Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ministra sobre isentar quem atira contra invasor: ‘Demandas mais urgentes’

Tereza Cristina reconheceu que esse é um pleito 'antigo' de agricultores, mas que acredita que 'ordem na casa' pode ser suficiente para reduzir invasões

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, afirmou nesta sexta-feira, 3, que a isenção para quem atirar contra invasores no campo é uma demanda antiga do setor rural, mas que há outras reivindicações “mais urgentes” neste momento.

“É uma demanda antiga, existe uma injustiça. Agora, eu não sei, eu preciso conversar. Estou com tantas demandas mais urgentes”, disse a ministra, após ter sido questionada sobre o assunto.

Cristina lembrou que a demanda surgiu porque antigamente havia muitas invasões de terras. “À época das invasões, isso era uma coisa muito séria. Eu espero que, com o presidente colocando ordem na casa, a gente não tenha mais invasões”, declarou.

A promessa foi feita nesta semana pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) a representantes do agronegócio, durante a principal feira do setor, a Agrishow, em Ribeirão Preto (SP). Ele defendeu a isenção da punição a produtores rurais que atirarem contra invasores de terra. No discurso, o presidente disse que a ideia ia “dar o que falar”, mas que ele a levaria adiante.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo que “não concorda” com a ideia e que não a discutiu com Bolsonaro. “Ele conversou comigo sobre a posse estendida no campo, isso eu concordo e acho que a maioria das pessoas concorda. O outro assunto [o salvo-conduto] ele não tratou comigo”, disse ao jornal.