Clique e assine com até 92% de desconto

PSD declara neutralidade, mas Kassab diz que maioria está com Bolsonaro

De acordo com o dirigente, liberar os diretórios regionais é uma decisão que impede a criação de dissidências

Por Agência Brasil 17 out 2018, 22h21

O presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, afirmou nesta quarta-feira (17) que o partido não apoiará nenhum dos dois candidatos à Presidência da República. Ele, no entanto, explicou que a decisão respeita os diretórios da Bahia e de Sergipe, que apoiam Fernando Haddad (PT), em oposição à “ampla maioria” do partido, que está com Jair Bolsonaro (PSL).

“Em um gesto de respeito com esses dois estados, ao invés de definirmos o voto do partido em favor do Bolsonaro, o PSD definiu que vai liberar seus diretórios regionais para o caminho que considerarem mais adequado. Com isso, aqueles que não quiserem acompanhar a candidatura do Bolsonaro ficam com a tranquilidade de estarem dentro de uma diretriz partidária”, disse ele, que é ministro de Ciência e Tecnologia do governo Temer.

  • O PSD baiano é aliado do PT no estado. Já em Sergipe, o PT apoia a candidatura de Belivaldo Chagas, do PSD, para o governo. Chagas disputa o segundo turno com Valadares Filho, do PSB.

    Kassab deixou claro, no entanto, que a maioria do partido está com Bolsonaro e que liberar os diretórios regionais é uma decisão que impede a criação de dissidências e visa a unificar o partido com maior facilidade após as eleições.

    A maioria dos partidos, dentre eles PSDB e MDB, também não oficializaram apoio a nenhum dos dois candidatos e liberaram seus diretórios regionais. O PT tem o apoio do PCdoB e PROS, que já fazem parte da coligação de Haddad, além do PCB, PSB e PSOL. O PSL tem o apoio do PTB, PRTB e PSC.

    Continua após a publicidade
    Publicidade