Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Lula aposta em dificuldades de Bolsonaro no início de governo

Para ex-presidente, estratégia do PT para se opor ao presidente eleito só deve ser definida em 2019

Por Estadão Conteúdo Atualizado em 30 out 2018, 18h01 - Publicado em 30 out 2018, 16h43

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso em Curitiba, disse a interlocutores do PT que seria melhor esperar até o Carnaval antes de definir a estratégia de oposição ao governo Jair Bolsonaro (PSL). Segundo relatos feitos à direção nacional do partido nos últimos dois dias, Lula avaliou que Bolsonaro terá dificuldades para executar propostas radicais apresentadas durante a campanha eleitoral devido ao “sistema de pesos e contrapesos” da democracia. Petistas interpretaram a fala do ex-presidente como uma referência ao Congresso e ao Supremo Tribunal Federal (STF).

De acordo com relatos de interlocutores do ex-presidente, Lula disse que Bolsonaro não será, em seu governo, a mesma pessoa que foi na campanha. De acordo com petistas, isso não significa que o partido deve ficar inerte. Ao contrário, deve se opor a medidas pontuais do novo presidente, como a tentativa de aprovar pontos da reforma da Previdência ainda antes da posse desde o primeiro momento. Mas o discurso de combate ao “fascismo” não é suficiente.

Lula também avaliou que Bolsonaro tem um “pepino” nas mãos para a montagem do governo em razão das divergências entre os diversos grupos que apoiaram sua candidatura e do discurso eleitoral de não indicar ministros em troca de apoio no Congresso.

Na segunda-feira 29, Lula recebeu o tesoureiro do PT, Emidio de Souza, e o advogado Luiz Eduardo Greenhalgh, na sede da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde cumpre pena desde o dia 7 de abril. Os dois, por sua vez, fizeram relatos da conversa a lideranças petistas.

De acordo com esses relatos, Lula disse ter passado “dias de angústia” no final de semana, quando é proibido de receber visitas. Ele reclamou de ter passado o dia de seu aniversário, sábado, 27, sozinho.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)