Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Por que o Chile tem 9ª maior taxa de vacinação contra Covid-19 no mundo?

O país já aplicou 2,9 milhões de doses em uma população de apenas 19 milhões de habitantes; o que garante uma taxa de 15,3 doses por 100 pessoas

Por Giulia Vidale Atualizado em 24 fev 2021, 10h03 - Publicado em 23 fev 2021, 18h27

O Chile é o 9º país com a maior taxa de vacinação contra Covid-19 do mundo. Estão à sua frente, o líder Israel (82.26), a pequena Seychelles (68.31), Emirados Árabes (51.71), Reino Unido (27.47), Maldivas (20.16), Estados Unidos (19.33), Barein (18.53) e Sérvia (17.95) De acordo com levantamento realizado pela Bloomberg, o Chile já aplicou 15,3 doses a cada 100 habitantes — número muito superior às 3,37 doses no Brasil, 1,61 na Argentina e 1,3 no México. Mas como o país, que já chegou a ter uma das maiores taxas de infecção per capita do mundo em maio conseguiu chegar neste patamar?

O tamanho relativamente pequeno da população, com cerca de 19 milhões de habitantes, foi o motivo principal. Em paralelo, o empenho precoce do governo chileno em garantir uma grande quantidade de vacinas foi também crucial. O tamanho da população é uma vantagem importante porque um número pequeno de doses tem maior impacto na meta chilena de alcançar a imunidade de rebanho, quando comparada a locais com populações maiores como Brasil, Estados Unidos, China e União Europeia.

Para se ter uma ideia, em números absolutos o Chile aplicou 2.924.279 doses, o que corresponde a uma média de 135.276 por dia. O Brasil administrou mais que o dobro de doses: 7.080.711, uma média de 222.179. Ou seja, o Brasil aplicou mais vacinas, em uma velocidade maior que o Chile, mas ainda tem uma taxa de vacinação cinco vezes menor que o país vizinho. Por que isso acontece? A população brasileira é 11 vezes maior que a população chilena. Isso significa que o Brasil precisa de uma quantidade de vacinas 11 vezes maior que o Chile para vacinar toda a população.

Embora o Chile tenha a seu favor o tamanho de sua população, é preciso enfatizar o mérito do governo chileno que usou seus recursos – o país possui um dos maiores PIB per capita da região – desde muito cedo decidiu não poupar esforços para adquirir vacinas, de diferentes produtores. Um cenário bem diferente do brasileiro.

O Chile é o país que mais adquiriu vacinas per capita na América Latina. O governo de Sebastián Piñera assinou contratos para o fornecimento de aproximadamente 90 milhões de doses, suficiente para imunizar toda a população duas vezes. O maior contrato é com a Sinovac. Estão combinados 60 milhões de doses num prazo de três anos. Também há contratos de menor quantidade e prazo com a vacina de Oxford-AstraZeneca,  Pfizer-BioNTech, Janssen e Covax Facility. Mesmo com excedente de doses garantidas, o país ainda está em negociação para a compra de doses da vacina russa Sputnik V.

Para fator de comparação, o Brasil assegurou 354,6 milhões de doses até o final de 2021. A quantidade é suficiente para vacinar apenas 70% da população.

Continua após a publicidade

LEIA TAMBÉM: As variantes do coronavírus: qual é o tamanho do problema?

Com inúmeros acordos em mãos, o Chile foi o primeiro da América do Sul a iniciar a vacinação contra a Covid-19. Em 24 de dezembro os profissionais de saúde começaram a ser imunizados com a vacina da Pfizer/BioNTech. A campanha de vacinação em massa começou em 3 de fevereiro, com a chegada do primeiro lote da Sinovac. A maioria das vacinas administradas no país até o momento são da CoronaVac.

A organização da campanha de vacinação é outro ponto a favor do Chile. O programa é voluntário e gratuito. Além disso, as autoridades chilenas transformaram qualquer espaço público viável em centro de vacinação. Escola, prédios do governo, shoppings e até estádios de futebol se transformam em postos de vacinação.

O país definiu seus grupos prioritários e segue à risca o calendário de vacinação estabelecido. Os profissionais de saúde foram os primeiros da lista, seguido de idosos, professores, farmacêuticos e policiais. O objetivo do Ministério da Saúde do Chile é vacinar cinco milhões de pessoas – mais de um quarto de sua população – até o final de março.

Em publicação no Twitter, o cientista Max Roser, fundador doa plataforma Our World in Data, classificou o desempenho do Chile como “notável”.

Confira os números da vacinação nos estados e no país atualizados até as 18h desta terça-feira, 23:

Continua após a publicidade
Publicidade