Clique e assine a partir de 9,90/mês

Com máscaras e roupas pretas, israelenses vão às ruas contra Netanyahu

Protestos têm como alvo os casos de corrupção respondidos pelo primeiro-ministro da Justiça

Por Da Redação - Atualizado em 20 Apr 2020, 14h57 - Publicado em 20 Apr 2020, 14h30

Mesmo com 13.654 casos de Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus, e 173 mortes, milhares de israelenses foram às ruas do país no domingo 19 para protestar contra o primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, acusado de corrupção e quebra de confiança.

Mais de 2.000 pessoas atenderam ao chamado do movimento “Bandeiras Negras” feito em uma rede social. Reunidos na praça Yitzhak, em Tel Aviv, os manifestantes vestiam roupas pretas e máscaras protetoras, além de manterem uma distância de dois metros entre si como medida protetiva contra o contágio de coronavírus, sob a justificativa de “salvar a democracia”.

Ali reunidos, os manifestantes queriam expressar sua rejeição ao diálogo em andamento entre Benny Gantz, líder do partido Azul e Branco, e Netanyahu, líder do conservador Likud. “Deixe a democracia vencer”, estava escrito numa das faixas, enquanto outros cartazes exibiam “Ministro do Crime”. Gantz e Netanhyahu, por´´m, alcançaram um acordo nesta segunda-feira, 20, para formar um novo governo.

Manisfestantes enguem placas contra o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu: “Eu não apoio um governo sob um homem indiciado”- 19/04/2020 Corinna Kern/Reuters

“A corrupção não é combatida por dentro. Se você está dentro, você faz parte disso”, declarou o deputado Yair Lapid, líder do partido Yesh Atid, da oposição, contra seu ex-aliado Benny Gantz. “As democracias morrem por dentro porque as pessoas boas se calam e as pessoas fracas se rendem”, acrescentou, denunciando as supostas manobras de Netanyahu para permanecer no poder. “Estamos aqui para dizer que nunca desistiremos”, acrescentou.

Continua após a publicidade

ASSINE VEJA

Covid-19: Sem Mandetta, Bolsonaro faz mudança de risco nos planos A perigosa nova direção do governo no combate ao coronavírus, as lições dos recuperados e o corrida por testes. Leia na edição desta semana.
Clique e Assine

(Com AFP)

Publicidade