Blogs e Colunistas

28/08/2014

às 16:30 \ Tema Livre

MULHERES LINDAS — Ana Hickmann após a gravidez: “Cortei pão, bolo e churrasco, o que, para uma gaúcha, é um pesadelo”

(Foto: Valério Trabanco)

Na primeira sessão de fotos após ser mãe, Ana Hickmann não decepciona (Foto: Valério Trabanco)

De volta à luta, com tudo em cima

Nota de Juliana Linhares publicada em edição impressa de VEJA

Ser mãe muda a vida de toda mulher. Mas a de uma que tem as medidas e os empreendimentos de Ana Hickmann muda em números cuidadosamente controlados.

Como apresenta um programa diário, Ana achou melhor tirar apenas setenta dias de licença-maternidade. Com 2 500 produtos associados a ela à venda no mercado, também perdeu em cinco meses os 30 quilos ganhos na gravidez. E, como tem um corpo feito para a fotografia e uma cabeça voltada para os negócios, já existe a possibilidade de fazer publicidade ao lado do filhinho no ano que vem.

Essa linda foto é a primeira de Ana com o corpo exposto pós-gravidez, mas ela, claro, não está satisfeita. “Cortei pão, bolo e churrasco, o que, para uma gaúcha, é um pesadelo”, diz Ana. “Mas meu abdômen ainda está inchado.”

Quem enxergar o inchaço ganhará pão, bolo e churrasco.

Ana Hickmann ainda acha que está com o abdômen inchado. Onde? (Foto: Valério Trabanco)

Ana Hickmann ainda acha que está com o abdômen inchado. Onde? (Foto: Valério Trabanco)

 

(Foto: Mauricio Nahas/Boa Forma)

(Foto: Mauricio Nahas/Boa Forma)

(Foto: Mauricio Nahas/Boa Forma)

(Foto: Mauricio Nahas/Boa Forma)

28/08/2014

às 15:27 \ Política & Cia

… e Dilma está devendo dois anos de IPVA de seu calhambeque no Rio Grande do Sul

(Ilustração: Baptistão)

(Ilustração: Baptistão)

 

O CALHAMBEQUE OFICIAL

Nota publicada na seção “Holofote” de edição impressa de VEJA

Na declaração de bens que apresentou à Justiça Eleitoral, a presidente Dilma Rousseff lista, entre outros itens de seu patrimônio, um Fiat Tipo 1996.

Em valores atuais, o carro, que já saiu de linha, valeria no máximo 6 mil reais.

O que não aparece no documento é que a presidente está devendo dois anos de impostos ao governo do Rio Grande do Sul, onde o veículo está registrado.

No cadastro do Detran consta que o IPVA de 2013 e 2014, e também o seguro obrigatório, não foram pagos.

A dívida é de 691,13 reais — uma ninharia perto do 1,7 milhão de reais que Dilma informa como o valor total de seus bens, que incluem ainda terrenos, apartamentos, joias e 152 000 reais em dinheiro vivo.

28/08/2014

às 14:00 \ Política & Cia

Garotinho aconselha Dilma a ‘não se apavorar’

Dilma Rousseff almoça com Anthony Garotinho em restaurante popular no Rio de Janeiro (Foto: Ricardo Moraes/Reuters)

Dilma Rousseff almoça com Anthony Garotinho em restaurante popular no Rio de Janeiro (Foto: Ricardo Moraes/Reuters)

Por Daniel Haidar, do Rio de Janeiro, para o site de VEJA

Depois de almoçar em um restaurante popular com a presidente-candidata Dilma Rousseff, o ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho (PR) disse, em conversa com jornalistas, que poderia dar alguns conselhos para a petista.

“O melhor conselho que alguém dá nessa hora é não se apavorar com nada. Ter calma. Se eu fosse ouvir muitas pessoas, não tinha nem sido candidato. Tudo muda”, afirmou Garotinho, que aparece em primeiro lugar na pesquisa Ibope, com 28% das intenções de voto.

Com uma derrota na corrida presidencial, em 2002 pelo PSB, e um histórico de alta rejeição na Zona Sul da capital fluminense, Garotinho falou em tom professoral que o eleitorado carioca é historicamente dividido.

“O Rio foi palco do episódio mais dramático da política brasileira, que foi o suicídio de Getúlio Vargas. Então existe uma ala da cidade que é lacerdista inveterada. Tudo que se pareça com povo, trabalhismo, Brizola, Jango (João Goulart), ela rejeita. E há outra área, que é esta aqui, na Zona Oeste, que é getulista, trabalhista e tudo que parece com Brizola ela acolhe. Eu sou assim”, afirmou, usando a histórica disputa entre Carlos Lacerda e Getúlio Vargas para definir o quadro atual.

27/08/2014

às 22:59 \ Política & Cia

NA TVEJA: Em discussão, a entrevista de Marina hoje ao “Jornal Nacional”, os últimos resultados do Ibope e o debate entre candidatos na Band. Confiram

Será que Marina Silva “já ganhou” a eleição?

A presidente Dilma Rousseff tem como se recuperar da virada que sofreu no segundo turno, indicada pela mais recente pesquisa de intenção de voto do Ibope — segundo a qual perderia a eleição para Marina por 9 pontos percentuais?

O que Aécio Neves (PSDB) pode ou deve fazer para avançar?

Não falta ao candidato tucano demonstrar mais indignação por uma série de vulnerabilidades do lulopetismo?

A questão do jatinho de campanha que protagonizou o acidente no qual morreu Eduardo Campos atinge a imagem de “incorruptível” de Marina?

A questão de quem governará com uma presidente Marina preocupa?

Essas são várias das questões debatidas nesse programa “Aqui entre nós”, em que trocam ideias e informações a âncora Joice Hasselmann, o editor do site de VEJA, Carlos Graieb, o colunista Augusto Nunes e eu.

Confiram:

27/08/2014

às 19:07 \ Política & Cia

Aécio sobe tom contra Marina: “Brasil não é para amadores”

Aécio faz campanha em São Paulo nesta quarta-feira (Foto: Igo Estrela/Coligação Muda Brasil)

Aécio em campanha em São Paulo nesta quarta (Foto: Igo Estrela/Coligação Muda Brasil)

No dia seguinte à pesquisa Ibope que mostrou Marina dez pontos à sua frente, tucano se apresenta como a “mudança segura”. E diz que não pretende questionar a candidata do PSB sobre jato em que morreu Eduardo Campos

Por Bruna Fasano, para o site de VEJA

No dia seguinte à pesquisa Ibope que apontou Marina Silva (PSB) com 29% das intenções de voto na corrida pelo Planalto, o tucano Aécio Neves endureceu o tom contra a ex-senadora. “O Brasil não é um país para amadores”, afirmou nesta quarta-feira, em referência à adversária.

Em evento que marcou o lançamento de uma plataforma para jovens voluntários no comitê estadual do PSDB, Aécio procurou salientar a inexperiência de Marina e classificou as propostas tucanas como “mais consistentes”. “O Brasil pagou muito caro pela inexperiência daqueles que hoje estão no poder. E eu acredito que não vai querer correr novos riscos. Nós somos a mudança segura, responsável e com os melhores quadros”, disse o tucano, alvo da artilharia da candidata do PSB no primeiro debate entre presidenciáveis na TV.

“O Brasil não é um país para amadores”, completou.

Leiam também:
O debate que você não viu
No 1º debate, Dilma e Aécio buscam polarização, e Marina ataca os dois

O tucano ainda afirmou que a proposta do partido “não é improvisada, é consistente”, em contraponto aos planos apresentados pela candidata do PSB. Acompanhado pelo candidato a vice, o senador Aloysio Nunes Ferreira (SP), Aécio cobrou empenho dos voluntários.

“Não sabemos se [Marina] é governo ou oposição”

Já Aloysio reforçou que a corrida eleitoral é “extremamente competitiva” e com “três candidatos que poderão e deverão dividir a atenção do eleitorado” na reta final. O vice de Aécio afirmou ainda que a presidente-candidata Dilma Rousseff vive em um “universo paralelo, acha que está tudo muito bem”.

Contra Marina, Aloysio disparou: “Temos uma pessoa que não sabemos se é governo ou se é oposição. Alguém que se apresenta como quem foi ungida pela providência para, de repente, instituir a nova política”, afirmou Aloysio. “Mas, não há nova política contraposta à velha política. O que há é a boa política contraposta à má política. E a boa política é a política de propostas”, completou o vice de Aécio.

O presidenciável, no entanto, minimizou o impacto da pesquisa eleitoral desta terça – em que aparece com 19% das intenções de voto, fora de um eventual segundo turno – e afirmou que “pesquisas importantes são aquelas que serão feitas no dia da eleição”.

Avião

Questionado pelo site de VEJA se pretende cobrar de Marina explicações sobre o uso do jato que até agora não consta das prestações de conta da campanha socialista, Aécio afirmou: “Essa é uma questão que não cabe a mim fazer. Espero que o partido saiba dar as informações”.

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a aeronave que caiu no último dia 13, matando o então candidato Eduardo Campos, não poderia ser utilizada na campanha por estar em nome da AF Andrade, de usineiros de Ribeirão Preto (SP). A legislação só permitiria que o jato fosse usado na campanha como doação se a AF Andrade atuasse no ramo de táxis aéreos.

Além de Campos, Marina também utilizou o avião em atividades de campanha. O caso está sendo investigado pela Polícia Federal.

27/08/2014

às 17:21 \ Política & Cia

REJEIÇÃO AO PT: Até Suplicy esconde — imaginem vocês — que é do partido! Em sua campanha ao Senado por SP, não aparece NADA do PT. Confiram neste vídeo

Amigas e amigos do blog, a rejeição à presidente Dilma no Estado de São Paulo é tão alta — 47% dos eleitores, segundo o instituto Datafolha, em hipótese alguma lhe dariam seu voto — que está obrigando até a petistas de 28 costados, como o senador Eduardo Suplicy, fundador do partido, a ESCONDER o nome do PT!!!

Sim, o “santo” Suplicy, em sua campanha para um quarto mandato de senador — está no Senado há 24 anos, e quer mais oito –, NÃO DIZ QUE É DO PT e nem MOSTRA SÍMBOLOS DO PT nos seus vídeos de campanha.

Sua campanha, basicamente, limita-se, como vocês verão neste filme, a dizer o quanto ele é “honesto” e repete uma, duas, cem vezes que Suplicy “é do bem”.

Por ora, Suplicy está atrás do ex-governador José Serra nas pesquisas de intenção de voto.

Vai ver que, omitindo o PT em sua campanha, imagina que algum eleitor NÃO SAIBA que ele é do partido…

Ah, para não cometer injustiças, ele usa uma mini-estrela do PT como pingo do “i” de seu nome. E nada mais.

27/08/2014

às 17:00 \ Política & Cia

TVEJA — NÃO PERCA, HOJE, ÀS 20H30: Augusto Nunes, Carlos Graieb e eu analisaremos, com Joice Hasselmann, os mais recentes números do Ibope e o desempenho dos candidatos no debate da Band

(Foto: Ivan Pacheco/VEJA.com)

Marina Silva, Aécio Neves, o mediador Ricardo Boechat e Dilma, no debate da Band que terminou na madrugada de hoje (Foto: Ivan Pacheco/VEJA.com)

O “Aqui Entre Nós” da TVEJA vai analisar, a partir de 20h30, ao vivo, os mais recentes números do Ibope, que mostram vitória de Marina Silva (PSB) sobre Dilma Rousseff (PT) no 2º turno da eleição presidencial, e a atuação dos principais candidatos à Presidência no primeiro debate entre aspirantes ao Planalto realizado pela Band e encerrado na madrugada de hoje.

A âncora Joice Hasselmann vai debater com Augusto Nunes, o editor do site de VEJA, Carlos Graieb, e eu.

Esperamos vocês às 20h30. Até lá e… obrigado!

27/08/2014

às 16:03 \ Política & Cia

Zeca Dirceu faz desaparecer o nome do pai em sua campanha para a reeleição como deputado

(Foto: Dida Sampaio/AE)

Antes orgulhoso do nome do pai, Zeca Dirceu agora atende apenas por Zeca, para evitar associações ao mensaleiro em época eleitoral (Foto: Dida Sampaio/AE)

SEM NOME DO PAI

Nota publicada na seção “Holofote” de edição impressa de VEJA

Na certidão de nascimento, o deputado federal Zeca Dirceu (PT-PR) chama-se José Carlos Becker de Oliveira e Silva, mas entrou para a política em 2004 usando o segundo nome do pai, José Dirceu, que era na época o poderoso chefe da Casa Civil e seu principal cabo eleitoral.

Agora, dez anos depois, quando Zeca tenta o segundo mandato como deputado federal, a imagem do pai sumiu da sua propaganda eleitoral.

No jingle de campanha, o refrão resume-se em “Vote Zeca”. “Dirceu” surge uma única vez durante a música.

No site do deputado, também não há nenhuma foto ou menção ao agora presidiário, condenado por crime de corrupção.

27/08/2014

às 15:00 \ Política & Cia

TRANSPOSIÇÃO DO SÃO FRANCISCO: Dilma ressuscita na TV a obra invisível que, em parceria com Lula, fingiu inaugurar duas vezes para tapear eleitores nordestinos

Post originalmente publicado no blog de meu amigo Augusto Nunes

Em 2009, Lula voltou a jurar de morte o fenômeno que atormenta o Nordeste desde o século 19: a seca acabaria para sempre. Não em 2010, como prometera em 2008, mas dali a três anos, assim que fosse concluída a transposição das águas do Rio São Francisco: “Vai sê inaugurada definitivamente em 2012, a não sê que aconteça um dilúvio ou qualquer coisa”, garantiu o palanque ambulante.

Em 2012, Dilma Rousseff confirmou que, como avisara o padrinho, o sertão iria mesmo virar mar. Mas só em 2014. Dilúvio não houve, nem se soube de qualquer coisa suficientemente poderosa para ordenar ao São Francisco que permanecesse onde sempre esteve. O que teria acontecido? A obra foi subestimada pelos responsáveis, explicou a responsável pela obra.

Meses atrás, convidada a justificar o prosseguimento dos trabalhos de parto iniciados há cinco anos sob a supervisão da Mãe do PAC, Dilma irritou-se com Dilma: “Num acredito que uma obra dessas em qualquer lugar do mundo leve dois anos pra sê feita”. Só no Brasil Maravilha que o padrinho criou e a afilhada aperfeiçoa. Tanto assim que, na semana passada, a candidata à reeleição confessou que o deslumbramento fluvial não se tornará visível tão cedo.

De volta ao São Francisco para gravar cenas planejadas pelo marqueteiro João Santana, a supergerente caprichou no dilmês de comício para explicar os motivos de mais um adiamento: Tente entender o palavrório reproduzido sem retoques nem correções:

“Acho que uma parte significou a chamada curva de aprendizado, você tem de aprender a fazer. A segunda parte, eu acho que a complexidade da obra é maior do que se supunha, principalmente quando você considera que não é pura e simples a abertura de canal. É também estações de bombeamento”.

Cenas da visita ao rio que teima em não sair do leito ilustraram a ressurreição da vigarice franciscana no horário eleitoral da TV. Além de exterminar a seca, o milagre das águas agora também vai “irrigar esperanças e secar muita lágrima dos nordestinos”. Basta votar em Dilma e ter paciência para esperar mais um ano e pouco. Ou mais um mandato. Ou mais um século. Haja cinismo.

27/08/2014

às 14:00 \ Política & Cia

Post do Leitor: “Por que acho que o melhor para o Brasil é a vitória de Marina”

(Foto: Dida Sampaio/AE)

“Marina tem DNA petralha, ela e muitos ‘cumpanheiros’ da cúpula do PT são cobras do mesmo ninho e de longa data — se a bomba explodir entre eles, melhor”, opina o leitor Paulo Marcos (Foto: Dida Sampaio/AE)

Texto do leitor Paulo Marcos

Post do LeitorAo acessar a coluna do Setti, algo que faço frequentemente com muito gosto, e ler sobre a enquete em curso sobre quem os leitores acham que irá para o segundo turno da eleição presidencial, fiquei refletindo sobre o assunto e cheguei à conclusão que o melhor para o Brasil em médio prazo será a vitória da candidata Marina Silva.

Digo isso por sabermos que, inevitavelmente, o próximo governo, de quem quer que seja, terá de tomar medidas impopulares, provavelmente conviver com um período de economia recessiva, cortar gastos, extinguir ministérios (acabando com muitas boquinhas de forma direta e indireta), acabar com muitos cargos comissionados, cortar verbas para ONGs, etc.

Os preços de energia elétrica e combustíveis estão represados faz um bom tempo e terão de ser reajustados, o que possivelmente acarretará em mais inflação, aumento da taxa de juros, falta de oferta de crédito no mercado e por aí vai.

Se imaginarmos um cenário sem o PT como oposição e toda sua rede de influência , que vai desde o ambiente político, passando pelo jornalístico (a grande maioria deste meio é composto de esquerdistas) e até o  universitário (as universidades públicas são verdadeiros criadouros de zumbis da ideologia comuno-socialista), o Aécio seria a melhor escolha.

Porém, no quadro atual, com uma bomba relógio prestes a explodir nas mãos do próximo governo, creio que farão da gestão do Aécio Neves um verdadeiro inferno — as forças sindicais promoverão todo tipo de greve e entrave, os movimentos sociais promoverão todo tipo de baderna, invasões e confrontos… Em suma, o PT e seus asseclas tocarão fogo neste país! E, cá para nós, o PSDB e o Aécio não têm tido e não terão pulso firme para bater de frente com a rede petralha (…).

E sabe o que vai acontecer, com uma população em sua maioria composta de gente ignorante financeiramente falando e muito ingênua no sentido político? Vão engolir a falácia que será disseminada pela rede petralha de que o PSDB destruiu o país, que são neoliberais, privateiros, defendem interesses internacionais e bla bla bla!

Com isso corremos o grande risco de o PT voltar novamente em 2018 e enterrar de vez qualquer possibilidade de se surgir uma corrente política nova e realmente viável para o Brasil. Esse é o meu maior temor!

Sendo Marina Silva a próxima presidente, não correremos este risco, além de termos a vantagem de tirar o PT de dentro das engrenagens da máquina do Estado, desaparelhando diversos setores e ainda por cima dando um freio no cronograma bolivariano do Foro de São Paulo em curso no país.

Marina tem DNA petralha, ela e muitos ‘cumpanheiros’ da cúpula do PT são cobras do mesmo ninho e de longa data — se a bomba explodir entre eles, melhor!

Acho que será um trauma tão grande que sepultará de vez a aventura socialista/populista no Brasil e abrirá o caminho para novas correntes políticas mais à direita (coisa que praticamente não existe hoje, salvo raras exceções), que defendam, sem constrangimento, a diminuição do Estado a sua menor presença na vida do cidadão, o liberalismo econômico, os valores da família, uma reforma tributária justa, as liberdades individuais, etc.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados