Clique e assine a partir de 8,90/mês

Pacientes curados que testam positivo não transmitem Covid-19, diz estudo

Pesquisa da Coreia do Sul mostrou que pessoas com resultado positivo para o coronavírus semanas após a recuperação não são capazes de transmitir a infecção

Por Da redação - Atualizado em 19 Maio 2020, 11h33 - Publicado em 19 Maio 2020, 11h12

Pacientes que testam positivo para coronavírus semanas após estarem recuperados da Covid-19 provavelmente não são capazes de transmitir a infecção. É o que mostra um estudo feito pela Coreia do Sul. A descoberta, divulgada na segunda-feira, 18, é um sinal positivo para regiões que desejam relaxar o isolamento à medida que mais pessoas se recuperam da doença, de acordo com informações da Bloomberg.

Para chegar a essa conclusão, pesquisadores do Centro Coreano de Controle e Prevenção de Doenças analisaram 285 sobreviventes da Covid-19 que deram positivo para o coronavírus após estarem curados, conforme havia indicado um resultado negativo anterior.

Alguns pacientes testaram positivo para coronavírus novamente cerca de 82 dias após serem infectados. Por outro lado, quase todas as pessoas submetidas a exames de sangue tinham anticorpos contra o vírus. A pesquisa mostrou que o resultado positivo do teste RT-PCR nesses pacientes acontece porque o exame, que analisa partículas do vírus, não consegue distinguir entre partículas mortas e vivas, potencialmente dando a impressão errada de que alguém que dá positivo para o vírus permanece infeccioso.

ASSINE VEJA

Covid-19: Amarga realidade As cenas de terror nos hospitais públicos brasileiros e as saídas possíveis para mitigar a crise. Leia nesta edição.
Clique e Assine

Os cientistas concluíram que os chamados pacientes re-positivos não espalharam nenhuma infecção persistente e as amostras de vírus coletadas não puderam ser cultivadas em cultura, indicando que os pacientes estavam eliminando partículas não infecciosas do vírus ou mortas.

Essas evidências sugerem que aqueles que se recuperaram da Covid-19 não apresentam risco de espalhar a doença após o relaxamento das medidas de distanciamento social. De acordo com informações da Bloomberg, as autoridades de saúde da Coreia do Sul não considerarão mais as pessoas infecciosas depois de se recuperarem da doença. Essas pessoas também não precisarão realizar novos testes RT-PCR para obter um resultado negativo antes de voltarem ao trabalho ou à escola depois que se recuperarem da doença e completarem o período de isolamento.

“Sob os novos protocolos, nenhum teste adicional é necessário para os casos que receberam alta por isolamento”, disse o CDC coreano em um relatório. A agência disse que agora irá se referir a casos “re-positivos” como “PCR re-detectados após alta do isolamento”.

Continua após a publicidade
Publicidade