Clique e assine a partir de 9,90/mês

Trump deve escolher ex-senador para chefiar Inteligência Nacional

O conservador Dan Coats deve substituir o atual chefe de Inteligência, que contrariou Trump acerca de ciberataques russos

Por Da redação - 5 jan 2017, 19h29

O ex-senador republicano Dan Coats foi escolhido para o posto de diretor nacional de Inteligência dos Estados Unidos no governo de Donald Trump, segundo fontes da equipe de transição.

Esse é o último cargo importante que faltava ser definido por Trump na formação de sua futura equipe, que começará a trabalhar no dia 20 de janeiro, dia de sua posse. O magnata ainda precisa escolher os nomes que comandarão as secretarias de Agricultura e Assuntos de Veteranos.

Segundo o jornal The Washington Post, a expectativa é de que a designação de Coats seja anunciada ainda nesta quinta-feira. O titular desse cargo, criado em 2004, é o principal assessor presidencial em temas de inteligência e supervisiona e coordena as ações de toda a organização militar e civil dos serviços de informação e espionagem.

Coats foi senador pelo Estado de Indiana entre 1989 e 1999 e também entre 2010 e 2016. Trabalhou nos comitês de Inteligência e das Forças Armadas no Senado e também foi embaixador dos Estados Unidos na Alemanha.

Continua após a publicidade

Polêmica

A escolha de Coats para o cargo surge em meio a críticas de Trump em relação aos serviços de inteligência por causa das conclusões tiradas sobre os ciberataques ocorridos nas últimas eleições, atribuídos pelo governo atual à Rússia. Nesta quinta-feira, o atual chefe de Inteligência Nacional do governo de Barack Obama, James Clapper, reafirmou que oficiais russos de alto escalão agiram para interferir na eleição presidencial.

Trump se manifestou hoje em seu perfil no Twitter para dizer que “a mídia desonesta” mente para “fazer parecer” que o presidente eleito é contrário aos serviços de inteligência. “Na verdade, sou um grande fã”, escreveu.

(Com EFE)

Publicidade