Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Ibope: Bolsonaro tem pior aprovação de um presidente em 1º mandato

Com 34% de avaliações 'ótimo' e 'bom', atual presidente está sete pontos abaixo da aprovação de Fernando Henrique Cardoso em março de 1995

Por Guilherme Venaglia - 20 mar 2019, 18h42

Tendo perdido um terço da aprovação ao seu governo após dois meses, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) ainda registrou uma outra marca negativa no levantamento do instituto Ibope, divulgado nesta quarta-feira, 20. Segundo a série histórica do instituto, Bolsonaro é o presidente que chegou a março de seu primeiro mandato desde que a posse dos chefes de governo passou a ser em 1º de janeiro, com Fernando Henrique Cardoso (PSDB) em 1995.

O atual presidente registra neste momento, segundo o Ibope, 34% de entrevistados que consideram a sua administração “ótima” ou “boa”. É menos do que os 41% de FHC em março de 1995. Os outros dois presidentes eleitos desde então, os petistas Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, obtinham números melhores com o mesmo tempo decorrido. Lula era aprovado por 51% em março de 2003; Dilma, por 56% em 2011.

A conclusão trata apenas de presidentes estreantes. Quando observados os segundos mandatos do tucano e dos petistas, Bolsonaro ainda está em melhor situação do que a que estavam FHC e Dilma decorridos dois meses da segunda posse.

Em março de 2015, quando ocorriam as maiores manifestações por seu impeachment, a petista era aprovada por apenas 12% dos entrevistados. Em 1999, o político do PSDB estava em situação um pouco melhor, mas tinha apenas 22% de “ótimo” e “bom”.

Publicidade

O Ibope ouviu 2.002 pessoas, entre os dias 16 e 19 de março deste ano. A pesquisa tem margem de erro de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, e nível de confiança de 95%.

Publicidade