Blogs e Colunistas

20/10/2012

às 18:10 \ Bytes de Memória

Histórias secretas de Playboy (4): o dia em que Pelé foi, pessoalmente, recolher todas as fotos de Xuxa nua

Xuxa abraçando Pelé nos bons tempos: namoro foi de 1981 a 1986

Campeões de Audiência(Amigos, com a reedição deste post damos continuidade à série que, brincando, chamamos de “Campeões de Audiência” porque se trata de reapresentar aos muitos leitores novos do blog, em dias diferentes, os posts mais acessados desde o início desta coluna, a 13 de setembro de 2010.

Refiro-me aos posts mais acessados, e não aos mais comentados. O post abaixo foi publicado originalmente no dia 27 de novembro de 2010).

De repente, ali estava ele: o sorriso planetariamente conhecido, o topete típico, inimitável, metido dentro de um estranho traje entre o terno e um conjunto esportivo, com calças e uma espécie de paletó ou casaco sem gola e do mesmo material: couro macio azul. No mais, uma camiseta cinza-clara também sem gola, sapatos pretos reluzentes, um relógio vistoso no pulso esquerdo.

O Rei, o Atleta do Século, o mago, o mito. O homem mais famoso do mundo, Pelé, acabara de chegar a uma sala no 6º andar da na época sede da Editora Abril, na Avenida Marginal do Tietê, em São Paulo, naquela tarde de um dia de um determinado mês, provavelmente maio, de 1985.

Celebridades eram rotina naquele edifício, mas Pelé causou grande alvoroço

Naquele edifício era comuníssimo, fazia parte do dia-a-dia o entra-e-sai de celebridades de todos os calibres — governantes, inclusive presidentes, líderes políticos, ídolos do esporte, estrelas da TV e da música popular, modelos de sucesso –, para realizar visitas de cortesia, conceder entrevistas, tirar fotos ou almoçar com jornalistas ou diretores da empresa no restaurante do chamado Roof, um espaço ajardinado situado na cobertura que incluía um heliporto.

Mesmo assim, tratava-se de Pelé, s sua chegada provocou grande alvoroço. Corre-corre na chegada, gritinhos, pedidos de autógrafo, uma atmosfera que incluiu até as secretárias, algumas venerandas, do Sexto Andar — o andar abaixo do da redação de VEJA e onde se instalava a diretoria, e cuja numeração ordinal designava, na gíria interna da Abril, o poder na empresa. “O Sexto Andar vai gostar desta capa”, dizia-se. “O Sexto Andar ainda não decidiu pelo lançamento da revista tal”. E por aí vai.

Reprodução de parte do pôster da edição de 10º aniversário de "Plabyoy": última foto da estrela nua na revista

A missão do Rei: recolher todas as fotos de Xuxa nua

Pelé abrira espaço na sua movimentadíssima agenda para uma missão de caráter pessoal: recolher, ele mesmo, todos os cromos (slides) e negativos de todas as fotos em que Maria da Graça Meneghel, a Xuxa, namorada do Rei desde 1981, aparecia nua nas páginas de Playboy. Xuxa, àquela altura, ultrapassara de longe a categoria de estrelinha em busca de popularidade, que exibia o corpo no Carnaval e surgia seminua ou despida em revistas, e se consolidava havia dois anos na TV como a apresentadora de programas infantis que se tornaria a “Rainha dos Baixinhos”.

Preocupada com sua nova imagem, Xuxa, que posara nua em cinco oportunidades para uma concorrente de Playboy de circulação menor, a extinta Ele & Ela, da Bloch Editores, não queria deixar rastros dessa fase de sua vida. Pelo que entendi da conversa, as fotos da revista dos Bloch já haviam retornado a suas mãos, já que ela era a grande atração da também já extinta Rede Manchete de Televisão, do mesmo grupo. (Xuxa iria se transferir no ano seguinte, 1986, para a Globo, onde trabalha até hoje. No mesmo ano terminaria seu longo caso com Pelé).

A apresentadora ainda tomaria medidas polêmicas nessa refeitura de imagem, que incluíram a apreensão, graças a uma medida judicial, de todas as cópias em vídeo e DVD do filme Amor Estranho Amor (1982), do respeitado cineasta Walter Hugo Khouri, no qual sua personagem não apenas aparecia nua como introduzia um menino de 12 anos no mundo sexo.

Os advogados de Xuxa argumentaram, com sucesso, que o contrato para o filme não previa versão para vídeo ou DVD. Xuxa viu-se muito criticada uma vez que, não mais sendo reprisado no cinema, e raríssimas vezes na TV — hoje em dia, certamente não na Globo –, o filme praticamente desapareceu da cultura brasileira.

 

Xuxa e Pelé durante coquetel oferecido à colônia brasileira em Nova York, no dia 27 de setembro de 1982

Apagar o passado de símbolo sexual

A reunião na Editora Abril ia na mesma linha de apagar o passado da estrela como símbolo sexual. E Xuxa jogara pesado: enviara ninguém menos do que Pelé como seu emissário. A reunião fora acertada entre Pelé e o diretor de Redação na época, o quase legendário Mário Escobar de Andrade, que comandou direta ou indiretamente a revista desde pouco tempo após o lançamento, em 1975, até falecer de forma prematura em 1991, quando, sem deixar de supervisionar Playboy, vinha acumulando outras funções.

Eu era redator-chefe da revista por ocasião da reunião com o Rei – só muito tempo mais tarde, em 1994, depois de trabalhar em diferentes veículos, inclusive fora da Abril, seria convidado a tornar-me diretor de Redaçãod de Playboy. Naquele 1985, como redator-chefe, supervisava o trabalho de editores e repórteres, cuidava das reportagens, entrevistas, matérias de serviço e de todo o texto, da primeira à última palavra, mas nada tinha a ver com a contratação das garotas de capa nem com os ensaios de mulheres nuas, atribuição de outros colegas e do diretor de Redação.

Mesmo assim Mário, por alguma razão, me quis presente à reunião, talvez como testemunha. As redações das revistas mensais da Abril não mais cabiam no edifício da Marginal do Tietê, e a maioria delas, inclusive a de Playboy, localizava-se num prédio no bairro paulistano do Brooklyn. De lá viemos para o encontro. À nossa espera estava o dr. Edgard de Silvio Faria, um dos diretores da Abril, cujas funções incluíam a área jurídica.

Depois de atravessar com paciência o torvelinho de assédio a que estava inteiramente acostumado há décadas, o Rei chegou à sala sem assessores ou advogados, acompanhado apenas de seu irmão, Jair Arantes de Nascimento, o Zoca, dois anos mais novo, que funcionava como uma espécie de assessor pessoal. Feitas as apresentações, todos se sentaram e, após alguns minutos de small talk, Mário foi à luta.

Na reunião, o irmão de Pelé pingava adoçante no cafezinho do Rei

Sempre cativante e diplomático, como de seu feitio, Mário de Andrade começou elogiando Pelé pelo que representava para o Brasil e por sua simplicidade a despeito da fama, agradecendo o fato de ter vindo pessoalmente à Abril. Disse que a devolução das fotos era uma deferência especial a ele, Pelé, e também uma consideração para com Xuxa.

Nesse meio tempo, me impressionou o relacionamento de Pelé com o irmão que tentou, sem êxito, ser jogador de futebol profissional pelo mesmo time do Santos. Zoca agia como uma espécie de mordomo de Pelé, que por sua vez se comportava em relação ao irmão como patrão. Se o garçom da Abril servia um café a Pelé, Zoca apressava-se, a um sinal do Atleta do Século, a pingar adoçante na xícara. Confesso que fiquei um tanto chocado com o servilismo de Zoca, e com a naturalidade com que Pelé o encarava.

Com a passagem dos anos, Zoca também mudara muito fisicamente, em relação à figura do jogador efêmero de que eu me lembrava. Na juventude, embora não fosse parecido com Pelé, tinha a mesma cor e o mesmo tipo de cabelo do irmão. O Zoca à nossa frente, porém, com um bigodinho fininho, pele bem mais clara e cabelos esticados, lembrava um portorriquenho de filme americano.

Lá pelas tantas na conversa, Mário de Andrade introduziu espertamente um tema: Playboy completaria 10 anos de existência no mês de agosto daquele ano. Um perfil de Pelé em Nova York – onde ele vivia a maior parte do tempo, como executivo da Warner Communications – seria perfeito para a edição especial planejada. Pelé não poderia, em troca da gentileza da devolução das fotos (algumas, por contrato, ainda poderiam ser publicadas), atender com especial atenção a um jornalista da publicação, “abrindo” sua vida de maneira mais livre do que costumava fazer com jornalistas?

Pelé aceita abrir sua vida para o editor Nirlando Beirão

Pelé topou na hora e Mário, rápido, já indicou quem iria procurá-lo: o editor Nirlando Beirão que, além de ser um dos melhores jornalistas do país já na época, era (e é) um gentleman impecável, diante de cuja inteligência, simpatia e magnetismo pessoal os entrevistados não costumavam resistir.

O dr. Edgard, que pouco interveio durante o encontro porque, experiente, percebeu que as coisas andavam bem, diante do acerto amigável estendeu a Pelé minutas de contrato previamente preparadas para sacramentar a devolução das fotos, pelas quais o Rei se tornou responsável. Mário passou a Pelé um envelope com as fotos de Xuxa.

Não era tanto material como muita gente poderia imaginar. Xuxa, na verdade, protagonizou apenas um único ensaio para Playboy, publicado na edição de 7º aniversário, em agosto de 1982, e ao lado da irmã Maruska. As chamadas de capa falavam em “Segredo de família” e “As fotos que Pelé quase proibiu”. Fotos desse ensaio, algumas inéditas, seriam depois republicadas, em diferentes edições. A última de todas seria um pôster na edição de 10º aniversário, concessão que Mário obteve de Pelé no finzinho da reunião.

Xuxa na edição de 7º aniversário de "Playboy": "As fotos que Pelé quase proibiu"

O que ocorreria é que Playboy, aproveitando a capa com Xuxa e a irmã, acabou explorando o “veio Xuxa” a partir de então. Vieram, em consequência, capas com a hoje atriz Luciana Vendramini (uma das “xuxetes”, denominação que precedeu a das “paquitas”), em dezembro de 1987, com Andréa Veiga (paquita), em setembro de 1988, com Regina Meneghel (cunhada de Xuxa), em maio de 1989, com Deborah Meneghel (prima), em outubro de 1989, com Ângela Matos (secretária e irmã de sua então empresária Marlene Mattos), em abril de 1991, e com a também xuxete Shirley Miranda, em julho de 1992. Em minha gestão, fizemos uma capa com a ex-paquita Andréa “Sorvetão”, em dezembro de 1995.

(Eu não conseguiria recuperar a trajetória de Xuxa na revista, nem as de estrelas de capa a ela ligadas, se não fosse o auxílio do Romário de Oliveira, o maior fã de Playboy que já conheci, e que trabalhou no atendimento ao leitor da revista — e na descoberta de garotas para posar — de 1990 a 1998. Romário é um arquivo vivo de Playboy, a quem agradeço aqui pela colaboração).

A reunião toda entre Pelé, Mário de Andrade e Edgard de Silvio Faria, presenciada por mim e por Zoca, não durou uma hora. Mário, por via das dúvidas, anotou todos os telefones de Pelé para passar a Nirlando.

Feitas as despedidas, Mário e eu, em meio a novo alarido pelos corredores da Abril, acompanhamos Pelé até o térreo, onde um carro com motorista o esperava.

Regina Meneghel, cunhada de Xuxa, na edição de setembro de 1988: o "veio Xuxa"

Pelé em Nova York: um belo apartamento, casa em meio a milionários, um Cadillac com motorista, amigo de Robert Redford e Muhammad Ali

O resultado da negociação, para Playboy, seria um perfil espetacular publicado na edição de 10º aniversário, em agosto de 1985, escrito por Nirlando Beirão sob o título “A Vida do Rei em Nova York”.

Preciso contar a vocês, amigos do blog, um pouco do que contém essa matéria.

Pelé para Nirlando: “Um dia desses, descendo para almoçar, acho que no Charley O’s da rua 48, com o Robert Redford, estávamos eu e ele na rua, e ele, de repente, espantado, me disse: ‘Fuck, man, how popular you are!’ Também pudera: eu já tinha dado uns dez autógrafos e ele, o Robert Redford, nenhum”.

O grande ator era amigo e vizinho de escritório de Pelé — no mesmo prédio, no mesmo andar.

Pelé para Nirlando: “A Jackie Kennedy me cumprimentou, e na mesma hora senti aqueles olhares em volta, como se o pessoal estivesse pensando: ‘Pô, o crioulo está com tudo’, e eu lá, pensando, ‘Ela nem é bonita, nem dá tesão’”.

Pelé para Nirlando: “Estraçalhei o [cineasta Steven] Spielberg numa partida de tênis em East Hampton [paradisíaco reduto de milionários à beira-mar em Long Island, próximo a Nova York] ele não acerta uma bola…”

Pelé para Nirlando: “Uma noite, indo jantar, eu e o [extraordinário campeão mundial dos pesos-pesados Muhammad] Ali (…). “Ele chorou na minha festa de despedida”.

Executivo da multinacional Warner, com dez anos de casa e responsabilidades de globetrotter, como escreveu Nirlando, o Rei naquela época vestia ternos da centenária loja Brooks Brothers, levava um Rolex de ouro no pulso, desfilava num imenso Cadillac preto do ano, com telefone a bordo — décadas antes dos celulares –, presente da empresa.

"A Vida do Rei em Nova York": um perfil espetacular de Pelé publicado por "Playboy" na edição de 10º aniversário

Vivia na Rua 54, esquina com a Segunda Avenida, num apartamento igualmente presenteado pela Warner, de dois salões e três quartos, para o qual se mudara seis anos antes, depois de separado da primeira mulher, Rose Cholby do Nascimento – processo penoso, caro e lento que levou dois anos para terminar. Há 25 anos, o apartamento valia 700 mil dólares.

E o dono tinha entre seus vizinhos Dustin Hoffman e Al Pacino.

Ajudava financeiramente os tios em Três Corações, lavava a própria roupa, relaxava em bangalô de rico em East Hampton

Famoso, poderoso e rico, no entanto, Pelé lavava e secava sua própria roupa na lavanderia do edifício, como faz todo mundo em Nova York.

Continuava ajudando financeiramente os pais, Dondinho e Celeste, alguns tios e primos na sua cidade natal de Três Corações (MG). Pagava religiosamente pensão para a ex-mulher e bancava as despesas dos filhos Kelly Cristina, Edinho e Jennifer. Só Edinho lhe custava, na época, 8 mil dólares mensais.

Para relaxar, costumava esticar nos fins de semana no bangalô construído em meio a 1.500 metros quadrados de um dos mais valorizados braços de mar de East Hampton, o balneário chique dos novaiorquinos, dotado de piscina, um ancoradouro para a lancha e uma garagem para o barco a vela.

Era, por sinal, o único negro em redondezas que abrigavam em weekends ou temporadas gente como a atriz Lauren Bacall, o diretor de cinema Sidney Lumet e legendário diretor do jornal The Washington Post, Ben Bradlee.

120 mil quilômetros viajados em 6 meses — e 14 passaportes cheios de vistos e carimbos

Para ter e dispor de tudo isso, o homem trabalhava duro, verificou Nirlando. Pelé a essa altura da vida passava sete meses no circuito Nova York-Europa e cinco meses fazendo do Brasil ponte para viagens. (No Brasil, possuía uma grande casa em Santos, sua cidade de adoção, cedida aos pais, uma casa e uma cobertura em São Paulo e a casa recém-inaugurada no Guarujá, litoral paulista, onde vive até hoje).

Nem havia terminado aquele primeiro semestre de 1985 e o Atleta do Século já viajara 120 mil quilômetros de avião, em primeira classe, naturalmente, algo como 134 horas de voo.

Do Brasil para Nova York e vice-versa inúmeras vezes, e de Nova York para Los Angeles, Tóquio (duas vezes), Frankfurt, Munique, Londres, Paris, Sidney (Austrália), Nairobi (Quênia), Kampala (Uganda), as ilhas caribenhas de Saint Thomas e Guadalupe, Assunção (Paraguai) e Santa Cruz de la Sierra (Bolívia), com compromissos já agendados para países como a Arábia Saudita e, uma vez mais, a Austrália.

Não é de estranhar que, àquela altura, já acumulasse 14 passaportes repletos de vistos e carimbos de entrada e de saída. Achava tempo, no entanto, para praticar judô e karatê.

Quanto ganhava o Rei? Bom de drible, Pelé desconversou, mas deu pistas. “Uma nota”, reconheceu. “Mas não dá para calcular porque o forte é o que vem em royalties, faturamento de publicidade, de merchandising”. Calculava ter 50 pessoas trabalhando com ele na Warner, sem contar seus representantes pessoais em países como o Japão e a Inglaterra.

Precursor em relação ao que enche os bolsos dos atletas de hoje, há 25 anos a gigante de alemã de artigos esportivos já havia lançado toda uma linha de chuteiras com seu nome.

Pelé abre o coração: casou com Rose, a primeira mulher, sem amá-la

A parte mais delicada e reveladora do perfil escrito por Nirlando, porém, seria a em que Pelé abordou aspectos da vida pessoal, sobretudo de seu casamento com Rose. Veja só:

“Eu nunca disse isso para ninguém: eu gostei muito da Rose numa época, quando eu a conheci ela tinha uns 13 para 14 anos, e eu 18 para 19. Eu saía pra caçar com o pai dela, pra pescar, ia na casa dela, eu e outros jogadores do Santos, a gente ia em grupo. Ela e as irmãs, são três irmãs, eram fanáticas pelo Santos, a gente fez amizade, começamos a sair juntos, amigo, amiga, acabei namorando e casando. Depois eu descobri que não amava, eu casei sem amar.”

Nirlando perguntou: “E ela?”

“Não sei, da mesma maneira que eu pensei que amava, e não amava, só gostava, talvez ela tivesse pensado que amava e só gostava. Mas, por educação religiosa, essas coisas, eu não queria separar de jeito nenhum. Um dia, ela quis separar, propôs uma coisa que eu não iria cumprir, porque eu sou honesto. Ela queria, depois que a gente veio para cá [Nova York], em 1975, que eu deixasse de fotografar, de fazer comerciais com mulher, que eu deixasse de filmar, que eu vivesse só para ela e pro Cosmos [time de futebol da Warner que contratou Pelé em 1977, três anos depois de ele encerrar sua carreira no Santos].Ou isso ou a separação. Quer dizer, ela me botou na parede”.

Mais adiante, depois que Pelé revela como o casamento estava complicado, Nirlando pergunta:

– Mas vocês ainda tiveram a filha Jennifer. Foi uma tentativa de salvar o casamento ou aconteceu sem esperar?

“É uma coisa meio difícil pra eu explicar, porque a gente não tinha combinado nada, já estávamos aqui em Nova York e já tínhamos tido problemas. Ela tomava pílula depois do Edinho, engordou, depois recuperou, mas ela não queria tomar. E, um dia, me disse que estava grávida”.

– Cá entre nós, talvez tenha sido uma tentativa de te segurar…

“É, pode ser, mas acontece que…”

– Acontece que nasceu e vocês se separaram.

“É, nasceu, e na mesma semana a gente se separou. Eu voltei da Copa do Mundo [na Argentina, em 1978] e a gente se sseparou. Foi um negócio chato, triste, e a educação religiosa que eu te falei, minha família não aceitava muito. Agora, a gente tem uma amizade relativa. Não é uma coisa muito boa, mas a gente conversa.”

Xuxa sentada no colo de Pelé, na residência de Alfredo Saad, em janeiro de 1986

Xuxa era virgem quando se conheceram

Naturalmente a conversa abordou o tema Xuxa. Pelé contou que a conheceu durante uma foto de capa para a falecida revista Manchete intitulada “Gaiola de Ouro”, abordando a recém-adquirida liberdade do Rei como homem solteiro. Posou com quatro modelos, entre as quais Xuxa e Luíza Brunet. Jogou seu olho comprido em direção a Luíza, convidou-a para ir a um show no Canecão e recebeu um fora: mesmo com 17 anos, a Brunet era casada.

Mais tarde, sairia com Xuxa em um grupo, até que a convidou para uma festa na casa do empresário Alfredo Saad à qual precisou levar também os pais e o irmão da modelinho, então com 17 anos.

Aí revelou a Nirlando um segredo até então bem guardado: Xuxa era virgem nessa época. Pelé não elaborou o assunto, mas deu a entender que só viria a namorá-la de fato tempos depois, quando havia uma amizade entre os dois e Xuxa se acostumara a procurá-lo, pessoalmente ou por telefone, para conversar e pedir conselhos.

O fato é que a certa altura começou um namoro de celebridades que ocupou manchetes durante anos. Quando Nirlando entrevistou Pelé para o perfil, o casal estava junto há quase cinco anos. Mesmo assim, com grande naturalidade, Pelé, enquanto Xuxa estava no Brasil, mantinha seu intenso ritmo de relacionamentos breves com outras, com muitas mulheres.

Como narrou Nirlando, em sua prosa elegante: “Pelé é um desbravador das noites, das louras vaporosas, dos amores secretos, das incansáveis badalações do jet set”…

É a vez de Xuxa falar. Depois da separação, ela considerava Pelé “pequeno”. E detestava o pé do Rei

Aquela reunião de 1985 de certa forma repercutiria 11 anos depois. Estando eu já na direção de Playboy, conseguimos para a edição de 21º aniversário, em agosto de 1996, uma rara, longa e reveladora entrevista de Xuxa – a segunda que ela concedia à revista. Conferimos a missão ao editor contribuinte Guilherme Cunha Pinto, amigo querido que infelizmente teria, como Mário de Andrade, morte súbita e prematura, antes de a entrevista ir às bancas.

Nessa época já uma celebridade estelar, Xuxa, como não poderia deixar de ser, foi perguntada sobre Pelé. E mostrou-se claramente revoltada com o fato de o Rei haver revelado sua condição de virgem quando se conheceram. Só que ela atribuiu a revelação a uma longa e excelente entrevista que Pelé concedera a Juca Kfouri, o diretor de Playboy que me antecedeu, para a edição de agosto de 1993, e não, como de fato ocorreu, ao perfil de autoria de Nirlando Beirão que acabamos de mencionar.

A longa e reveladora entrevista de Xuxa publicada na edição de 21º aniversário de "Playboy", em agosto de 1996

De todo modo, na entrevista de Xuxa a Guilherme Cunha Pinto em 1996 o tema veio à tona, junto com uma avaliação bastante rigorosa da estrela a respeito de seu namorado durante mais de cinco anos.

Confira o trecho abaixo da conversa entre Xuxa e Guilherme Cunha Pinto:

PLAYBOY – Sabe uma impressão que fica? Que uma pessoa comum nunca vai ter chance com você. Pensando nos seus namorados, ou são celebridades, como Pelé e Ayton Senna, ou modelos de beleza, como esse rapaz [referia-se ao então modelo Luciano Szafir, que tempos mais tarde seria pai de sua filha, Sasha]. É isso?

XUXA – Não, não é. As coisas simplesmente aconteceram. O encontro com o Pelé foi por acaso, a gente se conheceu numa fotografia que fui fazer. E no caso do Ayrton foi ele que buscou, de todas as maneiras, chegar perto de mim. Eu me apeixonei por duas figuras conhecidas, mas pode pintar qualquer pessoa.

PLAYBOY – A aparência não é importante? Se não for um sujeito bonitão…

XUXA – E tu acha o Pelé bonitão?

PLAYBOY – [Confuso.] O Pelé?

XUXA – Na época eu achava ele o máximo! Lindo. Mas já achava e continuo achando o pé dele horrível. O resto eu achava maravilhoso. Entendeu?

PLAYBOY – Você não gosta dos pés do Pelé?

XUXA – São horríveis.

PLAYBOY – Aqueles pés que fizeram…

XUXA – Horríveis. Parecem garras.

PLAYBOY – Aqueles pés ganharam três Copas do Mundo!

XUXA – Uma mulher que gosta de pé não pode olhar para o pé dele.

PLAYBOY – Você deve ser a única pessoa do mundo que não admira os pés do Pelé.

XUXA – Eu dizia para ele: “Se um dia tu arrumar uma namorada que tenha tara por pé, tu tem de ficar de meia”. Você não viu o pé dele [risos.]

PLAYBOY – Você e o Pelé namoraram durante seis anos, no começo da sua carreira. Agora faz tempo que não se falam?

XUXA – [Séria.] Eu não falo mais com ele. Faz tempo, já.

PLAYBOY – Foi por causa da entrevista que ele deu para PLAYBOY três anos atrás? [Nessa entrevista, em meio a diversos outros comentário e afirmações sobre Xuxa, Pelé disse que ela teria revelado ser virgem quando os dois se conheceram, no início da década de 80. E que a teria aconselhado a “resolver esse problema” antes de se envolvder com ele.]

XUXA – Não. Foi por uma série de coisas que aconteceram.

PLAYBOY – Mas e o que ele falou na entrevista?

XUXA – O Pelé faz parte da minha história e eu faço parte da história dele, mas acho que isso era uma coisa que não deveria ser dita, porque se alguém teria de falar seria eu. Ficou uma coisa grotesca. E, já que ele resolveu falar, que falasse a verdade. Quando a gente se conheceu, ele não sabia que eu era – eu não me apresentava às pessoas e dizia: ”Olá, meu nome é Xuxa, eu sou virgem”. Eu era virgem, mas ele só foi descobrir depois, quando a gente já estava junto.

PLAYBOY – Você teria dito, depois dessa entrevista do Pelé, que se por acaso se apaixonasse de novo por um rei, não seria um rei tão pequeno como ele. A raiva continua tão grande?

XUXA – Vamos dizer assim: tive momentos bons e ruins com ele. Às vezes, a gente aprende muito mais errando. E eu aprendi muito com ele. Hoje, não poderia ficar com uma pessoa tão pequena.

PLAYBOY – Pequena em que sentido, precisamente?

XUXA – É aqui [apontando a cabeça.] Saem coisas que, às vezes, não dá para entender. Dá o microfone para ele falar, que você vai sentir, vai ouvir. Ele é pequeno. Mas faz parte, fez parte da minha vida. Não posso negar isso, nunca.

PLAYBOY – Numa certa medida ele apresentou o mundo para você, não foi?

XUXA – Ele me apresentou muita coisa. Muita coisa boa, também. Um ponto que o Pelé tinha de legal é que queria me ver crescendo profissionalmente. Mas talvez não soubesse que eu teria tantas oportunidades. Uma vez ele disse para mim: “Nunca queira ser a melhor. Porque é muito difícil ser o primeiro”. Quando eu quis sair da [extinta Rede] Manchete [de Televisão] para ir para a Globo, ele disse: “Não faça isso. Não queira. Você vai ter de provar que é a melhor todo dia”. Pois hoje posso dizer que é muito bom ser a melhor. Não gostaria de ser a segunda.

Leia também:

O dia em que Maitê Proença foi regra 3 de Vera Fischer

Uma militante do MST ia posar nua, e o mundo veio abaixo

O dia em que contratei a filha de Fidel Castro para posar nua (1ª parte)

O dia em que Adriane Galisteu se depilou, na foto mais polêmica da história da revista

Deixe o seu comentário

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

» Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

Envie um comentário

O seu endereço de email não será publicado

153 Comentários

  • Daniela

    -

    17/1/2014 às 0:22

    Eu não gosto nenhum pouco da Xuxa, mas devo admitir que o que ela diz em entrevistas parece muito sincero, embora eu ache que ela pensa viver num conto de fadas, em que todos a amam, e não consegue aceitar ser criticada. Já o Pelé, como ser humano, deixa muito a desejar.

  • ROBERVAL G. DE COUTO

    -

    14/1/2014 às 21:26

    Caro Roberval, as regras para publicação de comentários no blog, conforme alertei os amigos leitores incontáveis vezes, não aceitam textos escritos somente em maiúsculas, em respeito aos leitores e seguindo uma norma internacionalmente praticada na web.
    Confira as regras no link http://goo.gl/u3JHm
    Obrigado

  • Carvalhaes

    -

    13/1/2014 às 20:15

    O Pelé é tão bom jogador de futebol quanto é marketeiro. Não é à toa que tenta separar o Pelé do Edson Arantes do Nascimento. Um tem toda a merecida fama, o outro não tem nenhum caráter.

  • Votei no Serra em 2010 e no Alckmim em 2006

    -

    13/1/2014 às 10:38

    No Brasil dos mensalões e do caso ” O mensalinho da filha da Elis ” é bom ler textos mais leves como esse

  • Carmo Azevedo

    -

    12/1/2014 às 6:41

    Texto edificante,exemplo para os jovens que perdem tempo virando a noite estudando tentando 850 pontos no ENEM,acordam cedo no dia seguinte para enfrentar a dureza de um dia de trabalho.Parabens pela reportagem o nivel e otimo!

    Relatar um fato como este é perfeitamente de acordo com qualquer manual de jornalismo do planeta.
    Agora, encontrar leitor de mal com a vida não é problema meu.

  • Paulo R. Fernandes

    -

    10/1/2014 às 17:03

    Não publico comentários com palavrões e ofensas, caro Paulo. Tente de novo.

  • Emilio barciela

    -

    10/1/2014 às 11:10

    Grande Xuxa, não adiante que eles vão das fotos….

  • Xuxa

    -

    8/1/2014 às 1:41

    >>

    O filme Amor estranho amor pode ser visto no Youtube. Porém, é necessário comprovar a idade, pois o filme, uma chanchada levemente porno, é considerado impróprio para menores conforme os critérios do Youtube:

    http://www.youtube.com/watch?v=EPXNAYJSPSU

    <<

  • JOSÉ CARLOS WERNECK

    -

    7/1/2014 às 14:23

    Que coisa feia!Recolher os exemplares da revista!Ridículo!Não sabia que Pelé era tão machista

    Não foram os exemplares da revista, os recolhidos. Foram os cromos, as fotos coloridas de Xuxa. E ele pediu, não ameaçou, nem nada. O diretor da revista na época concordou, e pronto.
    Abraço

  • Marwell

    -

    6/1/2014 às 18:49

    Se eu pudesse falar alguma coisa no pé do ouvido da Xuxa eu diria: Ô Xuxa saia do armário!

  • Mira

    -

    4/1/2014 às 13:27

    Admiro o exemplo de vida e luta de Sandra Maria Nascimento.http://g1.globo.com/Noticias/Brasil/0,,AA1319253-5598,00.html

  • Fábio Coelho Lanza

    -

    31/12/2013 às 8:16

    Pena que o Pelé jogador, não é o Pelé gente.

  • maroog

    -

    30/12/2013 às 13:10

    Também acho o pelé um manézinho. Fala nada que preste.

  • André Paulo

    -

    26/12/2013 às 0:15

    Ele só foi burro quando não celebrou um contrato com a loira, quando adquiriu as fotos pra ela!Como ela mesmo disse ele não acreditava que ela fosse tão longe.O preconceito masculino..

  • Osvaldo Aires Bade Comentários Bem Roubados na "Socialização" - Estou entre os 80 milhões

    -

    24/12/2013 às 10:34

    Xuxa Meneghel – Onde Está A Verdade?
    http://cinenegocioseimoveis.blogspot.com.br/2012/05/xuxa-meneghel-onde-esta-verdade-maria.html

  • GEROLDO ZANON

    -

    23/12/2013 às 8:53

    Se você quiser saber porque seu texto foi deletado, por favor consulte as regras para publicação de comentários no blog no link http://goo.gl/u3JHm
    Obrigado.

  • GEROLDO ZANON

    -

    23/12/2013 às 8:52

    Se você quiser saber porque seu texto foi deletado, por favor consulte as regras para publicação de comentários no blog no link http://goo.gl/u3JHm
    Obrigado.

  • Ana Carolina Mattos

    -

    22/12/2013 às 11:59

    Bobão

  • Vicente

    -

    22/12/2013 às 2:57

    Só para meu conhecimento, Pele ajuda alguma institição de caridade, já construiu alguma orfanato. Bil keit
    Salim e outros, mais 50% das rendas deles, são destinadas as instituições. Só para eu saber

  • Vicente

    -

    22/12/2013 às 2:41

    Deixem de ser inocentes, xuxa linda corpo escultural, o pelé em pleno vigor de sua mocidade ia deixar de fazer alguma coisa, ele não era gey , deve ter deitdo e rolado, e fez muito bem.

  • elton ribeiro

    -

    21/12/2013 às 17:34

    desculpa por ter falado algo que não gostaram , mas a estória do pelé é verdadeira , gostei da estória do pelé e xuxa , alias eu tenho a dvd pirata do filme da xuxa , e será que vcs não têm estorias de outras celebridades do passado pq as do presente são muito chatas

  • elton ribeiro

    -

    21/12/2013 às 17:03

    Se você quiser saber porque seu texto foi deletado, por favor consulte as regras para publicação de comentários no blog no link http://goo.gl/u3JHm
    Obrigado.

  • Jurandir

    -

    21/12/2013 às 15:26

    Pelé o pai do século???? Xuxa um modelo para as crianças ???

  • razumikhin

    -

    21/12/2013 às 7:20

    Não sei (aliás, sei) porque negro, cafuzo, mameluco, pardo ou índio, quando ganha muito dinheiro, arruma logo uma branca, de preferência loura. Há exceções, lógico. Alô Ministério da Igualdade Social!

  • Marilene L'Abbate - São Paulo

    -

    20/12/2013 às 22:27

    Finalmente, Xuxa + Pelé estão descobrindo que existe uma Inteligência-Superior, no Universo = onipotência + onisciência + onipresença, que atua no Planeta Terra através dos maravilhosos Mentores-de-Luz. É melhor procurarem ajuda espiritual…

  • Santana*100

    -

    20/12/2013 às 18:46

    ALAERCIO FLOR – 07/11/2012 às 13:10

    “Pelé e Xuxa,um sonho duplo de ícones ilusórios para vender produtos e criar consumidores acríticos,uma ilusão dupla de duas pobres almas belas,mas VAZIAS totalmente por dendro….que RENDE E VENDE”

    #######
    Você disse a mais pura verdade!
    Santana*100

  • Antonio R. Melo Jr.

    -

    19/12/2013 às 21:49

    A bola e o futebol foram os responsáveis pela fama, sucesso e fortuna conquistada pelo jogador Pelé.
    Ele aproveitou seu talento e se agarrou a ele.
    Pele e sua fama foram os responsáveis peja rápida projeção da Xuxa no cenário nacional e internacional.
    Tudo muito simples.
    Cada um se agarra às oportunidades que aparecem e tiram partido.
    Simples assim.
    Pobreza de espírito em criticar por pura inveja.
    Nunca fui fã da Xuxa (já era bem grandinho- rsrsrsrs) e graças a Deus meus filhos não curtiam também.
    Mas ela é rica e famosa. Que bom para ela.
    O resto é falso moralismo e hipocrisia.

  • marisa

    -

    2/7/2013 às 21:15

    qdo a pessoa quer ir pra midia…ela não mede esforço….pintou uma brecha ela entra mesmo…agora ta ai rainha dos baixinhos…ficou com pelé por interesse…se não fosse ele ela não estaria ai na globo…apesar que ela ta bem velha…a xuxa ja era…vai cuidar de sua filha e curtir seu novo namorado…

  • antony de molay

    -

    10/4/2013 às 8:32

    Seu comentário contém uma história que, sem qualquer prova, denigre gravemente a imagem de uma pessoa e, portanto, de acordo com as normas do blog, não será publicado.

  • pierre

    -

    3/3/2013 às 0:23

    Diz o ditado popular que:
    -”Não se cospe no prato em que comeu”
    Alguém tem de avisar a Xuxa que:
    -” Não se cospe no preto que a comeu!”
    Afinal, Ele ainda é o Rei e ela é apenas uma cortesã!

  • ALAERCIO FLOR

    -

    7/11/2012 às 13:10

    Pelé e Xuxa,um sonho duplo de ícones ilusórios para vender produtos e criar consumidores acríticos,uma ilusão dupla de duas pobres almas belas,mas VAZIAS totalmente por dendro….que RENDE E VENDE .

  • Marcelo

    -

    2/11/2012 às 13:28

    Xuxa e +1 história mal contada, tanto que agride a inteligência do cidadão comum.
    E muito dificil de acreditar em entrevistas, ou depoimentos da Sra. Xuxa. Sempre nesses moldes.. sem foco, sem nome (quando dá nome é de morto que não pode se defender), tudo pela metade.. Desculpe mas ela soa teatral e sem credibilidade.

    Qual história mal contada, Marcelo? Pois essa história do post quem está contando sou eu. Eu estava lá… Esse comentário está no lugar errado, meu caro.

  • Gisele Carvalho

    -

    26/10/2012 às 18:26

    Nossa!
    Aos que imaginam que abusar sexualmente de uma criança envolva necessariamente introdução do órgão sexual masculino no feminino, por favor se informem melhor.
    Se um adulto “meramente” acariciar suas filhas/filhos nas partes íntimas, por exemplo, vocês não iriam denunciar abuso?
    Independente da minha opinião sobre o ser humano “Xuxa”, é inegável que ela é riquíssima, extremamente famosa e não teria sentido algum se expor contando fatos tão dolorosos em rede nacional, se eles fossem inverídicos.
    O machismo de nossa sociedade, aliada a ignorância da população, que “admite” o abuso sob justificativas ridículas de “olha como ela se comporta” ou o finge que ele não aconteceu, minimizando contatos inapropriados em crianças e adolescentes por parte de adultos, só serve para estimular seres doentes a praticarem absurdos na certeza da impunidade, tanto penal, como social.
    Abusadores devem ser apontados, denunciados e execrados socialmente como párias!
    Massacrar publicamente uma denunciante só faz com que outras vítimas, evidentemente muito mais desprotegidas economica e socialmente do que a Xuxa, se fechem e se retraiam, por vergonha e medo da repercussão de suas denúnicias.
    Deus proteja os filhos e filhas dos ignorantes!

  • Sam. Berg

    -

    25/10/2012 às 14:09

    Caro Berg, publicar esse tipo de história com supostos fatos muito depreciativos sobre a vida pessoal de uma pessoa por ter ouvido falar que o alguém supostamente disse não cabe neste blog.

    Abraço

  • WAZICO

    -

    25/10/2012 às 11:35

    O Pelé so teve alguma utilidade ao pais quando usou
    os pés, porque ao fazer uso do cérebro, o rapaz tem
    sido um desastre. A rainha dos baixinhos, foi a sua
    pior criação.
    Deveria ter devotado carinho tambem a sua filha
    Sandra, que morreu sem nunca ter visto o pai ao vivo.

  • Blumenau

    -

    25/10/2012 às 1:06

    Que gente confusa.Era virgem? Então em algum momento ela mentiu.Ou pro pelé ou para o Brasil todo através do fantástico.
    E ela devia e deve gostar muito de dinheiro,pois sempre esteve bem a vontade no colo do pelé.E ele se achando o máximo,mais uma loira no pedaço…Virgem!?!
    A filha que ele não reconheceu nem com DNA já morreu,provavelmente de tristeza.
    Ele continua pequeno.Fala da boca pra fora sem nenhum sentimento.Sinto que ele ainda não aceita a sua cor,parece que tem um complexo de inferioridade sem fim,e aproveitou a fama e fez mais para ele mesmo.
    Também proibiu a Rose a 1° esposa de publicar uma biografia.Porque né?
    Que vidinha medíocre.

    Você tem todo o direito de achar o que quiser sobre Pelé, é claro.

    Mas é preciso respeitar os fatos. Ele reconheceu, sim, judicialmente a filha, cumpriu com todas as suas obrigações legais e ela foi até candidata em eleições com o sobrenome de Pelé.

  • Paulo Penta

    -

    24/10/2012 às 13:59

    Percebo uma verdadeira divergência na história da vida da Xuxa. Primeiro, ela fala que era virgem, quando iniciou o namoro com o Péle, na década de 80. Recentemente, em 2012, ela comoveu o Brasil ao falar chorando no Fantástico que havia sido estuprada pelo um amigo do pai dela, quando era tinha 13/14 anos. A conversa dela é incoerente, se não, mentirosa ou maldosa.

  • edson rosalvo

    -

    23/10/2012 às 20:05

    ESSA REALMENTE É A XUXA DE VERDADE,O RESTO É HIPOCRISIA,CLARO QUE DELA.

  • LIMA

    -

    23/10/2012 às 19:12

    RICARDO.
    SERÁ QUE TODAS AS FOTOS FORAM COMPRADAS POR PELÉ?

    Pelé não comprou fotos, caro Lima. O diretor de Playboy à época, como explico no texto, cedeu a ele todo o material para que fosse devolvido a Xuxa.

    E, de fato, nos arquivos da revista não havia mais nada sobre ela quando assumi sua direção, em 1994.

    Um abraço

  • rafaela

    -

    23/10/2012 às 15:21

    xuxa fez pacto com o demonio deve ter pedindo para sentar no colo dele e enclivel ele e muito feio e safado odieeeeeeeeeeeeeiiiiiiiii seu feioso

  • AP@MV

    -

    23/10/2012 às 4:04

    Não dá para acreditar EM NADA do que a Sra. Xuxa diz. É mentirosa e dissimulada.

  • AP@MV

    -

    23/10/2012 às 4:04

    Não dá para acreditar EM NADA do que a Sra. Xuxa diz. É mentirosa e dissimulada.

  • carlos alberto

    -

    20/10/2012 às 22:08

    Esta Srª, é digna de pena,coitada!

  • Jeremias-no-deserto

    -

    20/10/2012 às 18:39

    Tem qualquer coisa no comportamento público da Xuxa que não bate bem. A estrela tenta combinar um erotismo exacerbado com uma postura pseudo pueril e meio a la Betty Boop, bem adequada ao seu público infantil.O resultado, evidentemente, é que tudo nela carece credibilidade.Já vi fotos de Xuxa quase nua no seu programa , brincando com as crianças de 8, 10 anos de idade. Isso também não poderia ser qualificado de “estupro moral” já que não deixa de ser uma influência extremamente nociva à mente ainda não formada da criança? Só para completar, chega a ser hilário imaginar essa “ingenua” adolescente de 17 anos sendo “estuprada” pelo rei Pelé!

  • bruno

    -

    11/7/2012 às 19:06

    hoje no brasil, é considerado estupro qualquer tipo de satisfação sexual seja ela anal, oral ou vaginal, e não me lembro dela (Xuxa), dizer que teve algum tipo de penetração nos abusos sofridos na entrevista para o fantástico, portanto só o fato dele tocar nela para ter tido prazer já é considerado estupro, e isso que ela fez de esconder os abusos sofridos, é o que a maioria das pessoas fazem quando acontece seja por medo ou por tentar preservar sua imagem perante a sociedade, que tem mania de julgar outras pessoas sem se importar com as consequências trazidas por tal.

    obs: deixo este comentário em resposta a outros que talvez duvidem de sua entrevista, não sou advogado de ninguém, mais pode haver o estupro sem penetração.

  • cpb

    -

    28/5/2012 às 4:50

    Pelé é muito ético… alicIou a menina de 17 anos..
    é claro que no Brasil # País do Machismo e da exploração… o dinheiro compra aprovação. Ainda deve ter gente que diz que ele é santo…A filha que ele teve…nunca assumiu #pobre de espirito.

  • ANTONIO PEREIRA

    -

    22/5/2012 às 11:14

    TINHA DUVIDAS DA REVELAÇÃO FEITO NO FANTASTICO, AGORA TENHO CERTEZA Q FOI PURO SENSACIONALISMO…COMO ASSIM ABUSADA ATE AOS 13 ANOS SE AOS 17 AINDA ERA VIRGEM rsrsr

  • Alberto Farias

    -

    21/5/2012 às 22:57

    Será que agora, após as revelações do Fantástico, dá pra manter essa história de virgindade?

  • paulina

    -

    14/1/2012 às 4:02

    Gente quanta bobagem,deixa Xuxa e Pele viverem,sossegados.Existe tanta coisa no Brasil para se preocupar……….

  • MARIO JORGE CHAMINÉ

    -

    7/1/2012 às 13:19

    IRMÃ XUXA, ESSA É A SEGUNDA MENSAGEM QUE MANDO PARA VOCE MINHA QUERIDA, EU TENHO DOIS SOBRINHOS LINDOS, UM É O UAGNER TEM ONZE ANOS E O OUTRO E A KISSILA TEM DOSE ANOS ELA É LINDA E QUER SER ATRIZ E INTELIGENTE E O UAGNER TEM ONZE ANOS MUITO INTELIGENTE E É ESBELTO, GOSTARIA DE TR5ABALHAR NA GLOBO FAZER UM TESTE NA GLOBO. VAMOS TENTAR, NUNCA FIZERÃO FESTA NA CASA DELE DE ANIVERSARIO OU UMA FESTA LINDA PARA ELES. VEM MINHA QUERIDA VAMOS VER O QUE PODEMOS FAZER O MEU CELULAR É 027 98591077 LINHARES ES. BEJOS DO MARIO JORGE CHAMINÉ.

 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados