Blogs e Colunistas

18/12/2014

às 18:00 \ Política & Cia

O pior está por vir

“A Rússia está entrando em declínio.”

Mikhail Kasyanov, ex-primeiro-ministro russo e opositor do governo de Vladimir Putin, ao afirmar que o presidente deveria organizar eleições livres para sair do poder

18/12/2014

às 17:00 \ Política & Cia

ZUENIR VENTURA: Num dia você diz “não é possível”; no outro, fica ainda pior. Esse é o Brasil em que vivemos

(Imagem: Reprodução/Fabiocampana.com.br)

Depois de mensalão e petrolão, está certo o ministro Jorge Hage: “não me assusto com mais nada”, disse (Imagem: Reprodução/Fabiocampana.com.br)

EM CASA COM O INIMIGO

Artigo publicado no jornal O Globo

carinha_colunista_zuenir_venturaDepois de 12 anos como ministro-chefe da Controladoria-Geral da União, órgão de fiscalização do governo, Jorge Hage, saturado, desabafou: “Não me assusto com mais nada.” Mesmo sem ter investigado cartéis, quadrilhas, esquemas e escândalos, como ele, posso dizer que no meu caso o que acabou foi a surpresa. Temo não me espantar com mais nada.

Muitos leitores já estão assim: blasés, cínicos. É tamanha a overdose de mais do mesmo todo dia que pode estar ocorrendo uma certa anestesia após as reações iniciais.

Primeiro, os escândalos produziram choque; em seguida, indignação; depois, apatia; e agora, impotência, como se nada pudesse ser feito. A política tornou-se um espetáculo tristemente enfadonho, alternando personagens e proezas que se superam diariamente: os de hoje são mais incríveis do que os de ontem, e certamente menos do que os de amanhã.

Num dia você diz “não é possível”, ao ler que o desvio no petrolão é seis vezes maior do que o do mensalão. No dia seguinte, são os e-mails de uma ex-funcionária mostrando que a cúpula da empresa, incluindo a presidente, fora alertada sobre uma série de graves irregularidades antes do início da Operação Lava-Jato. E assim por diante.

Um gerente se compromete a devolver US$ 100 milhões desviados, e ninguém explica como um gerente — não um diretor — conseguia acumular essa fortuna sem que um superior percebesse, numa empresa com hierarquia e níveis de comando e de controle?

A geração que nos anos 50 saiu às ruas gritando “O petróleo é nosso” jamais podia imaginar que o inimigo não estaria fora, mas dentro da estatal, e que o orgulho nacional um dia viraria caso de polícia ou, como disse um procurador da República, “uma aula de crime”. De fato, o vocabulário a ela associado passou a ser o da crônica policial: propina, suborno, corrupção, lavagem de dinheiro, organização criminosa, desvio, roubo.

(PARA CONTINUAR LENDO, CLIQUEM AQUI)

18/12/2014

às 15:30 \ Política & Cia

Lula bate recordes de cinismo e descaramento ao se declarar campeão de combate à corrupção diante de uma plateia de mensaleiros condenados pela Justiça e de ministros demitidos por corrupção

Lula com Dilma no evento em que se declarou campeão em tudo, até no combate à corrupção: cara de pau e cinismo (Foto: Folhapress)

Post publicado originalmente a 21 de fevereiro de 2013

Campeões-de-audiênciaO descaramento do lulopetismo e de seu sumo sacerdote não tem limites.

Vejam vocês, esse tal evento de ontem comemorando 10 anos de governo do PT num hotel de São Paulo.

Como escreveu muito corretamente o repórter Jean-Philip Struck, do site de VEJA, tratava-se de “um evento com a presença de mensaleiros condenados pela Justiça e ex-ministros defenestrados por envolvimento em escândalos de corrupção” — e Lula, com a cara de pau costumeira, voltou a riscar do mapa tudo o que seus antecessores fizeram, atacou a oposição e lançou Dilma (oh, surpresa!) como candidata à reeleição.

Mas cara de pau brilhava mesmo, lustrosa, neste trecho relatado pelo repórter. Vejam só o descaramento do “deus” de Marta Suplicy e do lulalato:

“Nós não temos medo da comparação, inclusive no debate da corrupção”, disse Lula, sem citar o maior escândalo de desvios de recursos públicos ocorridos no país, o MENSALÃO, ocorrido justamente durante o seu governo. Na plateia, mensaleiros condenados pelo Supremo Tribunal Federal (STF), como seu ex-ministro e “ex-capitão do time”, José Dirceu, e os deputados José Genoino (SP) e João Paulo Cunha (SP) aplaudiram. Lula também não citou a recente operação da Polícia Federal, batizada de Porto Seguro, que flagrou sua mulher de confiança, a ex-chefe de gabinete da Presidência em São Paulo, Rosemary Noronha, como integrante de uma quadrilha especializada em fraudes de pareceres técnicos em órgãos federais.

Justamente ontem, completavam-se 89 dias de absoluto silêncio de Lula — que, como sabemos, fala pelos cotovelos, e sobre tudo — a respeito do escândalo protagonizado por sua protegida Rosemary, a “Rose”. Como indica, implacável, o blog de Augusto Nunes, hoje estamos, pois, no 90º dia de silêncio absoluto do grande campeão anticorrupção que Lula tem o cinismo de se considerar.

Até o José Dirceu estava lá — e aplaudindo, feliz, enquanto aguarda os trâmites finais do Supremo antes de passar longa temporada na cadeia!

O ato de celebração do PT foi um acinte aos brasileiros de bem, esta é que é a verdade. Gente que irá em breve para penitenciárias cumprir pena não apenas se aboletava na plateia como ostentava o mandato de deputado federal. Até onde a pouca-vergonha nacional vai chegar?

18/12/2014

às 14:00 \ Política & Cia

A charge de SPONHOLZ: Doze anos de reprises

00chargeantiga142

17/12/2014

às 20:15 \ Tema Livre

FOTOS CHOCANTES: a degradação física e moral de usuários de crack em São Paulo

alessio-ortu-1

Fotógrafo italiano passou um ano frequentando a cracolândia, em São Paulo, para registrar os estragos que o crack causa nos usuários (Foto: Alessio Ortu)

Post publicado originalmente a 29 de janeiro de 2014

Campeões-de-audiênciaO fotógrafo italiano Alessio Ortu passou um ano visitando a cracolândia, em São Paulo, para registrar os sinais de degradação física, mental e moral em que vivem os usuários de crack aglomerados em um setor do centro da cidade.

O resultado é o livro Simulacrum Praecipitii – A visão do abismo; uma exposição – que já foi montada em setembro, no Palácio da Justiça, em São Paulo – e o documentário Simulacrum Praecipitii – A visão do abismo, dirigido por Humberto Bassanelli e apresentado no último festival É Tudo Verdade.

As fotos mostram uma realidade crua e dolorosa, cheia de desesperança, dor, miséria e sujeira. Mesmo abandonados e renegados pela sociedade, alguns usuários retratados ainda se mostraram capazes de gestos de amizade, carinho e fé.

alessio-ortu-2

Mãos — mãos sujas, escalavradas, maltratadas, sofridas – são um tema recorrente na série de fotos feitas na cracolândia: o estrago do crack é mais visível nelas (Foto: Alessio Ortu)

alessio-ortu-3

Cinco reais é a quantia que geralmente os usuários pediam em troca da autorização para a foto. Com dez reais, compra-se uma pedra de crack (Foto: Alesso Ortu)

alessio-ortu-4

Cigarro, isqueiro e pedra, símbolos do fundo do poço (Foto: Alessio Ortu)

alessio-ortu-5

O fotógrafo conseguiu também captar alguma coisa de fé e a esperança em meio a drogas, lixo e degradação (Foto: Alessio Ortu)

alessio-ortu-7

Cachimbo usado para fumar pedra de crack (Foto: Alessio Ortu)

alessio-ortu-8

Esse é Gabriel, um jovem de 17 anos (Foto: Alessio Ortu)

Danielle e Sabrina, as duas com 19 anos -- algumas meninas se prostituem para conseguir o crack (Foto: Alessio Ortu)

Danielle e Sabrina, as duas com 19 anos — algumas se prostituem desde meninas para conseguir o crack (Foto: Alessio Ortu)

Júnior, de 24 anos, fumando crack no centro de São Paulo (Foto: Alessio Ortu)

Júnior, de 24 anos, fumando crack à luz do dia, no centro de São Paulo
(Foto: Alessio Ortu)

Giuliano, de 16 anos, cobre o rosto para ser fotografado (Foto: Alessio Ortu)

Giuliano, de 16 anos, cobre o rosto para ser fotografado. Mesmo sem mostrar o rosto, parece uma pessoa de 40, 50 anos (Foto: Alessio Ortu)

Jerson, de 34 anos, limpa o rosto de Jonatas, de 25 -- cenas de carinho e amizade na cracolândia (Foto: Alessio Ortu)

Jerson, de 34 anos, limpa o rosto de Jonatas, de 25, que é cego — apesar de tudo, há cenas de carinho e amizade na cracolândia (Foto: Alessio Ortu)

alessio-ortu-13

A presença de adolescentes na cracolândia impressionou o fotógrafo italiano (Foto: Alessio Ortu)

LEIAM TAMBÉM:

Da droga para a lama: imagens chocantes mostram a destruição física de viciados

Grande novidade: uma vacina que pode impedir a ação da cocaína e do crack

DA DROGA PARA A LAMA (2): fotógrafo mostra, em chocantes imagens produzidas, o processo de destruição física de viciados

Onde vamos parar? Estão falsificando até os ilegais “arrebites” que caminhoneiros tomam — e isso causa mortes!

17/12/2014

às 18:30 \ Vasto Mundo

Estados Unidos e Cuba reatam laços diplomáticos rompidos em 1961

(Foto: Reuters)

Obama e Castro: relações foram retomadas, mas ambos deixaram claro que seus problemas não estão resolvidos (Foto: Reuters)

Obama anunciou a normalização das relações diplomáticas com a ilha dos irmãos Castro. Papa Francisco teve papel-chave na negociação entre os países

De VEJA.com

O governo dos Estados Unidos iniciou nesta quarta-feira uma aproximação histórica de Cuba, ao anunciar a normalização das relações diplomáticas plenas e o alívio de diversas sanções em vigor há mais de meio século, desde 1961, informou o presidente Barack Obama em um pronunciamento na Casa Branca.

O presidente americano manteve na terça-feira uma longa conversa telefônica com o ditador cubano, Raúl Castro, disse a fonte, e ambos acordaram a abertura de embaixadas “nos próximos meses”. Obama anunciou “fim de uma política obsoleta” em relação a Cuba e que “fracassou durante décadas”.

Em um acordo costurado durante dezoito meses de negociações secretas hospedadas em grande parte no Canadá e encorajado pelo papa Francisco, que organizou uma reunião final no Vaticano, o presidente Obama e o ditador Raúl Castro de Cuba concordaram em deixar de para trás décadas de hostilidade para construir uma nova relação entre os EUA e a ilha comunista que fica a apenas noventa minutos da costa americana.

Em seu pronunciamento, Obama agradeceu ao papa Francisco e ao Canadá.

Leiam também:
EUA e Cuba trocam prisioneiros. Obama vai anunciar mudanças nas relações com a ilha 

Em Havana, em um pronunciamento lido ao vivo na TV estatal, Raúl Castro anunciou o restabelecimento de relações diplomáticas com os EUA, “mas isso não quer dizer que o principal está resolvido” – ressaltou o ditador.

“Propomos a adoção de medidas mútuas por parte dos dois países. Reconhecemos que temos profundas diferenças, como em questões de soberania e direitos humanos, mas queremos melhorar as relações. Os progressos já obtidos demonstram que é possível encontrar soluções para muitos problemas”. Assim como Obama, Castro também agradeceu ao Canadá e ao Vaticano.

Os Estados Unidos vão aliviar as restrições bancárias sobre as remessas de dinheiro para Cuba, e de viagens. Havana se comprometeu a libertar 53 cubanos identificados como presos políticos por parte do governo dos Estados Unidos. Embora o embargo americano sobre Cuba permaneça em vigor, o governo sinalizou que gostaria de negociar com o Congresso o alívio das sanções.

Os republicanos reagiram com indignação à iniciativa da administração Obama para a normalizar as relações com Cuba. O senador Marco Rubio, filho de imigrantes cubanos e um provável candidato presidencial republicano, prometeu tentar inviabilizar a iniciativa da Casa Branca. “Satisfazer os irmãos Castro só irá motivar outros tiranos, de Caracas a Teerã e Pyongyang, para que eles possam tirar proveito da ingenuidade do presidente Barack Obama”, disse Rubio.

Preso libertado – O funcionário terceirizado do governo americano Alan Gross chegou nesta quarta à base militar de Joint Andrews, no Estado de Maryland (EUA). Ele foi posto em liberdade por Cuba após passar cinco anos preso em Havana.

Gross, um funcionário da Agência dos EUA para o Desenvolvimento Internacional (Usaid, na sigla em inglês) de 65 anos, foi preso em Cuba em 3 de dezembro de 2009 e condenado a 15 anos de prisão por importar tecnologia proibida e tentar estabelecer um serviço clandestino de internet para judeus cubanos. Ele perdeu mais de 45 quilos na prisão e está com a saúde frágil. Gross iniciou uma greve de fome de nove dias em abril e disse a parentes que estava pensando em se matar se não fosse libertado.

Segundo o jornal The Washington Post, Gross foi solto em uma troca humanitária de prisioneiros – que, oficialmente, é considerada pelo governo americano como uma ação separada. Outro agente de inteligência, que não foi identificado, apenas apontado como um ‘cubano’ mantido atrás das grades em Cuba por quase duas décadas, foi oficialmente envolvido no acordo de troca de prisioneiros.

Os três cubanos libertados em troca de Gross fazem parte do chamado Cuban Five, um grupo enviado pelo então ditador de Cuba, Fidel Castro, para espionar no sul da Flórida. Eles foram condenados em 2001 em Miami sob as acusações de conspiração contra o governo americano.

17/12/2014

às 17:00 \ Política & Cia

No PT, o “partido que muda o Brasil”, acredita quem quer

(Foto: André Coelho/O Globo)

“Mais uma vez, os petistas apostam tudo na propaganda como forma de construção da realidade” (Foto: André Coelho/O Globo)

Editorial publicado no jornal O Estado de S. Paulo

O Partido dos Trabalhadores (PT), envolvido nos maiores escândalos de corrupção do Brasil na última década, está preocupado com sua imagem. Conforme dirigentes do partido discutiram em recente reunião da corrente majoritária da legenda “Partido que Muda o Brasil”, o PT precisa agir para resgatar a aura “ética” que criou e cultivou nos primeiros anos de sua existência.

Mais uma vez, os petistas apostam tudo na propaganda como forma de construção da realidade. No entanto, está cada vez mais claro que a imagem de partido que abriga corruptos não está associada ao PT à toa – e será preciso muito mais do que golpes de marketing para alterar essa percepção.

“É preciso passar o PT a limpo”, disse Jorge Coelho, um dos vice-presidentes do partido, durante o encontro. A recomendação é pertinente, mas é difícil de acreditar que haverá qualquer esforço autêntico para que essa limpeza seja realmente realizada. Não se trata de ceticismo, mas de constatação: basta lembrar que os principais dirigentes do partido envolvidos no escândalo do mensalão, por exemplo, foram tratados pela militância e pelos líderes petistas como “presos políticos” e “guerreiros do povo brasileiro”.

Agora, com a roubalheira na Petrobras sendo exposta em detalhes sórdidos, para dar a impressão de que não tolera corrupção, o PT aprovou uma resolução segundo a qual os filiados envolvidos em falcatruas serão expulsos. Tal disposição para lidar com os malfeitores como se deve, dizem os dirigentes petistas, ficou comprovada pela posição adotada pelo partido no processo contra o deputado André Vargas na Câmara.

A bancada do PT foi orientada a votar a favor da cassação do ex-petista, denunciado por sua ligação com o doleiro Alberto Youssef, pivô do escândalo da Petrobras. “Quando o PT pede a cassação do André, dá um exemplo concreto”, disse o presidente nacional do partido, Rui Falcão.

A singela narrativa petista, contudo, tem falhas de roteiro. A principal é que Vargas estava havia mais de 20 anos no partido, sendo uma de suas principais lideranças. Por essa razão, é preciso muito esforço para crer que, na cúpula petista, ninguém soubesse de suas traquinagens.

O fato é que Vargas perdeu apoio no PT somente quando o escândalo que o envolvia começou a ameaçar os planos eleitorais do partido – e então ele foi pressionado a abandonar a legenda à qual prestou tantos serviços, entre os quais desqualificar os ministros do Supremo Tribunal Federal que condenaram os caciques petistas à prisão no caso do mensalão.

Como o resgate da imagem “ética” do PT não pode ter contradições como essa, o partido decidiu criar uma TV na internet para dar a sua versão dos fatos. O projeto se alinha à tese segundo a qual foi a imprensa que criou o mito da corrupção petista e que é necessário mostrar ao país que, ao contrário do que sugere o noticiário diário, o PT não é conivente com as fraudes e os desvios de dinheiro público.

A esse propósito – e fica aqui a sugestão de pauta para a TV petista -, seria interessante conhecer a versão do partido para a manutenção de João Vaccari Neto como seu tesoureiro, a despeito das inúmeras denúncias de seu envolvimento com o escândalo da Petrobras.

(PARA CONTINUAR LENDO, CLIQUEM AQUI)

17/12/2014

às 15:35 \ Tema Livre

Sorteio da FIFA: a campeã foi Fernanda Lima

Fernanda Lima sobe ao palco na Costa do Sauipe: não teve pra ninguém (Foto: Sérgio Moraes / Reuters)

Fernanda Lima sobe ao palco na Costa do Sauipe: não teve pra ninguém (Foto: Sérgio Moraes / Reuters)

Post publicado originalmente a 6 de dezembro de 2013

Campeões-de-audiênciaEstava (quase) todo mundo lá: do incomparável Pelé ao grande Zidane, do técnico campeão do mundo, Vicente del Bosque, a astros do passado mais ou menos recente como Matthäus, Cannavaro ou Fernando Hierro, da presidente da República à uma vasta cartolagem e mais Bebeto, Ronaldo Fenômeno, a ótima e superpremiada Marta… mas, de novo, a FIFA não conseguiu fazer uma festa de verdade no grande evento de hoje da Costa do Sauipe, na Bahia.

Quem assiste às sonolentas entregas anuais da Bola de Ouro, que, com os recursos financeiros da entidade, sede em Mônaco e versando sobre um esporte que toca na alma de toda a Humanidade poderia e deveria ser uma festa espetacular, já deveria estar pelo que vimos pela TV.

Um show apenas mediano, diante da coruscante riqueza musical que o país tem a exibir, o pouco aproveitamento de sempre do caudal de celebridades do futebol que poderiam ter algum tipo simpático de protagonismo no evento — o capitão do tri, Carlos Alberto, foi mostrado em fugaz imagem de TV, bem como o técnico da sempre grande Alemanha, Joachim Löw, ou seu antecessor, o ex-artilheiro Klinsmann, Zagalo nem isso… e por aí vai.

A coreografia toda do evento tinha a rigidez da Suíça em que tem sede a FIFA.

Nem Pelé, há mais de meio século lidando com multidões e eventos, parecia à vontade. Todo mundo hirto, seguindo marcações rígidas e monótonas — menos ela.

Fernanda Lima foi dez: linda num vestido dourado insinuante, falando excelente inglês, simpática e desembaraçada, fazendo virar as cabeças dos craques que subiram ao palco. O marido e colega apresentador, Rodrigo Hilbert, não fez feio. Mas Fernanda esteve em casa durante todo o evento. Não teve pra ninguém.

17/12/2014

às 14:00 \ Política & Cia

STF anula processo do caso Celso Daniel, o fantasma que até hoje assombra o PT

(Foto: Dedoc/VEJA)

Celso Daniel: caso assombra o PT desde 2002 (Foto: Dedoc/VEJA)

Ex-prefeito de Santo André foi morto em 2002 quando se preparava para assumir a coordenação da campanha de Lula. Cercado de mortes misteriosas, crime acabou revelando as raízes de esquemas de corrupção do PT

De VEJA.com

A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu anular nesta terça-feira a ação penal pelo assassinato de Celso Daniel, ex-prefeito de Santo André pelo PT, morto a tiros depois de ser sequestrado em 2002. A decisão tomada hoje deverá criar um impasse jurídico porque seis réus acusados do crime já foram julgados e cumprem penas que vão de 18 a 24 anos de prisão.

A decisão foi motivada por um pedido de Sérgio Gomes da Silva, conhecido como Sombra, segundo quem sua defesa não participou do interrogatório dos demais acusados na fase de instrução do processo – anterior ao júri. Acusado pelo Ministério Público de São Paulo de ser o mandante do crime, Sérgio Gomes da Silva é o único réu que ainda não enfrentou o júri.

A votação foi apertada: os ministros José Dias Toffoli e Marco Aurélio Mello decidiram aceitar o argumento do réu. Luís Roberto Barroso e Rosa Weber votaram contra. O empate favorece o réu.

Apesar da anulação da ação penal, outras ações de improbidade administrativa abertas após a descoberta de esquemas de desvios de recursos da prefeitura de Santo André.

Arquivo Digital: Os bastidores do Caso Celso Daniel, o crime com bastidores de romance policial que causa calafrios na cúpula do PT

O crime – Prefeito de Santo André e escolhido para coordenar a campanha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Celso Daniel foi sequestrado ao sair de um restaurante e morto em circunstâncias misteriosas em janeiro de 2002.

O caso chocou o país. As investigações também: seguindo um estranho roteiro, a procura pelos assassinos esbarrava sempre em evidências de corrupção. E mais mortes. Sete pessoas ligadas ao crime morreram em circunstâncias também misteriosas, entre acusados, testemunhas, um agente funerário, um investigador e o legista do caso.

Para a polícia, Celso Daniel foi vítima de crime comum: extorsão mediante sequestro, seguido de morte. Essa também é a versão do PT. Já familiares afirmam desde o início do caso que a morte do prefeito é um crime político em torno de um esquema de propina em Santo André que era do conhecimento da cúpula petista – o embrião de esquemas mais sofisticados de corrupção colocados em prática depois que o PT chegou ao poder.

(PARA CONTINUAR LENDO, CLIQUEM AQUI)

16/12/2014

às 20:15 \ Política & Cia

“E aí, doutor, meu filho quer fazer Medicina. Ainda vale a pena ser médico no Brasil?”

"Desde o momento que optamos por fazer o curso de medicina, trazemos para a nossa vida, uma série de obstáculos a serem transpostos"

“Desde o momento que optamos por fazer o curso de medicina, trazemos para a nossa vida, uma série de obstáculos a serem transpostos”

Post publicado originalmente a 18 de outubro de 2013

Por Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira, médico anestesiologista e professor universitário que trabalha no SAMU em Araguaina (TO)

E AÍ, DOUTOR, MEU FILHO QUER FAZER MEDICINA. AINDA VALE A PENA SER MÉDICO NO BRASIL?

campeões de audiência 02Como médico e professor universitário, que também trabalha no SUS, tenho tido a oportunidade de observar uma mudança radical na forma como a sociedade vê os médicos brasileiros.

Estamos presenciando um fenômeno social muito preocupante, que tem afetado de forma devastadora o ânimo e a autoestima dos estudantes de medicina e até mesmo de alguns colegas mais maduros e experientes.

Muitos alunos estão descrentes com a carreira e preocupados com o seu futuro profissional, alguns pensando até em desistir da profissão, antes mesmo de iniciar a sua prática profissional.

Esse sentimento é justificado pelas constantes campanhas publicitárias, veiculadas por alguns meios de comunicação de massa, que vêm investindo pesado contra a classe médica, jogando toda a culpa pela péssima qualidade dos serviços públicos nacionais de saúde em nossas costas.

O objetivo deste tipo de política difamatória foge do objetivo dessa análise. Para os mais esclarecidos, já está mais do que claro que é uma estratégia utilizada para o atual governo tentar vencer as próximas eleições .

Gostaria também de relembrar aos estudantes de medicina e aos jovens médicos de nosso imenso país que nossa luta não é e nem nunca será fácil, e que todo médico já deveria estar acostumado com os sacrifícios que acompanham a escolha de nossa profissão.

Post-do-Leitor1Desde o momento em que optamos por fazer o curso de medicina trazemos para a nossa vida uma série de obstáculos a serem transpostos.

O vestibular é muito concorrido, o nível dos candidatos é elevado, nossa profissão nos obriga a tratar os mais variados tipos de mazelas e doenças , que muitas vezes acabam por também machucar as almas de quem as trata.

Além disso, em alguns momentos de nossas vidas profissional, ainda seremos obrigados a levar a triste notícia do falecimento para alguns pais, mães, irmãos, filhos e amigos desesperados.

Isso dói muito.

Em um passado não muito distante, éramos respeitados pela comunidade brasileira , que de uma certa forma, sentia-se agradecida pelo nossos serviços e além disso, ainda não nos responsabilizava pelo total abandono da saúde pública brasileira.

Não vou negar que esse respeito e gratidão acabaram me fazendo escolher esta bonita e importante profissão.

Toda família sentia um enorme orgulho ao ver o seu filho vestido de branco preparando-se para ir para a faculdade de medicina.

Porém, os tempos são outros, enfrentamos atualmente um novo cenário, mais desfavorável e injusto.

Quando algum pai de estudante de cursinho ou mesmo um aluno me perguntam o que penso sobre o futuro de nossa classe, sou obrigado a confessar que, apesar de todas as dificuldades, não escolheria outra profissão.

Ser médico realmente não é fácil, é uma grande responsabilidade. Principalmente agora, com toda a campanha difamatória do atual governo.

Porém, não devemos nos acomodar e aceitar passivamente tal situação, devemos lutar com força, fé e determinação para mudar o mais rápido possível essa triste realidade .

Acredito que somos uma categoria especial de profissionais, não porque somos SUPER-HERÓIS, mas porque, apesar de feitos de carne e ossos, de termos sentimentos, sentirmos dores, ficarmos doentes, termos medo, tristeza, cansaço, problemas financeiros e familiares, somos obrigados a esquecer de tudo quando vamos à luta, entregando-nos de “corpo e alma” para podermos tratar de nossos pacientes.

Por fim, concluiria dizendo a todos os jovens que desejam cursar medicina, aos próprios estudantes de medicina e aos jovens médicos em geral que, apesar de tentarem nos humilhar, nos desvalorizar, nos desonrar perante a nossa população, ninguém tirará de nós aquele sentimento nobre, único e gratificante de termos salvo uma vida, de termos amenizado a dor de uma enfermidade, de termos visto a alegria de um pai e de uma mãe no momento do nascimento de seu tão esperado filho.

ISSO NOS FAZ REALMENTE ESPECIAIS.

Por isso, continuo afirmando, que apesar de tudo o que acabei de relatar e de todas as dificuldades que estamos enfrentando, vale sim, muito a pena ser médico.

FELIZ DIA DOS MÉDICOS, HOJE, DIA 18, A TODOS OS PROFISSIONAIS DO BRASIL E DO MUNDO.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados