Blogs e Colunistas

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Bancada de Cachoeira

Velhos conhecidos disputando eleição

Velhos conhecidos disputando eleição

A CPI que tentou apurar as tentáculos do bicheiro Carlinhos Cachoeira entre os corredores do poder público, em 2012, não conseguiu sepultar o desejo por ascensão de todos os investigados.

Parte deles hoje disputa uma vaguinha nas casas legislativas do país.

Ex-secretário de Indústria e Comércio de Marconi Perillo, Alexandre Baldy era tratado por Cachoeira pela alcunha de “menino de ouro” e agora mira Brasília: disputa uma cadeira de deputado federal.

Outra figura próxima a Perillo, sua ex-chefe de gabinete, Eliane Pinheiro, investigada pela Polícia federal por suspeitas de ligações com integrantes da quadrilha do bicheiro, é candidata a deputada estadual por Goiás.

Walter Paulo Santiago, empresário goiano, depôs à CPI. Na ocasião, enrolou-se um bocado para tentar explicar a controversa compra da casa onde Cachoeira foi preso. Dois anos mais tarde, Santiago pleiteia a confiança da população para chegar à Câmara dos Deputados.

Deputado federal Rubens Otoni, flagrado num vídeo negociando doação de campanha com o bicheiro, sob compromisso de não declarar o montante, tentará a reeleição.

Fraterno amigo de Cachoeira que dispensa apresentações, Carlos Alberto Lereia quer deixar Brasília: está tentando eleger-se à Assembleia Legislativa estadual.

Ao menos Demóstenes Torres continua inelegível…

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 23 de abril de 2014

16:38 \ Congresso

Para construir o discurso

Amizade com bicheiro virou assunto da Executiva

Amigo do bicheiro Carlinhos Cachoeira

O deputado tucano Carlos Alberto Lereia deu o último tiro para tentar se livrar do processo a que responde por quebra de decoro parlamentar. O motivo: sua fraterna amizade com o notório bicheiro Carlinhos Cachoeira.

O apuração se arrasta há um ano. Daqui a pouco, às 19 horas, enfim, o Plenário da Câmara votará um pedido de suspensão do mandato do amigo do bicheiro de 90 dias.

No final da tarde de ontem, Lereia enviou aos gabinetes de seus colegas um documento com argumentos de sua defesa – uma espécie de pedido de clemência em forma de .

Agora, as excelências que quiserem perdoá-lo da quebra de decoro já tem até discurso…

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

6:08 \ Brasil

Waldomiro absolvido

Waldomiro: absolvido na Justiça do Rio

Waldomiro: absolvido na Justiça do Rio

Enquanto os mensaleiros vão sendo presos, outros notórios personagens da Era Lula estão escapando de punições na Justiça brasileira.Waldomiro Diniz, que apareceu extorquindo Carlinhos Cachoeira em um vídeo de 2004, acaba de ser absolvido na 6ª Vara de Fazenda Pública do Rio de Janeiro.

Waldomiro e a Loteria do Estado do Rio de Janeiro (Loterj) eram acusados de improbidade administrativa por autorizar o funcionamento bingos irregularmente. Neste processo, as casas funcionavam em sedes de federações, restaurantes e outros estabelecimentos.

Waldomiro, presidente da Loterj em 2002, conseguiu provar que não teve qualquer ingerência no funcionamento dos bingos fluminenses.

Por Lauro Jardim

sábado, 23 de março de 2013

8:56 \ Brasil

Ainda sobrou

Patrimônio levantado pela PF

A PF enviou ao Congresso, durante a CPI do Cachoeira, um relatório completo do patrimônio do bando do bicheiro.

Uma fortuna formada por 36 fazendas e chácaras, 58 apartamentos, treze casas, dezoito prédios e salas comerciais, 74 terrenos, 51 veículos de passeio, 32 motos, quatro caminhões, 21 empresas e 3 415 cabeças de gado.

No relatório, o valor estimado desses bens era de 167 milhões de reais.

Recentemente, a Justiça Federal decretou a perda dos bens de cinco integrantes do bando (incluindo Cachoeira) — uma bolada estimada em 100 milhões de reais. Há, portanto, muita gordura para queimar.

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 22 de março de 2013

14:21 \ Diversos

Cupido Cachoeira

Elo de ligação

O longo processo de investigação das tramoias da turma de Carlinhos Cachoeira não resultou apenas na prisão dos integrantes da quadrilha e numa CPI malfadada, sem indiciados.

A procuradora do Ministério Público responsável pelo caso, Léa Batista, vai se casar com o juiz que mandou o bicheiro e seus amigos para a cadeia, Paulo Augusto Moreira Lima.

Além disso, Pedro Taques será padrinho e Randolfe Rodrigues está na lista de convidados. Fora a relação de Taques com Léa, de quem foi professor, os laços se estreitaram durante a CPI de Cachoeira.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

7:21 \ Brasil

Um ano de impunidade

Amigos soltos

Amanhã será dia de festa para os amigos de Carlinhos Cachoeira e de sua quadrilha: completado um ano da prisão do bicheiro mais bem relacionado da República – 29 de fevereiro de 2012 – os parlamentares e governadores citados no relatório da Polícia Federal continuam vagando livre e soltos.

As sindicâncias contra Stepan Nercessian, Sandes Junior e Rubens Otoni foram arquivadas na Corregedoria da Câmara. Protógenes Queiroz saiu ileso do Conselho de Ética. O processo de Carlos Leréia ainda não foi concluído. Apenas Demóstenes Torres perdeu o mandato, mas está longe de uma condenação.

Os governadores, então, possivelmente nem lembram dos apuros vividos à época da CPI de Cachoeira – que, diga-se, terminou sem indiciar ninguém. Marconi Perillo, Agnelo Queiroz, Siqueira Campos e o parceiro de Fernando Cavendish, Sérgio Cabral, seguem governando, como se nada tivesse acontecido.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

6:02 \ Brasil

Katia versus Andressa

Andressa nega declarações

Katia Abreu acaba de receber a resposta de uma interpelação feita contra Andressa Mendonça, mulher de Carlinhos Cachoeira. A representação judicial foi feita após a prisão de Andressa por supostamente chantagear o juiz Alderico Rocha

Andressa, segundo reportagens, disse ao juiz que tinha um dossiê contra Katia Abreu. Interpelada, Andressa se defendeu dizendo que jamais fez tal afirmação:

- A informação publicada é fruto da ânsia de produzir matérias sensacionalistas.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

11:21 \ Congresso

Hora da verdade

Stepan: na berlinda

A Câmara dará o primeiro passo para decidir o futuro político de Stepan Nercessian, um dos beneficiados por repasses de Carlinhos Cachoeira. A Comissão de Sindicância da Casa vai se reunir no final da tarde para a leitura do parecer de Vicente Cândido, relator do processo disciplinar.

Caso a Comissão de Sindicância resolva dar sequência à apuração dos fatos, a denúncia seguirá para a Mesa Diretora e, só então, chegará ao Conselho de Ética. Sabe-se lá quando. Mas a tramitação é só um dos aliados de Stepan, que o diga Carlos Alberto Leréia (Leia mais em: Leréia balança).

Como o Ministério Público decidiu pelo arquivamento do inquérito que corria contra Stepan, poucos integrantes da comissão acreditam no desfecho diferente para o processo político.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 27 de novembro de 2012

17:02 \ Congresso

Vida que segue

Ataídes de Oliveira: o retorno

Não é só Carlinhos Cachoeira que está reencontrando os velhos hábitos. Passado o pior da tempestade, seus amigos parecem dispostos a retomar a rotina. Ataídes de Oliveira apareceu hoje no Senado. Cumprimentou antigos companheiros normalmente, permaneceu por alguns minutos e deixou o plenário em seguida.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 20 de novembro de 2012

19:25 \ Brasil

A qualquer momento

Carlos Cachoeira: habeas corpus

A 5ª Vara Criminal de Justiça do Distrito Federal acaba de conceder um habeas corpus a Carlinhos Cachoeira. Ele poderá ser solto a qualquer momento.

O alvará de soltura já está sendo providenciado pela defesa de Cachoeira. A expectativa do advogado Nabor Bulhões é que ele deixe a cadeia ainda esta noite.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

16:00 \ Brasil

Pool laranja

Taques quer providências

A obra emergencial de recuperação de uma rodovia no Mato Grosso chama atenção: para executá-la, o governo do estado contratou em junho de 2011, sem licitação, três empresas que aparecem no centro de abastecimento da quadrilha de Carlinhos Cachoeira, segundo a CPI que investiga as ligações do bicheiro.

A mãe de todas, Delta, a JM Terraplanagem e a Construtora Rio Tocantins deram as mãos para fazer o reparo na MT-322, entre São José do Xingu e Bom Jesus do Araguaia. O senador Pedro Taques vai pedir providências ao TCE local:

- Os preços cobrados para os principais serviços são absurdamente inferiores aos que o governo federal entende como possíveis para se realizar a obra.

Por Lauro Jardim

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

14:28 \ Congresso

Última chance

Pressão no relator

Com a ameaça de sepultamento da CPI de Cachoeira, cresce a pressão sobre o relator Odair Cunha. A verdade é que, apesar da troca de rojões e afagos entre PT e PSDB que marcou os trabalhos da comissão, até agora, ele ainda não tem elementos suficientes para elaborar um relatório final comprovando que Marconi Perillo cometeu crimes, de fato. Se não for prorrogada, a CPI encerra os trabalho no dia 4 de novembro.

Há indícios? Muitos. Mas avaliação é que eles podem ser frágeis para sustentar uma argumentação eficiente em favor do pedido de indiciamento do Perillo.

Cunha tem amanhã – quando voltará ao Congresso e será bombardeado com perguntas sobre o tema – para encontrar uma prova contundente contra o governador tucano, motivação maior do PT para apoiar a instauração da CPI, ou uma boa explicação para não tê-la.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

6:02 \ Congresso

320 000 reais

Mais repasses identificados

Mais um parlamentar caiu na rede de Carlinhos Cachoeira. Documentos obtidos pela CPI constataram que Ataídes de Oliveira, suplente do senador João Ribeiro, recebeu 320 000 reais da empresa Adécio e Rafael, laranja abastecida com 37 milhões de reais pela Delta. A dinheirama chegou à conta de Ataídes em dois depósitos, em novembro do ano passado e fevereiro deste ano.

A ligação entre Ataídes, que ocupou a cadeira do Senado por quatro meses, e Cachoeira não é novidade. A pedido do bicheiro, segundo a Polícia Federal, ele emprestou seu avião a Fernando Cavendish no dia seguinte ao acidente de helicóptero que matou a mulher do empreiteiro, em junho de 2011.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 9 de outubro de 2012

17:01 \ Brasil

Presença ilustre

Atento ao depoimento

Jovair Arantes, outro deputado enrolado nos grampos de Carlinhos Cachoeira, era um dos mais interessados no depoimento do Carlos Alberto Leréia à CPI. Compareceu à sessão no Senado e permaneceu com com olhos e ouvidos vidrados nas palavras do colega, de Câmara e de turma.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

6:02 \ Congresso

Fatura milionária

Quase 75 000 reais no cartão por mês

Investigado na CPI mista do Cachoeira por envolvimento com o bicheiro Carlinhos Cachoeira (leia mais em 227 milhões de reais), o empresário goiano Marcelo Henrique Limírio Gonçalves costumava torrar no cartão de crédito uma verdadeira montanha de dinheiro. Pelo menos é o que um relatório enviado pela Receita Federal à CPI revela: entre 2007 e 2011, Limírio gastou no cartão cerca de 4,4 milhões de reais. O que dá quase 75 000 reais por mês.

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

17:22 \ Congresso

227 milhões de reais

Patrimônio milionário a descoberto

A CPI mista do Cachoeira recebeu recentemente um relatório da Receita Federal com os dados da movimentação financeira e a evolução patrimonial do empresário goiano Marcelo Henrique Limírio Gonçalves.

Como fica evidente nos dados, Limírio construiu uma verdadeira fortuna, mas ainda não conseguiu explicar a origem de 227 milhões de reais constantes da sua evolução patrimonial em 2011.

Limírio ganhou notoriedade depois que a CPI descobriu as suas ligações com o bicheiro Carlinhos Cachoeira e com Demóstenes Torres. Ele também é dono do Hotel Nacional, em São Conrado.

Por Lauro Jardim
16:21 \ Diversos

Reencontro com o sabonete

Amor na prisão

Depois de ganhar na Justiça “o direito de amar” (doze horas mensais de visita íntima com Andressa Mendonça), o bicheiro Carlinhos Cachoeira voltou a fazer as pazes com a água e o sabonete: está tomando banho direitinho na Papuda (leia mais em Cachoeira sem água).

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

20:53 \ Diversos

Perillo vai pedir o boné?

Fora da disputa?

O palpite de Ronaldo Caiado, hoje, é de que Marconi Perillo saiu tão queimado do escândalo Cachoeira que sequer irá tentar a reeleição em 2014.

Por Lauro Jardim

sábado, 15 de setembro de 2012

7:21 \ Brasil

Cachoeira sem água

Cachoeira, ainda limpinho

Esquecido no Complexo Penitenciário da Papuda, o bicheiro Carlinhos Cachoeira virou um problema daqueles para os carcereiros e por dois motivos: o seu poder de corromper o sistema e, nos últimos dias, a teimosia em se recusar a tomar banho.

Por Lauro Jardim

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

18:25 \ Brasil

Crescimento chinês

Os números do esquema

A CPI mista do Cachoeira fechou nos últimos dias um número impressionante: em 2002, as empresas que estão na órbita de Carlinhos Cachoeira – e investigadas pela comissã0 – movimentaram 634 milhões de reais. Nove anos depois, ou seja, no ano passado, essas mesmas empresas movimentaram 9,1 bilhões de reais.

Por Lauro Jardim
13:33 \ Congresso

Os fãs da Geisi

Geisi: no computador dos comparsas do bicheiro

A infinidade de documentos encontrados pela Polícia Federal nos computadores do bando do bicheiro Carlinhos Cachoeira continua a produzir surpresas. Em um dos computadores vasculhados pela CPI mista do Cachoeira, os parlamentares encontraram uma sequencia inteira de fotos de Geisi Arruda antes da fama.

No mesmo computador, os integrantes da CPI também localizaram vídeos pornográficos de Eliza Samudio baixados da internet pelos comparsas do bicheiro.

Por Lauro Jardim

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

10:22 \ Judiciário

Reunião de operadores

Na capital do Brasil

Ontem de manhã, num shopping de Brasília, uma pequena reunião uniu operadores de dois escândalos políticos: A Caixa de Pandora e a Monte Carlos de Carlinhos Cachoeira.

O araponga Idalberto Mathias Araújo, o Dadá, que cuidava dos interesses de Cachoeira, passou cerca de uma hora tomando  café com o policial civil aposentado Marcelo Toledo, um dos acusados de arrecadar propina junto às empresas de informática para abastecer o caixa do mensalão do DEM do DF.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 11 de setembro de 2012

21:34 \ Judiciário

Falcão estreia no CNJ

Pedido de investigação

A corregedora-geral do TJ de Goiás, Beatriz Figueiredo Franco, recebeu um ofício do novo corregedor do CNJ, Francisco Falcão.

Ele deu 60 dias para Beatriz concluir um processo disciplinar contra o juiz Avenir Passo de Oliveira, que teria vendido sentenças para Carlinhos Cachoeira por 95 000 reais em 2008.

Por Lauro Jardim

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

16:26 \ Congresso

Certidão de divórcio

Documentos variados nos computadores dos companheiros do bicheiro

O conjunto de documentos encontrados pela Polícia Federal nos computadores dos comparsas do bicheiro Carlinhos Cachoeira é bem variado.

Além de comprovantes de depósitos, faturas e escrituras de imóveis, no computador de Claudio Abreu, por exemplo, a PF localizou convites de casamento e até uma certidão de divórcio.

Por Lauro Jardim

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

15:01 \ Congresso

As joais do bicheiro

O bicheiro também comprava joias

Veja como o dinheiro lavado a partir das contas da Alberto & Pantoja Construções (boa parte dele depositado pela Delta) era utilizado pelo bicheiro Carlinhos Cachoeira para a aquisição de toda sorte de mimos.

Uma joalheria de Fortaleza, que recebeu 101 300 reais das contas da notória empresa fantasma do bicheiro, enviou à CPI mista do Cachoeira recentemente a justificativa para o recebimento da bolada. No começo de 2011, o bicheiro passou pela loja e torrou a dinheirama em chamativos aneis de rubi, brincos de ouro e pulseiras.

Por Lauro Jardim

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

13:23 \ Congresso

Reunião com o governador

Era você, Agnelo?

No novo lote de grampos enviado pela Polícia Federal à CPI mista do Cachoeira, Wladimir Garcez (espécie de faz tudo do bicheiro Carlinhos Cachoeira e de Claudio Abreu) conversa, pelo rádio Nextel, com o petebista Jovair Arantes. O deputado goiano reclama que Wladimir faltou a um encontro com ele e tenta combinar um novo dia para conversar com Cláudio Abreu e o bicheiro.

O grampo foi interceptado na manhã de 27 de fevereiro, uma segunda-feira, dois dias antes de a PF ter deflagrado a Operação Monte Carlo para prender o bando. No diálogo, Jovair diz a Wladimir que teria de viajar a Brasília, mas voltaria para Goiânia na quarta-feira (justamente no dia das prisões):

– Quarta vou voltar pra Goiânia, que tenho audiência no fórum, aí eu venho pra cá. Vê se da aí com eles?

Sem sequer desconfiar que terminaria aquela semana na cadeia, Wladimir diz que a agenda dos chefes na quarta está comprometida e explica a Jovair o motivo:

– Quarta nós estamos em Brasília. Temos reunião lá com o governador.

Jovair então pede para marcar a conversa na quinta-feira e diz que “não pode deixar de falar, porque já chegou no limite de decidir”. Wladimir concorda e finaliza:

– Quinta-feira, então, já leva o custo!

O grampo não revela se o “governador” que o bando iria encontrar em Brasília seria Agnelo Queiroz. Para os integrantes da CPI, o grampo seria mais que suficiente para justificar uma nova convocação de Agnelo, não fosse por um detalhe: o encontro com o bando acabou frustrado pela operação da PF naquela fatídica quarta…

Por Lauro Jardim
11:02 \ Congresso

Farsa desqualificada

O relato do juiz acaba com a farsa da mulher do bicheiro

A CPI mista do Cachoeira recebeu o documento no qual o juiz Alderico Rocha Santos relatou ao Ministério Público Federal aquele bizarro episódio em que Andressa Mendonça armou uma farsa mal engendrada sobre um dossiê fictício para tentar chantageá-lo.

Em três páginas, Alderico mostra em detalhes como Andressa tentou pressioná-lo, durante meia hora, a soltar da prisão o bicheiro Carlinhos Cachoeira, e como, sem obter sucesso, passou a desfiar sandices, chegando a ponto de tentar convencer o magistrado de que teria poderes para impedir a publicação de reportagens em VEJA.

No documento, o juiz desqualifica Andressa, ao não dedicar qualquer fagulha de credibilidade à farsa, e ainda despacha a mulher do bicheiro mandando Cachoeira resolver os próprios problemas, porque ele “já teria problemas demais para resolver”.

Por Lauro Jardim

terça-feira, 28 de agosto de 2012

17:32 \ Congresso

Galpão católico

Ele não poupava nem a igreja

Seguindo os comparsas do bicheiro Carlinhos Cachoeira, os agentes da Polícia Federal descobriram que o bando usava o galpão de uma igreja católica, no entorno do Distrito Federal, como depósito para guardar peças de computador e monitores usados na fabricação de máquinas caça-níqueis. Todo o material era transportado para o local em caminhões, que eram escoltados por policiais a serviço do bando.

Por Lauro Jardim
6:01 \ Congresso

A reação das “damas”

Ela acreditava que daria tudo certo: até agora não deu

Um conjunto de grampos inéditos enviado à CPI mista do Cachoeira revela a reação da mulher do bicheiro Carlinhos Cachoeira e das mulheres de seus comparsas na manhã de 29 de fevereiro deste ano, quando a Polícia Federal deflagrou a Operação Monte Carlo para prender o bando.

Por meio de rádios Nextel, a mulher de Wladimir Garcez conversa com a mulher de Claudio Abreu e com a mulher de Cachoeira, Andressa Mendonça. Elas reclamam dos agentes federais, que desarrumaram suas casas para cumprir mandados de busca e apreensão, e analisam a prisão dos companheiros.

A mulher de Garcez (ela o chama pelo apelido de “paixão” nos grampos) é a mais nervosa e diz que pretende ir ao prédio da PF para tentar ajudar, mas é demovida da ideia pela mulher de Abreu, que alerta sobre o assédio da imprensa:

– Eu falei com o advogado agora e ele acha melhor não ir pra lá, para não aumentar o assédio da imprensa.

Em outro grampo, a mulher de Garcez fala então com Andressa, que pede calma e diz que “tudo vai dar certo”. A mesma confiança tem a mulher de Abreu, que também pede tranquilidade:

– O Carlinhos já deve estar se articulando.

Por Lauro Jardim

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

16:21 \ Brasil

A videoteca da CPI

A polícia acompanhava de perto as entregas de máquinas do bando

A CPI mista do Cachoeira tem em seus arquivos um conjunto de vídeos que revela como era a rotina do bando do bicheiro Carlinhos Cachoeira no auge da atuação da indústria dos jogos de azar.

Agentes disfarçados seguiam os integrantes do bando diariamente e reuniram um farto material que mostra a entrega de caça-níqueis (como o flagrante aí de cima) em bares da periferia do entorno do Distrito Federal.

Foi acompanhando a distância a rotina da quadrilha que os agentes descobriram os policiais que trabalhavam para o bicheiro fazendo diferentes serviços, como a escolta dos caminhos do bando na entrega das máquinas.

Por Lauro Jardim
 

Serviços

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados