Clique e assine a partir de 9,90/mês

Ucrânia pagou advogado de Trump por reunião com o presidente, diz BBC

Michael Cohen recebeu 400.000 dólares para promover encontro de Trump com Petro Poroshenko, segundo fontes ouvidas pela rede britânica

Por Da redação - 23 maio 2018, 18h40

O advogado pessoal de Donald Trump, Michael Cohen, recebeu um pagamento secreto de pelo menos 400.000 dólares (1,5 milhão de reais) para acertar reuniões entre o presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, e o presidente americano, informou a rede britânica BBC nesta quarta-feira (23).

De acordo com um alto funcionário da inteligência ucraniana ouvido pela reportagem, o pagamento a Cohen, que não está previsto pela lei americana, foi arranjado por intermediários do governo ucraniano para concretizar uma reunião na Casa Branca que ocorreu em junho de 2017. Cohen nega a alegação.

O advogado de Trump foi procurado, segundo a fonte, porque os lobistas registrados na Ucrânia e a embaixada que o país mantém em Washington não conseguiam acertar “mais do que uma breve sessão de fotos” entre Poroshenko e Trump. O líder ucraniano, porém, queria algo que pudesse comprovar que houve uma conversa entre os dois, segundo a BBC.

Logo depois que o presidente ucraniano voltou ao seu país, a agência de investigação contra a corrupção ucraniana encerrou o inquérito aberto contra o ex-gerente de campanha de Trump, Paul Manafort. Ele havia sido indiciado pelo procurador-especial Robert Mueller durante investigações sobre a interferência russa nas eleições americanas de 2016 por causa do seu envolvimento com um partido pró-Rússia na Ucrânia.

Continua após a publicidade

A revelação feita pela rede britânica segue as denúncias feitas duas semanas atrás de que Cohen havia recebido pagamentos secretos da gigante farmacêutica Novartis, da companhia de telecomunicações AT&T, da empresa de defesa aeroespacial sul-coreana Korea Aerospace Industries e de uma empresa de administração financeira dos Estados Unidos ligada ao oligarca russo Viktor Vekselberg.

Ao todo, Cohen teria recebido mais de 2 milhões de dólares dessas empresas. No caso do encontro entre Trump e o líder ucrianiano, a BBC diz que o advogado recebeu pelo menos 400.000 dólares para que a reunião ocorresse; outra fonte ligada ao governo ucraniano confirmou os acontecimentos, mas citou o valor de 600.000 dólares pagos a Cohen. Ainda assim, não há provas de que o presidente americano tinha conhecimento do esquema.

Cohen está sob investigação criminal também em outro caso envolvendo pagamentos irregulares. Promotores federais em Nova York estão apurando um pagamento de 130.000 dólares em dinheiro que ele fez para a atriz pornô Stormy Daniels pouco antes das eleições presidenciais de 2016.

Segundo Daniels, o dinheiro foi entregue a ela com o objetivo mantê-la em silêncio sobre um caso amoroso que ela afirma ter tido com Trump, em 2006. Ele e seus porta-vozes negam o caso, porém, o advogado Rudolph Giuliani, que representa Trump, admitiu que o presidente reembolsou Cohen pelo pagamento a Daniels.

Publicidade