Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Terremoto no Afeganistão mata pelo menos 920 pessoas

O tremor de magnitude 5,9 atingiu cerca de 45 quilômetros a sudoeste da cidade de Khost, no sudeste do país, e deixou 600 feridos

Por Da Redação 22 jun 2022, 08h37

Um terremoto de magnitude 5,9 atingiu o sudeste do Afeganistão na madrugada desta quarta-feira, 22, matando pelo menos 920 pessoas e ferindo mais de 600, disse a agência de notícias estatal afegã Bakhtar.

De acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos, o terremoto ocorreu a cerca de 45 quilômetros a sudoeste da cidade de Khost, capital da província no sudeste do país. A profundidade do tremor foi de cerca de dez quilômetros.

O número de mortos e feridos foi informado por Sharafuddin Muslim, vice-ministro de gestão de desastres, em uma coletiva de imprensa em Cabul. O terremoto foi sentido em várias províncias: no distrito de Sperah, em Khost, 40 pessoas foram mortas e outras 100 ficaram feridas; em Paktika, o tremor matou 381 pessoas e feriu 205.

Cabul, capital afegã, também sentiu o terremoto, assim como a parte norte do vizinho Paquistão, de acordo com um mapa do Centro Sismológico Mediterrâneo Europeu. O Serviço Geológico dos Estados Unidos disse que um segundo terremoto, de magnitude 4,5, atingiu cerca de 50 quilômetros a sudoeste de Khost cerca de uma hora depois.

A agência de notícias Bakhtar disse que as ambulâncias estavam transportando os feridos das áreas atingidas pelo terremoto para hospitais. No entanto, centros médicos são escassos e têm recursos limitados. Um vídeo postado no Twitter por um jornalista em Paktika mostra uma clínica simples para onde os feridos estão sendo transportados para tratamento urgente.

Dr. Ramiz Alakbarov, um representante especial adjunto do Afeganistão para as Nações Unidas, escreveu no Twitter que a organização estava avaliando as necessidades e respondendo após o terremoto. O Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor geral da Organização Mundial da Saúde, disse no Twitter que a agência “continuará apoiando as pessoas necessitadas em todo o país”.

O terremoto ocorreu cerca de 480 quilômetros ao norte do local onde um terremoto mortal de magnitude 6,4 atingiu o Paquistão em 2008.

Continua após a publicidade

O primeiro-ministro do Paquistão, Shebaz Sharif, disse estar “profundamente entristecido” com a notícia o terremoto. Em um comunicado, o Ministério das Relações Exteriores paquistanês disse que vai fornecer ajuda ao Afeganistão. “O povo do Paquistão está em forte solidariedade com seus irmãos afegãos neste momento difícil”, disse o comunicado.

+ Afeganistão: A um passo da burca

Para os civis no Afeganistão, os terremotos são mais um risco em um país traumatizado por décadas de guerra. Muitas das vilas e cidades densamente povoadas do país ficam sobre, ou perto, de várias falhas geológicas, algumas das quais podem produzir terremotos de até 7 de magnitude.

O terremoto desta quarta-feira, segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos, parecia ter nascido do movimento entre as placas tectônicas da Índia e da Eurásia. Além das perdas humanas, também destruiu dezenas, talvez centenas de casas.

A agência disse em um relatório de 2022 que mais de 7.000 afegãos morreram na última década por causa de terremotos, uma média de 560 pessoas por ano. Em uma área entre Cabul e Jalalabad, estimou-se que um terremoto de 7,6 afetaria sete milhões de pessoas.

+ Explosão de mesquita no Afeganistão deixa 33 mortos

Em janeiro, dois terremotos atingiram uma área remota e montanhosa do oeste do Afeganistão, matando pelo menos 27 pessoas e destruindo centenas de casas. Outro terremoto em 2015 matou mais de 300 pessoas no norte do Afeganistão e no Paquistão e destruiu milhares de casas.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)