Clique e assine com até 92% de desconto

Dieta: 6 dicas para manter uma alimentação saudável no Natal e Ano Novo

É difícil resistir aos excessos dessa época do ano, mas com algumas dicas é possível ficar saciado sem se sentir estufado de comida

Por Da redação Atualizado em 24 dez 2019, 15h00 - Publicado em 24 dez 2019, 14h00

No final do ano, é comum exagerar na alimentação e até no consumo de álcool. Afinal, é uma época regada à confraternizações com comidas gostosas e bebidas, além, claro, das tradicionais ceias de Natal e Ano Novo. Porém, os excessos podem fazer o esforço de muito tempo ruir, resultando em alguns quilinhos extra.

Pensando nisso, a nutróloga Marcella Garcez, diretora da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran) listou algumas dicas importantes para manter uma alimentação saudável e passar pelas festas sem ficar com peso na barriga e na consciência, mesmo com todas as tentações.

1. Planeje o que vai beber

Além das calorias, o álcool contém açúcar e algumas bebidas contam também com sódio – que em excesso dificulta a circulação sanguínea. “Independente do teor alcoólico e do processo de produção, se são fermentadas ou destiladas, as bebidas mexem com o organismo e com o fígado de tal forma que desregula o sono, aumenta a vontade de alimentos mais gordurosos e também causa desidratação”, diz Marcella.

A dica é tentar estabelecer um limite de álcool antes de chegar a uma festa ou evento social e alternar álcool com água. Para manter sua ingestão de açúcar baixa, troque as bebidas açucaradas por sucos naturais.

2. Coma antes da festa

Invista em uma alimentação saudável antes da festa. Chegar com fome a um banquete deixa mais difícil resistir à tentação. “Procure comer bastante salada ou legumes, algumas proteínas magras (carne, frango ou peixe) e uma pequena porção de carboidratos integrais. As proteínas da dieta nos deixam mais satisfeitos por mais tempo”, diz a médica.

3. Faça escolhas estratégicas

É difícil acompanhar o quanto você comeu enquanto desfruta de petiscos, então, coma com moderação. As melhores opções são os palitos de legumes em vez dos biscoitos e prefira molhos à base de vegetais. Se você gosta de queijo, concentre-se na qualidade e não na quantidade e corte conscientemente fatias finas. Outra boa opção são as oleaginosas, que oferecem grande quantidade de proteínas e ômegas. Mas também não é para se jogar e comer sem limites pois elas são extremamente calóricas.

Continua após a publicidade

Na refeição principal, não é necessário não comer. Afinal, as opções são deliciosas e costumam ser típicas dessa época do ano. Uma maneira simples de evitar o exagero é limitar-se a um ou dois pratos, por exemplo: salada e prato principal, ou prato principal e sobremesa.

Dê preferência a alimentos com proteínas magras e saladas ou legumes em vez de massas ricas em carboidratos simples e pratos à base de arroz. Para evitar gorduras prejudiciais à saúde, é melhor ficar longe das  frituras.

  • 4. Conheça sua fraqueza

    A maioria de nós tem uma queda por doce ou salgado. Admitir isso é importante! “Qualquer que seja sua fraqueza, é necessário entender que não pode haver um excesso. Limite a saborear o alimento em vez de comer grandes quantidades”, diz a médica.

    5. Evite os alimentos ultraprocessados

    A alta ingestão de alimentos ultraprocessados, como aalgadinhos empacotados, refrigerantes e carnes processadas, está relacionada ao risco elevado de disfunções metabólicas e alguns tipos de câncer. Nas festas, dê preferência a opções mais naturais.

    6. De olho na sobremesa

    Se você gosta de sobremesa, não precisa ficar sem comer. Mas evite exagerar. Você pode oferecer para compartilhar com alguém, reduzir a quantidades e optar por opções à base de frutas. “Opte por doces que contenham comida de verdade, como as frutas, e evite os mais processados com leite condensado, doce de leite e calorias vazias”, alerta a médica. “O consumo excessivo desses alimentos ricos em açúcares que pode levar a doenças metabólicas como obesidade e diabetes, ainda agravar os riscos de doenças cardiovasculares, inflamatórias, degenerativas e até neoplásicas”, diz Marcella.

    Por fim, se você não conseguir seguir essas estratégias, pelo menos tente limitar a quantidade consumida. “Isso já ajuda a reduzir os riscos à saúde”. E se você colocou o “pé na jaca”, nada de desespero. Volte com tudo no dia seguinte, se alimentando com comidas leves, naturais e bebendo muita água.

    Continua após a publicidade
    Publicidade