Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Trump alardeia que haverá “crash no mercado” se ele não for reeleito

Presidente americano lança oficialmente sua campanha para eleições de 2020 na próxima terça-feira, mas pesquisas eleitorais indicam sua derrota

O presidente norte-americano Donald Trump voltou a enaltecer a economia dos Estados Unidos neste sábado, 15, dias antes do lançamento oficial de sua campanha pela reeleição em 2020.  Segundo ele, caso outro candidato vença a disputa, haverá um “crash no mercado”. A campanha do republicano será lançada na próxima terça-feira, 18, em comício em Orlando, na Flórida.

“A Trump Economy está estabelecendo recordes e tem um longo caminho a percorrer… No entanto, se alguém, exceto eu, assumir em 2020 (eu conheço muito bem a competição), haverá um crash [quebra] no mercado que não foi visto antes!”, escreveu no Twitter. Ainda, o presidente norte-americano reformulou o slogan da campanha de “Make America Great Again” para “Keep America Great”.

Também neste sábado, Trump usou a rede social para compartilhar uma pesquisa veiculada pela rede de televisão americana One America News, segundo a qual o atual presidente tem 51% de aprovação. “Apesar do maior assédio presidencial de todos os tempos, por pessoas que são muito desonestas e querem destruir nosso país, estamos indo muito bem nas pesquisas, ainda melhor do que em 2016”, afirmou Trump.

Outras pesquisas recentes, encomendadas por sua própria campanha, mostram um cenário preocupante para a reeleição do magnata. É o caso de um levantamento divulgado neste mês pela Quinnipiac University, que indica a derrota de Trump para candidatos democratas, entre os quais o ex-vice-presidente Joe Biden e os senadores Bernie Sanders (Vermont) e Elizabeth Warren (Massachusetts).

Para quem estreou no poder mentindo sobre o tamanho da multidão na sua posse, Trump não se esforça para demonstrar confiança em números. Desta vez, porém, foi seu próprio encarregado por pesquisas da campanha de reeleição que lhe trouxe as más notícias. Sua reação foi negar e esconder as cifras.

De acordo com o jornal The New York Times, Tony Fabrizio conduziu uma pesquisa em 17 estados e apurou que Trump perderia hoje para o democrata Joe Biden, vice presidente das gestões de Barack Obama, em vários pontos cruciais para uma vitória no Colégio Eleitoral, em 2020. O presidente, segundo o jornal, instruiu seus assessores a negar os resultados e a chamar atenção para os números positivos.

(Com Estadão Conteúdo)