Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Na Câmara, Clarissa Garotinho chora ao falar da prisão do pai

Deputada denunciou supostas “arbitrariedades”, “crueldades” e “desumanidades” cometidas pelas autoridades durante a prisão de Anthony Garotinho

De volta Brasília após acompanhar a prisão de seu pai, o ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho, na semana passada, a deputada federal Clarissa Garotinho usou o tempo que lhe coube na tribuna da Câmara nesta terça-feira para denunciar supostas “arbitrariedades”, “ilegalidades” “crueldades” e “desumanidades” cometidas pelas autoridades durante a prisão. Após um périplo por hospitais do Rio de Janeiro, o ex-governador passou por uma cirurgia que lhe implantou um stent e foi hoje para casa, beneficiado pela prisão domiciliar concedida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Clarissa, que chegou a chorar durante seu discurso, aproveitou para se posicionar favoravelmente ao projeto que prevê punição a abuso de autoridade por juízes e procuradores, bandeira empunhada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Para a deputada federal, o ex-governador, preso sob a acusação de usar um programa social em Campos dos Goytacazes (RJ) para comprar votos na eleição municipal deste ano, foi vítima deste tipo de abuso.

“Não se vê nada tão brutal como o que fizeram com ele nem em ambiente de guerra. A Convenção de Genebra proíbe terminantemente que um exército inimigo, em ambiente de guerra, entre num hospital para interferir”, disse a parlamentar.

“Nós não podemos permitir a continuidade desse abuso de autoridade que está acontecendo no Brasil! O meu pai, ex-Governador Anthony Garotinho, talvez seja o caso mais emblemático de abuso de autoridade nos últimos tempos aqui no Brasil”, afirmou.

A voz de Clarissa Garotinho ficou embargada e ela chorou quando o deputado Carlos Manato (SD-ES), que comandava a sessão, disse que tem “um carinho e um respeito muito grande pela família de Vossa Excelência” e perguntou se Garotinho está bem. “Está em casa”, respondeu a emocionada deputada, que continuou: “Graças a Deus, ele já teve alta! Muito obrigada, Sr. Presidente”.

Expulsa do PR

A participação de Clarissa Garotinho na sessão de hoje na Câmara foi a primeira após sua expulsão do Partido da República (PR), concluída ontem. Ela era alvo de processo de expulsão do PR por ter votado contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que cria um teto para os gastos públicos, contrariando decisão do partido de fechar questão para que todos os seus parlamentares votassem a favor da medida.

Em comunicado assinado pelo presidente da sigla, Antonio Carlos Rodrigues, o ex-senador informou que a Comissão Nacional Executiva se reuniu no dia 17 deste mês e deliberou pela expulsão da deputada. “Notificamos Vossa Excelência que a partir desta data será promovido seu desligamento do quadro de filiados ao Partido da República”, diz a mensagem encaminhada à parlamentar.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. E ,mais roubar ele pode né.P olitico bandido tem que ir e pro cadeião mesmo

    Curtir

  2. Gerador emprego

    Tal pai tal filha…vai presa também… família mafiosos e ai cariocas olha só lixo q vocês criaram…agora tão comendo capim ainda elegem familiares dessa corja…

    Curtir

  3. Familia de corruptos e criminais, cadeia para todos, vai chorar dentro da cela.

    Curtir