Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar

Por Robson Bonin
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

O “gelo” de Lula em Javier Milei

Há 11 dias, o presidente da Argentina enviou uma carta para o brasileiro por meio de sua chanceler, mas não teve resposta

Por Gustavo Maia Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 9 Maio 2024, 11h58 - Publicado em 26 abr 2024, 15h30

Na segunda-feira da semana passada, dia 15, a chanceler da Argentina, Diana Mondino, esteve em Brasília e entregou pessoalmente ao ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, uma carta do presidente Javier Milei, endereçada para Lula. Mais de quatro meses após a posse do ultradireitista na Casa Rosada, os dois líderes ainda não conversaram ou se encontraram. Até o momento, no entanto, a mensagem de Milei ficou sem resposta do brasileiro.

Questionado sobre a carta durante café com jornalistas na última terça-feira, Lula disse não ter visto o documento porque seu chanceler “viajou” — mas Vieira estava em Brasília naquele dia. Horas após receber Diana Mondino, o chanceler realmente viajou, para Assunção, no Paraguai. Na noite seguinte, chegou a Bogotá para acompanhar Lula durante agendas na Colômbia na quarta-feira — dois dias depois de receber a missiva do argentino. O ministro então seguiu para Nova York, retornando a Brasília da sexta para o sábado. Na segunda e na terça, ele teve várias agendas no Palácio Itamaraty.

“Olha, primeiro, eu sei que o meu chanceler recebeu uma carta do presidente Milei, mas acontece que o meu chanceler viajou e eu ainda não vi a carta. Quando ele regressar, agora, eu devo receber a carta. Não sei o que que o Milei está dizendo na carta, portanto, eu não posso responder. A única coisa que eu posso adiantar é que, depois que eu ler, eu tenho interesse de que a imprensa saiba o que o presidente da Argentina quer conversar com o Brasil”, respondeu Lula, ao ser questionado sobre a mensagem e se receberia Milei.

De acordo com uma fonte do Itamaraty, os termos da carta eram vagos e não havia nada que demandasse resposta do presidente como um convite específico. O argentino teria feito apenas uma referência genérica a se encontrarem em algum momento e reiterado a prioridade conferida pelo país à relação bilateral com o Brasil. Até agora, levou um “gelo” do brasileiro.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.