Clique e assine a partir de 8,90/mês

Quarentena na cidade de São Paulo será prorrogada

De acordo com o secretário municipal de Saúde, restrições mais rígidas podem ser adotadas

Por Da redação - Atualizado em 30 abr 2020, 20h09 - Publicado em 30 abr 2020, 11h57

A quarentena na cidade de São Paulo será prorrogada após o dia 10 de maio, segundo o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, em entrevista ao Bom Dia São Paulo. Restrições mais rígidas também poderão ser adotadas para conter o avanço do coronavírus na cidade.

“Já há uma decisão tomada, nós não temos como relaxar as medidas de isolamento a partir do dia 10 de maio. Na capital é absolutamente impossível fazermos isso. Ao contrário, nós estamos iniciando uma discussão na prefeitura para que a gente possa fortalecer algumas dessas medidas para que a gente consiga fazer com que o isolamento na cidade possa crescer desse patamar de 48%”, afirmou o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido.

ASSINE VEJA

Coronavírus: uma nova esperança A aposta no antiviral que já traz ótimos resultados contra a Covid-19, a pandemia eleitoral em Brasília e os fiéis de Bolsonaro. Leia nesta edição.
Clique e Assine

Desde segunda-feira 27, bloqueios educativos são realizados em algumas vias da capital. Segundo Aparecido, esses bloqueios poderão ser endurecidos nas principais avenidas da cidade para desestimular as pessoas a saírem de casa, em especial em regiões onde a “pressão no sistema de saúde tem aumentado continuamente”. As novas medidas deverão ser apresentadas na semana que vem pelo prefeito Bruno Covas.

LEIA TAMBÉM:
Como fazer uma máscara caseira contra o coronavírus (e cuidar bem dela)

Está prevista para 11 de maio o início da flexibilização da quarentena no estado de São Paulo. Entretanto, nos últimos dias, os índices de distanciamento social têm caído. O governador João Doria já afirmou mais de uma vez que se não houver manutenção dessa taxa acima de 50%, a data prevista para flexibilização poderá ser alterada. Além disso, o processo deverá ser gradual e não valerá para todas as cidades do estado ao mesmo tempo.

São Paulo é o epicentro da pandemia de coronavírus no Brasil e a maior parte dos casos está concentrada na capital. Até quarta-feira 29, 26.158 casos e 2.247 óbitos por Covid-19 foram confirmados no estado, sendo que 63,6% dos casos e 64% dos óbitos foram registrados na capital. O número de novos casos e de novos óbitos confirmados diariamente aumenta constantemente.

“O processo de agravamento da doença é contínuo. Nós já vínhamos em um crescimento de 10%, 15% ao dia, mas em uma velocidade controlada. Com o rebaixamento da adesão do isolamento da população, essa velocidade passou a ser muito mais acentuada, o que é um risco gravíssimo na saúde pública da cidade”, disse Aparecido ao Bom Dia São Paulo.

O secretário ainda lembrou que o reflexo da baixa adesão às medidas de isolamento não é algo imediato. “Nós estamos colhendo aquilo que a cidade plantou há pouco mais de 10 dias. Quando começou a haver uma circulação maior na cidade, o reflexo qual foi? Nesse final de semana, os números dispararam. O que está acontecendo agora, com uma circulação maior das pessoas nesta semana que nós estamos vivendo, o reflexo vai ser daqui a dez, quinze dias”, explicou Aparecido.

Continua após a publicidade
Publicidade