

    -

    27/12/2012 às 14:55

    Sr. Colunista.
    Segundo o vídeo, temos um metal superior ao ouro e detemos 98% desse metal..

    http://www.youtube.com/v/YRuHMopKkfc?version=3&hl=pt_BR&rel=0
    Nào deixe de assistir este video e tambem a continuação. Repasse para todos os seus contatos pois é de extrema importâcia.Temos obrigação de ver este vídeo
    Fazendo a minha parte – repassando do Gigio
    http://www.youtube.com/v/YRuHMopKkfc?version=3&hl=pt_BR&rel=0

  23. natalia beatriz

    -

    18/09/2012 às 7:37

    NÃO GOSTEI. POR QUE NÃO SERVIU PARA QUE EU PEDI!

  24. paulo a azevedo

    -

    27/08/2012 às 18:38

    nosa essa cidade e linda e maravilhosa mais podera cauzar um efeito colateral para a natureza?

  25. EPITACIO

    -

    19/08/2012 às 16:23

    ESSA E CIDADE DE PRIMEIRO MUNDO DUBAI CIDADE MARAVILHOS BJSSS DUBAI

  26. yrany

    -

    09/08/2012 às 14:02

    deus e lindo dubai maravilhosso

  27. Soraya Chiah

    -

    20/06/2012 às 4:04

    Moro em Dubai e sou Guia de Turismo ..moro aqui desde 2004. Concordo em partes com o que foi dito sobre Dubai. Não é uma cidade perfeita, tem muitos defeitos como também muito pontos positivos.
    A questão da segurança é um dos aspectos mais importantes. Em 8 anos aqui nunca soube de algum amigo, vizinho, amigo de vizinho que tivesse carro roubado. Não que não ocorra este tipo de crime, mas o índice é baixo.
    Quando saimos e largamos o carro em algum lugar, sabemos que quando voltarmos o carro tá lá..bonitninho nos esperando !!
    Agora a assunto ref a situação dos trabalhadores asiáticos por aqui é lamentável, acredito que podiam oferecer condições melhores para eles. Mas também o EAU fica a dois passos da India e outros pais pobres da Asia, com populações de pouquissima renda ou sem até e que sonham com oportunidade de trabalho na região para pode manter as famílias por lá.
    Se não fossem esses modestissimos postos de trabalho em Dubai, o que seria dos seus entes queridos la !!!
    A vida é cheia de contrates mesmo..onde a gente for !!
    O meu desejo é que o governo emirático passe a olhar com maior carinho o oferececimento de mais proteção social aos expatriados que vivem aqui, que representam mais 75% da população, incluindo “nós”.

  28. Max

    -

    26/05/2012 às 8:28

    Pessoal, trabalho no meio dos combustiveis a mais de 10 anos, conheço bem a realidade do nosso brasil, em partes poderiamos ser um pais de 1° mundo igualando ou superando dubai, mas, nos temos alguns problemas, o primeiro é que nos exportamos nosso petroleo “crú” e importamos o produto pronto “gasolina” por que isso? boa parte do nosso petroleo é de qualidade inferior e o brasil nao possui tecnologia suficiente para trabalhar este produto, na verdade até tem, mas é carissimo. por outro lado temos um territorio muito grande, talvez se fossemos divididos igual os estados unidos (50 estados americanos) com estados indepedentes talves o progresso fosse mais rapido e chegasse ao maior numero de pessoas. outra situação é o pré-sal, e posso ser franco ira demorar muito para começar explorar, foi marketing do governo antecipar algo que so pode ocorrer daqui varios anos, imagina o custo para se explorar petroleo a essa profundidade? esse produto é para ser explorado quando as reservas de petroleo “rasas” estiverem se esgotando, do contrario facilmente o combustivel passaria dos R$ 5,00 o litro, é uma exploração cara, entendem porque até hoje nao saiu nenhuma gota do pré-sal?

    esta reserva existe a muitos anos e o antigo ministro de minas e energia, disse que era loucura do governo antecipar algo que nao poderia sair do papel agora.

    e o resto é bla bla bla…corrupção, perda de tempo com assuntos que nao importam, projetos importantes parados, falta de investimento em infra estrutura (ferrovias, hidrovias, rodovias) ja pensaram se tivessemos uma ferrovia eficiente no brasil? seria um avanço e tanto, mas ferrovia nao gera venda de caminhões (Impostos), IPVA, consumo de combustiveis, peças, pneus..(Impostos)… e assim vamos indo…

  29. jefferson henrique paulo das neves

    -

    25/05/2012 às 19:50

    o Brasil precisar de bons administradores e políticos assim .

  30. Anderson Sabino

    -

    24/05/2012 às 8:55

    @Carmen Ferreira
    Uma das suas afirmações sobre Dubai é errada.
    Hoje, a econômia deles é baseada no petróleo em apenas 5%, mais de 50% da riqueza atual é apartir do turismo. Mas não deixa de ter influência do “ouro negro”. Pois, afinal, eles cresceram utilizando-o.
    Mas em relação ao restante da sua opinião, eu concordo. Tudo é questão de bons administradores e políticos.
    DUbai era (ainda é) uma cidade no meio do NADA, totalmente desertica nos seus arredores, e mesmo assim se mostra uma das nações mais ricas do planeta. Enquanto nós, que temos um pais cheio de riquezas naturais, não saimos do lugar e ainda estamos com a maldita placa sobre nossas cabeças: “País de 3° mundo.”
    Lamentável, mas é a verdade.

  31. Carmen Ferreira

    -

    23/05/2012 às 17:50

    Pois é isso aí pessoal, vamos visitar outro site para confrontar as verdades ou meias verdades, ou até algumas mentiras, se forem. Mais no geral, eu diria que são realidades diferentes: DUBAI, país pequeno, rico pelo Petróleo, 1º mundo, com certeza, tem lá seus problemas,o BRASIL, país enorme cheio de problemas, econômicos, educação, saúde precaria,e muita corrupção, ainda somos conciderados 3ºmundo. Acho que não dá, nem para fazer comparações.

  32. Carmen Ferreira

    -

    23/05/2012 às 14:04

    NOSSAAAAAAAAA!!! Que cidade maravilhosa, gente, eu estou facinada com tanta beleza, mais vamos combinar, não é pessoal? Então, é muito facíl ser assim com uma cidade rica pelo PETRÓLEO, e claro, pequenininha em relação ao Brasil. Não vejo a hora de o nosso Brasil do Pré Sal, ser REALIDADE. Obrigada por esta oportunidade de manifesto.

  33. Caroline

    -

    06/03/2012 às 14:02

    Vera as mulheres de dubai nao sao obrigadas a cobrirem o corpo inteiro, elas fazem isso pq gostam e por respeito assim como aq no brasil nao se vai a igreja de biquine,isso por respeitar a igreja nao pq e obrigado, e por gostar dos mandamentos que regem a sua religiao, as pessoas normalmente nao conhece a cultura,o povo do pais e ficam distorcendo as coisas.Procure saber mais,e procure conhecer alguma mulher arabe para ela da a sua opiniao sobre sua vida, nao cabe a nos falar daquilo que nao conhecemos.

  34. ANA JOÃO

    -

    12/01/2012 às 11:36

    amigos, eu estive la e ate hoje estou de boca aberta, expetaaaacular, visitei o burj, as ilhas artificiais, achei um maximo, fez-me ver de concreto o quanto a força do nosso *Deus* o criador de todas as coisa é capaz de fazer, para que o homem com as suas proprias maos faça. dubai e demostração de novos tempos……….

  35. Vera

    -

    11/01/2012 às 19:56

    Olá Ricardo

    Ótima matéria. Só gostaria de ressaltar as contradições inerentes do lugar: Apesar de tanta evolução material…, a moral, no que se refere as mulheres ainda não chegou. Se como afirmaram alguns comentaristas, lá a mulher é respeitada, não sabemos a que níveis é em sua vida privada. Não considero questão cultural como argumento. Certos valores são universais. Espero que um dia essas sociedades se livrem de amarras político-religiosas e possam verdadeiramente respeitar a mulher como igual em todos os sentidos, sem obrigá-las a se cobrir por inteiro, apenas por ser mulher. Dizer que elas sentem orgulho disso é questionável, pois são condicionadas à isso. Como não tem opção, aceitam (se é que no ítimo, aceitam). Não considero respeito quando há imposição e não escolha.
    NO dia em que a evolução material for mais acompanhada da intelectual, aí sim, será digno da minha admiração.
    abs

  36. Wellington Lima

    -

    20/11/2011 às 0:19

    Ricardo Setti, me desculpe mas vc é invejoso. Um Brasileiro Falar mal de Dubai. Sua Cabeça anda no espaço. No Brazil a malandragem tá mandando, pros Ladrões aqui sim que é o paraíso.

    Ué, Wellington, por que eu seria “invejoso” de Dubai?

  37. Wellington Lima

    -

    20/11/2011 às 0:12

    Muitos Brasileiros falam que na China e Dubai o Trabalho é escravo. Sabe da verdade, é inveja. Vivemos em um país com cidades sitiadas pelas favelas, o Brazil é uma Favela se comparado com Dubai. Aqui no Brazil só estão prendendo os ricos para poder tirar dinheiro deles. Pobre que mata no nosso país não vai preso. Aqui hoje é uma Zona. Percebam na televisão quantos pobres matando e ficam pouco na cadeia depois Go Out. A China já ta milhares de ano na frente do Brasil, aqui deram muito direito ao trabalhador “pobre”, pobre tem que trabalhar pra subir de vida. Brasileiro que fala mal da China e Dubai é inveja, porque mora no Brasil que é lascado. Brasil grande só na cabeça do Lula e dos Orebas caga cebos.

  38. Bruno

    -

    13/11/2011 às 15:25

    Nao sei o porque eu ainda me revolto com esse tipo de materia. Que Dubai tem seus problemas todos nos sabemos, um gosto questionavel e abuso de mao de obra, mas acredito que alguns pontos tambem devem ser ressaltados, esses trabalhadores que aqui vivem em condicoes ruins teriam uma vida ainda pior em seus paises de origem, o mau gosto e uma questao cultural eu particularmente detesto decoracao britanica, a mania de americado de guardar lixo, criticar, invadir e matar nacoes. Porque nao usamos esse espaco para falar dos atentados forjados de 11 de setembro? Ou da guerra do iraque sendo que o Osama estava no paquistao e como demoraram 10 anos para acha-lo e apenas semanas paga pegar o Gadaffi, seria isso porque a Libia e milionaria? Vamos falar sobre Dubai e ressaltar a limpeza, a seguranca, o pais sem imposto e pessoas sem natureza corrupta como no Brasil, e onde o sonho e a forca de vontade contruiram um pais com oportunidades para todos. 40 anos de unificacao dos emirados arabes nao podem ser comparados ha mais de 500 anos de corrupcao da nossa nocao.

    “Atentados forjados de 11 de setembro”?

    Você precisa urgentemente se tratar, Bruno

  39. Guilherme O BRASILEIRO

    -

    09/11/2011 às 5:36

    Nada mais que ideologia anarquista e neoliberalista. “Veja”, mais uma rede de comunicação ****** no Brasil. Não posso falar o que eu quero, já avisam previamente que a censura rola solta aqui. Viva a liberdade de expressão!
    Estou filmando a postagen com o Krut Computer Recorder, e todos estão vendo que não profinei nenhum palavrão. A ofensa depende de como a crítica é ou não aceita.

    Esses jornalistas inteligentes e bem informados, “esquecem” que os empregadores oferecem aos operários indianos e paquistaneses saúde, transporte, moradia e alimentação. Comum entre eles poupar o dinheiro ganho, pois é possível nessas condições. O salário varia de acordo com a função do operáio, mas está entre US$150 a US$600. Os empregadores exigem experiência, mas o nível de escolariedade é ignorado. Cerca de 60% dos indianos são analfabetos, sendo que 80% destes trabalham como operários na Índia ganhando mensalmente US$60 a US$80. No Brasil, o salário mínimo é de R$560, e não há beneficios, o empregado paga mensalmente para o governo para ter o direito de gozar de previdência social. No Brasil, mesmo que o empregado tenha formação superior, ele está sujeito a esse salário, que é metade do que um operário indiano analfabeto ganha em Dubai, gozando de todos os direitos possíveis. Portanto, quem está explorando? Esse é o momento em que a ideologia anarquista vêm à tona, e as desculpas esfarrapadas começam a ser expelidas. Dubai não é um país, é uma cidade, UAE não foi afetado por crise alguma, Abu Dhabi, apesar de estar nos bastidores, é o mais rico e dá assistência bilionária ao emirado como alguém dá esmolas no sinal.

    Requisitos básicos não faltarão, não faltaram por 5000 mil anos, não é agora que tudo irá ruir sem mais nem menos. Sugiro que o pessoal vá atrás da informação, se falam que é “quadrado”, pesquise o por que é “quadrado” e se realmente é “quadrado”. Não só sobre Dubai, mas para tudo. Fica a dica, se for postado, mas dúvido muito.

    “A censura rola solta aqui”… Pergunte aos leitores de mais de 60 mil comentários se isso é verdade.
    Tanto “rola solta aqui” a “censura” que publico seu comentário, esperando que os leitores entendam seu confuso texto.

  40. joao paulo

    -

    10/08/2011 às 23:25

    isso e que e vida riqueza dinheiro e poder afinal o que seria do ser humano? alguns alegam serem felizes sendo pobre, passando fome nao podendo realizar nada em suas vidas e familiares que terror e inferno pode ser mas sofredor do que isso? nao conseguem imaginar que tudo existe para o nosso bem e conforto nesse belissimo mundo; se o rico vai pro inferno! o pobre nao vai nao?

  41. Fã do Diogo Mainardi

    -

    02/08/2011 às 17:21

    Você está contra a riqueza Ricardo Setti ? Isso é coisa de esquerdista

  42. pedro

    -

    02/08/2011 às 12:31

    Infelizmente Dubai com seus super-ricos arrogantes e vazios, seus trabalhadores despossuídos, sua ausência de estado de direito, seu governo ditatorial é uma síntese quase perfeita do mundo moderno.
    Por fim, é um dos lugares mais feios e cafonas do planeta.

  43. danir

    -

    01/08/2011 às 14:36

    onde se lê frutrado leia-se frustrado. sorry.

  44. danir

    -

    01/08/2011 às 14:28

    Prezado Setti. Pode usar a vontade. Fiquei contente com o seu comentário, pois um dos meus objetivos ao participar de espaços como o seu é o de passar minhas opiniões e vivências. Sou um pouco frutrado por não viver o dia dia de um articulista; coisa que muito me agrada fazer. Fique certo que sempre que possível contribuirei para seu espaço, com o que tiver de mais interessante para expor. Desde a decada de 80 viajo pelo mundo na atividade de logística e comercio internacional, e sinto que tenho muita coisa a dizer. De uma certa forma me sinto como aquela senhora que costumava enviar cartas praticamente diarias para os jornais de grande circulação, até o dia que foi convidada para fazer uma coluna de com seus comentários e vivências, seu nome era Bety Landau, se não me engano. Saudações e obrigado pela citação.

    Quem agradece sou eu, caro Danir.

    Vamos caprichar na ilustração.

    E publicar um pouquinho mais adiante, para não coincidir com este que você comentou.

    Um abração

  45. José Américo C Medeiros

    -

    01/08/2011 às 1:05

    Ótimo comentário do Luiz Pradines, e respondo a sua indagação sobre se seria aquele sistema aplicável ao Brasil.
    Jamais!
    Aqui acolhemos a corrupção e a ladroagem com mimos e flores, cargos políticos, e chaves do tesouro nacional aos convidados e bajuladores do poder.
    Lá, não!
    E ai de quem tentar…

  46. Luiz Pradines

    -

    31/07/2011 às 20:48

    Setti,

    Ah, sim. A questão da democracia, como você comentou. Bem, sou estrangeiro residente no país e não creio que seja conveniente falar a respeito dos arranjos políticos do país que nos acolheu. O que posso dizer é que, conversando com vários locais, há bastante satisfação com a forma pela qual eles são governados. Acredito que os Emiratis confiam em sua liderança, que se mostra sensível às suas demandas. O arranjo político funciona para eles, não há insatisfação visível, e creio que a democracia florescerá naturalmente. Não acredito que a democracia possa ser imposta neste país, como bem revelam as experiências no Iraque e Afeganistão.

    A questão feminina é um assunto bastante complexo. Na empresa na qual trabalho, há várias moças locais trabalhando. Eu lhe asseguro que há rigorosamente as mesmas condições para todos, homens e mulheres. Recebem o mesmo treinamento, ganham o mesmo salário que os homens de função equivalente. Costumamos avaliar a questão da mulher por sinais como o uso da “abaya” (capa de tecido preto que envolve o corpo) e pelo véu igualmente preto, mas trata-se de um costume que é aceito com orgulho pelas mulheres locais. Creio que temos que aceitar as diferenças culturais. No resto, as mulheres são bastante respeitadas. Não se tolera a agressão a elas, da mesma forma como ocorre em países ocidentais. Portanto, neste aspecto, a condição feminina é bastante boa nos Emirados Árabes.

    Outro seu comentário, sobre a condição dos trabalhadores, merece uma reflexão. OK, a vida para eles é dura mesmo, especialmente no verão. Há fatos incômodos, como saber que eles ganham pouco, mas isto é balanceado com o fato de muitos trabalhadores terem alojamento e transporte fornecidos pelos empregadores. Além disso, pensemos de uma outra maneira: se eles estão aqui, é porque o país oferece condições melhores que aquelas no local de origem. Ou onde e como você acha que trabalhadores braçais moram em Mumbai, na Índia? De qualquer forma, o governo reprime empresas que abusam dos seus trabalhadores, de uma maneira bastante semelhante ao que é feito em outros países – incluindo o Brasil.

    Na minha visão, prova-se que as soluções achadas para Dubai pela sua liderança funcionam aqui: o sucesso do Emirado prova isso. Resta-nos debater quais destas soluções se aplicariam a uma realidade tão diferente como a do nosso país.

  47. Paulo Bento Bandarra

    -

    31/07/2011 às 18:16

    Com recessão nos EUA e na Europa lá não irá falir também?

  48. Mari Labbate

    -

    31/07/2011 às 16:55

    Querido SETTI, amigos de Juscelino K. de Oliveira confidenciaram que ele não aprovava a criação dessa universidade. Assisti a um documentário, contendo depoimentos de colegas a respeito. Pode pesquisar! Sugiro que assista a uma minissérie da Rede Globo sobre a sua vida e obra. Constatará, como foi bonzinho… Igual aos outros!

    Assisti à minissérie, muito interessante. Se você me disser o título do documentário, irei procurá-lo.
    De todo modi, conheço bem a história de JK, prezada Mari. Obrigado.

  49. danir

    -

    31/07/2011 às 14:22

    A respeito da crise por que passaram, o “Sheik” do Abu Dhabi, proveu os recursos para a recuperação econômica do Dubai, o que já está em curso, e esta é a razão pela qual o edifício Burj al Khalifa o mais alto do mundo recebeu este nome em vez de Burj al Dubai. As industrias que vi, produzem desde Vidro Float, até lingoteria de alumínio, alem de serviços técnicos de todo tipo.

  50. danir

    -

    31/07/2011 às 14:15

    Prezado Setti. Tive a oportunidade de viajar para o Dubai e para o Abu Dhabi, fazendo o trajeto de carro entre os dois; uns 150 quilômetros. Em Dubai fiquei em um hotel que custa o mesmo que os similares europeus, com um conforto e limpeza admiráveis, e esteticamente muito agradáveis. Com algums passos estávamos no Burj Al Khalifa, o mais alto edifício do mundo e ao lado do lago artificial onde acontece o show da dança das águas. Tudo muito bonito e limpo, com uma afluência de público, que não lota as ruas de dia, devido ao calor insuportável, mas que está em todos os lugares com alguma proteção do sol e da temperatura. De noite estão literalmente em todos os lugares, inclusive nas ruas. Se estes Sheiks não começassem a diversificar seus emirados, não teriam opções quando o petróleo deixar de ter a importância econômica que hoje tem. Aí sim teriam que voltar a ser pescadores. A água tem que ser dessalinizada a um custo alto, a energia elétrica tem que vir de alguma fonte, a comida tem que ser importada, e os serviços precisam de mão de obra especializada que em qualquer lugar do mundo é cara. Na minha opinião eles estão trabalhando pela sobrevivência de seus locais de nascença, aplicando aquilo que aprenderam e tentando com sucesso manter o nível de vida a que estão acostumados. Não sei se esbanjaria tanto em algumas obras suntuosas, afinal sou brasileiro, mas creio que de resto faria o mesmo buscando sustentabilidade. Nos dia de hoje, esta região está começando a ser um centro turístico e já é um centro financeiro. As companhias aéreas da região estão crescendo num ritmo incrível, e não só no transporte de passageiros mas tambem no transporte de carga. Se transformaram em “Hubs” importantes na ligação com a Asia, onde o crescimento está acontecendo. Se formos olhar as grandes corporações que dominam o comercio e a produção de bens no mundo, veremos que o capital árabe está aplicado nas bolsas, e de posse de uma grande fatia das ações destas empresas. Agora, começam a olhar para seu próprio território para desenvolver atividades econômicas em sua região. Nos 150 kilômetros que rodei para ir do Dubai ao Abu Dhabi, vi mais da metade da estrada lotada de edificações industriais . O local é um canteiro de obras, Igual à China e outros locais que estão crescendo de forma muito rápida. Vi industrias sendo instaladas (a propósito estava visitando uma indústria que fornece para a empresa que trabalho um produto de qualidade superior), a que visitei, tinha um nível de excelência e de produtividade que faria inveja a qualquer grande produtor mundial e uma limpeza e organização dignas de nota; em nada parecido com o que se vê na China por exemplo. Portanto, me parece que este articulista usa das mesmas medidas que uma certa imprensa num certo paiz usa quando se põe em defesa de um certo partido e seu contingente de políticos corruptos. Repito, não gosto de tudo o que vi; mas o balanço é positivo, e prefiro ver um lugar neste estágio de desenvolvimento do que outros que servem de manjedoura para atitudes anti humanas. Quando vemos o que este pessoal está fazendo, e comparamos com o que temos em nossa casa, percebemos que estamos nas mãos de pessoas sem competência e sem objetivos que visem a coletividade. Esta idéia de que o Dubai e os outros emirados deveriam se manter como uma aldeia de pescadores, sem usar os recursos que tem para construir algo, me parece um pouco com aquela outra que defende que que devemos deixar as fazendas para os americanos e ficar como guardiões das florestas. É puro “Bull Shit” ideológico. A propósito, no que diz respeito aos trabalhadores estrangeiros, eles vão para lá para obter recursos para o sustento de suas famílias, que nunca teriam em suas terras de origem. Conversei com brasileiros que lá trabalham em serviços subalternos, e ninguem quer voltar para o Brasil enquanto puderem fazer seu pé de meia por lá. A moeda tem dois lados, e é difícil mantê-la em pé.

    Caro Danir, seu comentário é tão interessante que eu gostaria de transformá-lo num Post do Leitor. Você me autoriza?

    Abração

  51. Luiz Pradines

    -

    31/07/2011 às 14:15

    Setti,

    Cheguei ontem de duas semanas de férias no Brasil. Fui ao mercado ao meio-dia e o termômetro marcava 45 graus, com uma umidade alucinante. Com efeito, o clima no verão é a pior coisa da vida em Dubai. Talvez seja a única coisa verdadeiramente ruim por aqui.

    Depois de quatro anos vivendo nos Emirados Árabes, não sentimos a menor vontade de voltar ao Brasil. Nestas duas semanas de férias em São Paulo, eu e a minha esposa nos horrorizamos com o festival diário de crimes expostos na TV. Não há nada disso em Dubai. Vivemos uma vida livre de despreocupação com a criminalidade, algo que todos os brasileiros deveriam compartilhar.

    Não é apenas esse o choque que temos quando se vem a Dubai. As estradas são perfeitas. Os carros são confortáveis e baratos. A gasolina, de altíssimo padrão e barata. O choque começa no aeroporto. O Terminal 3 é espetacular e mostra como funciona um país em que o governo se preocupa em criar condições para as empresas ganharem dinheiro. Por sua vez, o aeroporto de Guarulhos me causa uma profunda vergonha de ser brasileiro em todas as vezes que vou ao Brasil.

    É isto, Setti. Os brasileiros nos acostumamos a viver com medo, a dirigirem porcarias caras em estradas medonhas, a abastecer estas porcarias com um combustível igualmente porco, sabendo que o imposto que se paga é desperdiçado, roubado e que tudo fica por isso mesmo.

    As frases de efeito do texto de Gill não fazem justiça ao que foi feito em Dubai. A liderança política do Emirado tem uma visão de longo prazo que permitiu se criar valor quase que a partir do nada – afinal, não nos esqueçamos que Dubai tem pouco petróleo. A riqueza do Emirado é o exemplo mais acabado do que o capitalismo pode proporcionar quando as condições lhe são favoráveis: regras claras, estabilidade, mão-de-obra capaz e educada.

    Dentre os trabalhadores que tornam possível a Dubai que conhecemos, encontra-se gente do mundo inteiro e muitos brasileiros. Gente como eu e a filha da Maria de Nazaré Marques, também comentarista deste post, a quem tenho a honra de conhecer e desfrutar da amizade! Mundo pequeno esse, hein, Setti?

    É verdade, caro Luiz. Mundo pequeno, mesmo. Quanto a Dubai, eu não me incomodaria com nada, lá, se as mulheres locais não fossem tratadas como são, se as condições dos trabalhadores mais modestos tivessem mais direitos e se houvesse um tiquinho, um percentualzinho de democracia, não é mesmo?
    Mas seus argumentos são relevantes e cá estão publicados.
    Com um abração.

  52. Anonimo

    -

    31/07/2011 às 13:20

    Ricardo

    Vale a pena ver:

    http://www.youtube.com/watch?v=P9605V_A6NY

    Muito legal. Obrigado pelo link.
    Vou eventualmente publicar no Música no Blog.
    Abraços

  53. Mari Labbate

    -

    31/07/2011 às 12:48

    Que lindas fotografias da DubRASÍLIA, que foi construída para realizar os “três desejos” de todos os petistas! O Gênio da Lâmpada foi o presidente Juscelino K. de Oliveira, que resistiu em construir uma universidade, para que não houvesse contestações. Desejava governar, sozinho! Os imigrantes e os migrantes passaram fome, mas ele conseguiu realizar o seu “sonho”, que originou o mágico processo de realização dos “três desejos” subsequentes. ATÉ HOJE! O clima de lá é tão seco, que “frita” os neurônios dos políticos. Concluindo: BRASÍLIA é uma alucinação!!! Não escapou nem o seu arquiteto de estimação! E a miséria continua até hoje. E a sereia fala em combater a miséria, no Brasil! Será que não há janelas, naqueles palácios? Outro dia, queriam reformar o do Planalto, novamente. Ora… Dubai, querido SETTI, foi construído para mostrar aos mortais aonde não se deve chegar…

    Cara Mari, a lei que criou a Universidade de Brasília foi aprovada durante o governo do presidente Juscelino Kubitschek.

  54. Magnolia Beatriz F

    -

    19/07/2011 às 16:55

    Dubai é uma incónita !!!

  55. chorei antes de nascer

    -

    14/06/2011 às 21:48

    Maravilhoso artificialismo!!!

  56. Ailton

    -

    13/06/2011 às 19:04

    Amigo Ricardo, acesse esse site abaixo e conheça a maior pista de esquiação em neve do mundo, ele foi construida em DUBAI, lugar onde a temperatura chega a 50ºC. na sombra.
    Talvez queira aproveitar uma das fotos para ilustrar a reportagem.

    Abraços

    http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=331947

    Obrigado, caro Ailton, pela gentileza.
    Abração

  57. Ailton

    -

    13/06/2011 às 14:04

    Europa quase se quebrou Para Dubai viver essa punjança, é que todos os investimentos dos magnatas que estavam em bancos e indústrias do velho continente, foram sacados e diretirados a investimentos nos Emirados Arabes mais especificamente, em Dubai (A jóia do Golfo Pérsico).
    Obs: Dubai é um dos sete Emirados que formam os Emirados Arabes Unidos.

  58. José Américo C Medeiros

    -

    13/06/2011 às 2:28

    Dubai foi quintal dos ingleses e, portanto, há muito despeito na reportagem…Fora que os inglêses são costumeiros e vezeiros nas ocorrências policias por embriaguês, tumultos generalizados, e péssima educação.

  59. maria cristina

    -

    12/06/2011 às 18:17

    Que eu saiba,Dubai foi construida pensando no futuro,quando o país não terá mais petróleo.Por isso atraíram para lá as melhores marcas,criando um novo polo de negocios na região, para se proteger,e aos seus cidadãos,o que eu acho louvável;mesmo que não seja meu tipo de cidade.

  60. Vera Scheidemann

    -

    12/06/2011 às 17:27

    Sempre vi com grande reserva tudo que sempre
    se diz e exibe sobre Dubai. É exatamente essa
    ostentação fútil e exagerada que me incomoda
    e, cá entre nós, contra as poderosas forças
    da natureza o homem não tem e nunca terá
    controle total – até quando as ilhas
    artificiais vão continuar flutuando ?…
    Vera

  61. Paulo Bento Bandarra

    -

    12/06/2011 às 12:25

    Não vejo nada de mais o capital se reproduzir e aumentar. Isto por sí pode ser suficiente. A questão que me parece é que vai dar tudo com os burros n’água e o dinheiro vai sumir. Hoteis de milhões em que não vai ir ninguém é um dinheiro que não se reproduziu! Não tem como convertê-lo em capital de novo.

  62. Centro de Solicitação de Visto para Dubai (CSVD)

    -

    01/06/2011 às 14:49

    Para você que pensa em viajar para Dubai e não sabe com quem solicitar o visto, nós temos a solução!

    Centro de Solicitação de Visto para Dubai (CSVD)

    Informações no site: http://www.dubaivisa.net/brasil/portuguese/
    Ou mande-nos um e-mail: dvpcinfosao@dubaivisa.net

    Rua Major Sertório, 128, 7° andar – conj. 74
    São Paulo – SP
    CEP: 01222-000
    Telefone: (11) 3257 7217
    E-mail: dvpcinfosao@dubaivisa.net

  63. maria Jeannette amaral

    -

    08/05/2011 às 18:29

    Por curiosidade busquei saber algo sobre DUBAI,estou chocada com tanta futileza e arrogância onde o dinheiro é mais importante que o amor,quando o mais rico dos homens nasceu numa manjedoura,será que o homem não vê que é nas coisas mais simples que encontramos Deus,prá que tanta hostentação enquanto a mais da metade da população do nosso planeta passa fome e frio?por que os poderosos não veem que o que se leva dessa vida é fazer o outro pelo menos fazer valer a sua dignidade como pessoa humana que somos,parece-me que os tempos dos faraois estão voltando, estou simplesmente chocada com tudo que li, sou de uma região pobre do Brasil, onde a fome predomina,acho que devido a tudo isso é que estou triste.

  64. Marco

    -

    05/05/2011 às 8:18

    Amigo Setti: Essa semana tu resolveu pegar pesado comigo, começou lembrando Dubai, falou sobre os Africanos do Congo e no mínimo amanhã tu vai falar sobre Montevideo e o Uruguay. Isso é coisa do Amigo Carlos Nascimento. Pois é Setti,assim como tu só nos resta o cafézinho( Campeonato Regional ) talvez para salvar o Ano. O Carlos Nascimento e o A. Nunes ainda tem chances de conquistas nesse 1 semestre.
    Abs.
    PS: Foi um festival de eliminação brasileira nessa quarta, mas acho q o Carlos Nascimento não vai estar de desacordo comigo, vou torcer pelo Muricy.

  65. MARIA DE NAZARE MARQUES

    -

    04/05/2011 às 15:39

    Caro Setti,

    Sou leitora assídua do seu blog e compartilho com você muitas opiniões. Não concordo, entretanto, com a análise do jornalista da Vanity Fair.
    Há quatro anos não fazia idéia do que era Dubai, onde ficava, quais seus atrativos, regime político etc… Minha filha, arquiteta com mestrado na UFRJ e especialização em arquitetura sustentável, uma dos poucos arquitetos brasileiros credenciados pelo LEED, órgão americano de certificação de “green buildings”, recebeu convite para trabalhar numa empresa de origem dinamarquesa em Dubai, como consultora de sustentabilidade. Saiu do emprego em São Paulo e partiu para Dubai com o marido sem olhar para trás! Ambos estão trabalhando em suas respectivas áreas e passaram a ser parte da maioria de 80% de habitantes expatriados que movem a economia de Dubai. A partir daí, comecei a me interessar pelo Emirado que passou a ser a “casa” da minha filha, e, posso dizer, sem sombra de dúvida: Dubai é maravilhoso!!! Foram os estrangeiros que construíram o Emirado que é hoje, movidos pela iniciativa, visão de futuro e capital da família real Al Maktoum. Em retorno, além dos salários e condições de trabalho que nunca teriam em seus países de origem, Dubai lhes oferece, segurança, saúde, transporte fácil, financiamentos com juros de 4% ao ano, encher o tanque com R$30,00, estradas e ruas limpas e perfeitas, nada de imposto, ar condicionado até nos pontos de ônibus, praia linda e quentinha e, para quem quer e pode gastar os maiores e melhores shoppings, hotéis e restaurantes do mundo.
    Minha filha nunca foi discriminada por ser mulher, nem sofreu qualquer represália por ser católica e tem uma vida completamente normal. Há pobreza? Sim, mas não miséria e todos os estrangeiros residentes em Dubai tem emprego de acordo com seu nível profissional, daí não vermos mendigos, flanelinhas e pedintes.
    Não entro no mérito do regime político vigente em Dubai pois não tenho conhecimento abalizado para tal, porém, em todas as vezes que fui a Dubai não notei nenhuma insatisfação da população, já que tanto os “emiratis” quanto os expatriados recebem benefícios coletivos, sem que lhes sejam cobrados impostos.
    Minha filha mora em Dubai há mais de 3 anos, tem visto de residente, está pensando em ter um bebê e não pensa em voltar para o Brasil. Apesar da distância e da saudade, concordo e apoio a decisão dela, pois a cada dia fica mais difícil viver no Brasil!!!

    Prezada Maria de Nazaré, muito obrigado por suas constantes visitas ao blog e por seu comentário.
    É ótimo para os leitores ter visões diferentes das que coloco nos posts, sejam minhas, sejam de leitores ou de outros jornalistas, como é o caso do inglês que escreveu sobre Dubai para a Vanity Fair.
    Muita sorte para sua família lá em Dubai — e quem sabe um(a) netinho(a) em breve, não?
    Um abração e volte mais vezes!

  66. Emmy

    -

    03/05/2011 às 21:05

    Setti, que luxo!!! Eu adoraria morar lá, topar com pessoas importantes, e quem sabe até fisgar algúm milhonario!!! Frequentar lugares fantásticos; ser hóspede de esses hotéis de tirar o fôlego.
    Quem se importa com cultura!!! Dinheiro pode tudo, é com ele, que o mundo da frivolidade gira e faz acontecer. Fora disso são parole, parole e nada mais do que parole!!!!!!
    Abs

  67. Kitty

    -

    02/05/2011 às 19:26

    Caro Ricardo,
    Tanto no seu excelente post em português, como a versão inglesa escrita no Vanity Fair, nos da a exacta dimensão do que o dinheiro pode realizar.
    Sem dúvidas, é uma cidade fantástica com um luxo ofuscante, que um simple mortal nem imagina!!!Dinheiro rola solto em Dubai, esso percebe-se pelo belos e imponentes “skyscrapers” e pela descrição do articulista do Vanity.
    Talvez falta a essa cidade cultura e história. A alma de uma cidade é a sua cultura, seu passado. Alí tudo é perfeito demais, pulcro demais.
    Me parece uma cidade sem impressões digitais; sem ruas batidas pelo caminhar de muitas pessoas durante anos e anos. Eu diria sem identidade própria sem alma,apenas um conjunto de predios luxuosos, hotéis de tirar o fólego e muitos milhonarios sem muito o que fazer ou dondocando.
    Ricardo, é sou uma opinião, muito pessoal, por sinal.
    Abraços

  68. Thales

    -

    21/04/2011 às 3:50

    Caro Setti, embora ache o seu texto de uma genialidade ímpar, discordo de vc!
    Dubai é a referencia do capitalismo na primeira metade do séc. XXI, lugar símbolo onde toda multinacional faz questão de ostentar um prédio grandioso com alguma característica única.As fotos de Dubai me tiram o fôlego, acho lindo os prédios, praias e a ousadia dos que a fizeram.
    Sim, sou capitalista!Gosto de dinheiro mas não faço culto a pobreza, tão pouco a acho saudável ou necessária para o “sistema”,tambem acho que é uma falácia afirmar que a pobreza em Dubai é um sinal de que a economia logo irá ruir, até porque se for assim, peço que me explique a India, China e o próprio Brasil!

    O texto de genialidade ímpar não é meu, caro Thales, mas do jornalista que citei na matéria, que escreveu para a revista norte-americana Vanity Fair. Não tenho condições de opinar com autoridade sobre Dubai porque não estive lá.

  69. José Américo C Medeiros

    -

    21/04/2011 às 1:37

    Em Dubai tudo funciona, ao contrário de nosso país que também presenteia ladrão com 100 anos de perdão, e cargos na administração pública.
    Estive lá e gostei.
    Meus filhos moram e trabalham em Dubai, e não demonstram vontade de voltar a um país onde a corrupção é endêmica, e vida é boa e cheia de oportunidades somente para a companheirada.

  70. JT - Feliz Páscoa!

    -

    20/04/2011 às 18:22

    [Caro Setti, segue o comentário revisado. Favor desconsiderar o anterior. Bom feriado!]

    Os primeiros seres humanos, que vagavam pelo norte da África, tinham grande dificuldade com as relações de grandeza. Eles sabiam contar até três. Depois disso, tudo era simplesmente demais. Um, dois, três, muitos, muitos, muitos…

    50 mil anos se passaram e nós aprendemos a contar até o infinito. A mídia volta e meia já cita a casa dos trilhões de dólares quando trata das dívidas das grandes potências. Mas isto não significa que temos a noção real do que isto significa. Ganhar o primeiro milhão é um prazer relativamente fácil de descrever, e que provavelmente é muito superior à satisfação fleumática em atingir cinco milhões.

    Para alguém que tem um patrimônio na casa dos cem milhões de reais, qual será a diferença de amanhecer com dois milhões a mais ou a menos? É uma quantia que certamente é inesgotável para uma pessoa com os padrões normais de consumo.

    Dizem que quantidade não é qualidade. Mas até uma qualidade pode ser anulada pela quantidade. Escrever um artigo irretocável é excelente, escrever dois é um ótimo indício. Porém, leitores param de elogiar um escritor que faz do hábito de escrever bem uma rotina, por isso muitos escritores se recusam a manter blogs, no máximo eles aceitam escrever colunas quinzenais. O mesmo ocorre no esporte: campeões e bicampeões são tão lembrados quanto aqueles que estabeleceram uma supremacia em sua modalidade.

    Um sujeito que rouba um pacote de bolachas na mercearia, por necessidade, poderá sentir remorso e se arrepender, mas aquele que faz disso um hábito, deixa de carregar o sentimento de culpa, especialmente se estiver à frente de orçamentos públicos. Ficamos perplexos quando ocorre uma tragédia, mas quando há uma sucessões delas no noticiário, então passamos a nos interessar pelo casamento do século.

    Países como Dubai e China nadam e se afogam em dinheiro. Mas isso não compra raízes culturais e tão pouco características autênticas. Os chineses podem reproduzir cidades mediterrâneas inteiras da Espanha, mas não conseguirão provocar no turista a epifania de acompanhar um por do sol daquela longitude. Não existe ar condicionado em Dubai que dê conta de substituir o vento gelado que infla os pulmões de quem sai para caminhar de noite para comprar um pedaço de pão numa delicatessen romana.

    Não é por superlativos que compreendemos o mundo. Ainda contamos até três para muitas coisas. Homens e mulheres que se entregam a vários relacionamentos ao longo de uma vida, geralmente tem dificuldade de eleger uma única pessoa que tenha realmente marcado suas memórias, ao passo que aqueles que conseguem viver um longo relacionamento são capazes de mencionar um ou dois casos anteriores, que renderiam boas lembranças.

    O universo é composto de bilhões de galáxias. No entanto, só há um planeta conhecido com vida inteligente. São milhões de estrelas no firmamento, mas só uma é capaz de metabolizar a fotossíntese no reino vegetal, do qual os animais são dependentes. Para cada fecundação, incontáveis espermatozóides ficaram no caminho.

    Por isso, nesta Páscoa, não tente compreendê-la pelos milhões de ovos de chocolate. Nestes milhões realmente não há significado algum. Mas lembre-se de UM Moisés que conduziu seu povo, antes escravizado, à Terra Prometida. E lembre-se de UM Jesus Cristo que sacrificou seu corpo por amor à Humanidade. Para aqueles que acreditam, milhões serão salvos por intermédio de apenas um.

    Para todos, um grande abraço e uma Feliz Páscoa!

  71. José Geraldo Coelho

    -

    20/04/2011 às 16:08

    A coisa é mais ou menos assim no mundo todo.
    Onde há riquesa há também os excluídos.
    No Brasil eu citaria bons exemplos: Brasília, a maior renda per-capta do pais, tem seus exércitos de escravos.
    Alguns miseráveis ainda conseguem sobreviver dentro do Distrito Federal. Mas a grande maioria é empurrada para fora, para Goiás, criando um cinturão de miséria humana, banditismo e abandono no seu entorno.
    O Rio sempre foi assim. Enquanto Capital federal, a pobreza era banida para a baixada fluminense. Hoje a coisa relaxou e a miséria cerca a cidade de favelas, pobreza e bandidos.
    Belo Horizonte vai no mesmo caminho. O desmazêlo está tomando conta da cidade.
    Agora São Paulo.
    Primeiro foram os índios, depois os negros, os japoneses depois os italianos e agora os nordestinos.
    Como vocês alegam, vão para São Paulo em busca de vida melhor. Melhor do que no nordeste sim, mas………
    Em Tempo: Disneylândia com Y.

  72. Paulo Bento Bandarra

    -

    20/04/2011 às 14:45

    Eu acho o contrário, prezado Setti. Ele é um exemplo de onde o capitalismo mal aplicado pulveriza bilhões de forma não retornável. A possibilidade dele não se multiplicar é bem possível. Dinheiro guardado em colchão ou mal aplicado vira pó!

  73. Mario Sergio Machado

    -

    20/04/2011 às 14:36

    Meus amigos europeus que Dubai é o destino para os que da vida, mal conhecem.

  74. Noah Shuster

    -

    20/04/2011 às 14:02

    Excelente.

  75. Roberto Sterling

    -

    20/04/2011 às 14:01

    Ricardo, por favor, arrume este erro crasso de português: Dubai é uma Disneilândia financeira sem a “”diverção”". É um resort de férias com o pior clima no planeta.
    É diversão e não diverÇão !

    Obrigado

    Ôooooops! Que mancada! Obrigado pelo alerta, caro Roberto. Já corrigi.
    Abração

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados