Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

União Europeia aprova ‘força de resposta rápida’ com 5 mil soldados

Chamado de Bússola Estratégica, plano tem como objetivo deixar o bloco mais preparado para eventuais ameaças ao continente

Por Matheus Deccache Atualizado em 23 mar 2022, 08h53 - Publicado em 21 mar 2022, 17h57

Os ministros das Relações Exteriores e Defesa da União Europeia aprovaram nesta segunda-feira (21) uma nova estratégia de segurança destinada a aumentar a influência militar do bloco, estabelecendo uma força de reação rápida de até 5.000 soldados em casos de crise.

É esperado que os líderes do bloco aprovem a iniciativa já no final da semana, entre os dias 24 e 25. O plano, conhecido como Bússola Estratégica, foi apresentado no ano passado após a retirada caótica das tropas estrangeiras do Afeganistão depois da queda da capital, Cabul, para o Talibã, em agosto. 

+ ‘Conflito não é do interesse de ninguém’, diz Xi Jinping a Biden

Após a invasão russa à Ucrânia, em 24 de fevereiro, o bloco endureceu o discurso e avançou medidas para reforçar a sua política de segurança e defesa até 2030, de modo a ser mais eficaz no  trabalho de proteger valores e interesses de seus aliados. 

“O atual ambiente hostil exige um salto quântico. A Bússola nos oferece um ambicioso plano de ação para uma segurança e defesa mais forte do bloco para a próxima década”, escreveu o alto representante da União Europeia para as Relações Exteriores, Josep Borrell, no Twitter.

A ministra da Defesa alemã, Christine Lambrecht, disse que a Alemanha está pronta para fornecer o núcleo militar da nova força já em 2025, ano em que a Bússola deve se tornar totalmente operacional. Para isso, o país anunciou um aumento de gastos de 100 bilhões de euros para suas forças armadas, marcando uma grande mudança em sua política de segurança nacional pós-Segunda Guerra Mundial. 

Continua após a publicidade

+ Rússia diz que relação com Estados Unidos está a beira do colapso

Ao mesmo tempo, o bloco deixou claro que seus esforços são complementares aos da Otan e que não pretendem competir militarmente com a principal aliança militar ocidental, que é liderada pelos Estados Unidos e irá manter seus status de âncora da defesa ocidental.

A União Europeia está confiante que, com maior força e capacidade militar, poderá dar “uma contribuição positiva para a segurança global e transatlântica” e baseará sua tática em batalhões que já tinha desde 2007, mas nunca utilizou, com o uso de forças aéreas, terrestres e marítimas. 

O bloco vai se preparar para mobilizar 200 especialistas em missões da Política Comum de Segurança e Defesa (PESC) totalmente equipados no prazo de 30 dias, incluindo em ambientes complexos. O reforço da capacidade de antecipar, dissuadir e responder a ameaças será outro objetivo, com a UE reforçando as suas capacidades de análise de inteligência e desenvolvendo uma “caixa de ferramentas” para detectar e responder a uma vasta gama de ameaças híbridas.

Também está previsto o estabelecimento de uma política de defesa cibernética com uma variedade de instrumentos para combater a manipulação e interferência de informação procedente do exterior, além do desenvolvimento de uma estratégia espacial de segurança e defesa e o reforço do papel da do bloco na segurança marítima.

+ Zelensky pede armas e cobra sanções de Israel contra a Rússia

A fim de responder a estas exigências, os Estados-membros se comprometem a aumentar substancialmente as suas despesas de defesa e a reforçar a base tecnológica e industrial da Europa. Para isso, a União Europeia dará mais incentivos a eles para colaborarem no desenvolvimento de capacidades e no investimento conjunto, de modo a também preencher lacunas estratégicas e a reduzir as dependências tecnológicas e industriais.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês