Haddad é a primeira visita de Lula em dia marcado para prisão

Moro deu até as 17 horas desta sexta-feira para Lula se apresentar voluntariamente para a Polícia Federal

Por Estadão Conteúdo - Atualizado em 6 abr 2018, 14h02 - Publicado em 6 abr 2018, 08h41

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva descansou entre as 2h30 e  as 7 horas desta sexta-feira 6, sozinho, em uma das salas da sede do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo, no ABC paulista. Lula foi para o local na noite desta quinta-feira depois de o juiz Sérgio Moro ter decretado sua prisão. Por volta das 8 horas, Lula tomava seu café da manhã em local privado, no 2º andar do prédio.

Segundo a assessoria do ex-presidente, ele “acordou bem” e, ao longo da manhã, volta a receber visitantes. Até o momento, não há previsão de Lula conceder entrevista nem de falar com os militantes que estão no local para apoiá-lo.

O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad já chegou à sede do sindicato para conversar com Lula. Guilherme Boulos, pré-candidato do PSOL ao Planalto e coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), também já está no sindicato.

Boulos foi uma das lideranças políticas que manifestaram pessoalmente seu apoio ao ex-presidente ainda na quinta-feira. Também estiveram no sindicato ontem a ex-presidente Dilma Rousseff, a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, a candidata do PCdoB, Manuela D’Ávila, o ex-prefeito de São Bernardo Luiz Marinho e líder do PCdoB na Câmara, deputado Orlando Silva.

Publicidade

Moro deu até as 17 horas desta sexta-feira para Lula se apresentar voluntariamente para a Polícia Federal. Aliados do ex-presidente dizem que existe a possibilidade de que ele não se entregue. Ele estaria cogitando aguardar a dimensão das manifestações no local durante a manhã e começo da tarde para decidir se cumpre, ou não, a determinação de Moro de se apresentar à Superintendência da Polícia Federal no Paraná.

 

Publicidade